Início Site

Top 39 pontos turísticos de Londres: o guia completo

234

Os pontos turísticos de Londres são inúmeros.

Por isso, o Mapa de Londres escreve diariamente sobre as melhores atrações da cidade, com mapas, horários, preços e dicas de visita de cada uma.

Neste post, reunimos os top 39 pontos turísticos de Londres e mais dezenas de atrações com fotos e informações para tornar sua leitura mais agradável e proveitosa.

Assim, você pode elaborar uma programação e tratar de correr o bastante para não perder nada durante sua visita à capital britânica.

Uma das características que você vai notar nessas atrações é que boa parte é gratuita.

Sim, Londres é uma cidade cara para quem não ganha em libras, mas oferece uma infinidade de programas culturais e passeios para visitantes que não querem deixar toda as suas economias na capital britânica.

Outra questão importante é que são MUITAS atrações e pontos turísticos na cidade. Se você deixar para se programar em cima da hora, vai se perder com tantas opções.

Nesse caso, um roteiro pronto pode ser o melhor caminho – pelo menos como ponto de partida.

Mas a gente faz questão de avisar desde já: o melhor roteiro é aquele que você cria.

É aquele que leva em conta o que você REALMENTE quer conhecer na cidade, porque, como disse uma vez Samuel Johnson:

Quem está cansado de Londres está cansado da vida, pois há em Londres tudo que a vida pode oferecer”.

Ou seja, qualquer que seja o seu estilo e a sua personalidade, você vai encontrar uma Londres que seja a sua cara.

Neste post, vamos falar sobre os pontos turísticos de Londres mais famosos, algumas das atrações culturais mais importantes, alguns passeios mais alternativos e muitas opções de programas para você preencher o seu roteiro de viagem do início ao fim do dia, do english breakfast ao último pub.

Top 39 pontos turísticos de Londres

Veja abaixo nossa lista das principais atrações de Londres e, depois, outras dezenas de sugestões de passeios na capital britânica. Não vai faltar o que fazer 😉

1. Palácio de Westminster – Big Ben

Palácio de Westminster (Big Ben) em Londres
Vista da London Eye para o Palácio de Wesminster. Foto: Mapa de Londres

O Palácio de Westminster abriga o Parlamento do Reino Unido e, em sua torre, um dos maiores ícones de Londres e da Inglaterra, o Big Ben. Esse cartão postal da cidade merece mais do que uma foto à distância: visite por dentro.

2. Palácio de Buckingham

Palácio de Buckingham, a casa da Rainha Elizabeth II em Londres. Fotos: Mapa de Londres
Palácio de Buckingham, a casa da Rainha Elizabeth II em Londres. Fotos: Mapa de Londres

O Palácio de Buckingham é a residência oficial da Rainha Elizabeth II. É aqui que ocorre a Troca da Guarda. Para visitar as salas suntuosas do palácio, o melhor é viajar para Londres no verão, entre julho e setembro.

3. Museu Britânico

Museu Britânico tem entrada gratuita em Londres. Foto: Mapa de Londres
Museu Britânico tem entrada gratuita em Londres. Foto: Mapa de Londres

O Museu Britânico é, digamos, o Louvre de Londres. Você pode passar duas horas ou dois dias no museu e, de qualquer forma, não verá tudo, da Pedra de Roseta a partes do Partenon. Visita gratuita e imperdível.

4. National Gallery

National Gallery abriga algumas das mais belas pinturas da história da arte
National Gallery abriga algumas das mais belas pinturas da história da arte. Foto: Mapa de Londres

Localizada na Trafalgar Square, a National Gallery reúne tantos belos quadros e tantas informações sobre cada um deles, que vale a pena adquirir o tour em áudio do lugar. Esse é um dos pontos turísticos de Londres que são imperdíveis e gratuitos.

5. London Eye

London Eye à noite
London Eye é um passeio imperdível em Londres. Foto: Mapa de Londres

A London Eye é a terceira maior roda gigante do mundo e um dos pontos turísticos mais disputados de Londres. Oferece uma vista inigualável da cidade, em um voo sobre Westminster, de cara para o Rio Tâmisa e para o Big Ben.

6. Torre de Londres

Torre de Londres - Mapa de Londres
Torre de Londres é um símbolo da invasão normanda. Foto: Mapa de Londres

A Torre de Londres é um dos passeios mais interessantes para os apaixonados pela história da capital britânica. Já foi uma prisão, local de execuções e tortura, zoológico, casa da moeda e hoje dá guarida para as Joias Reais. Faça um tour guiado com um dos beefeaters, os guardas da fortaleza.

7. Abadia de Westminster

Abadia de Westminster
Abadia de Westminster sediou o casamento de William e Kate. Foto: Mapa de Londres

A Abadia de Westminster fica pertinho do Big Ben e merece a sua visita. Arquitetada em estilo gótico, fundada oficialmente em 970 d.C., é famosa mundialmente por ser o local de coroação da monarquia britânica.

8. Tower Bridge

Tower Bridge foi construída em 1894. Foto: Mapa de Londres
Tower Bridge ganha contornos ainda mais belos à noite. Foto: Mapa de Londres

Inaugurada em 1894, sobre o Rio Tâmisa, a Tower Bridge foi construída ao lado da Torre de Londres e se tornou ao longo dos anos um dos pontos turísticos mais visitados e fotografados da cidade.

9. Regent’s Park

Regent's Park é de tirar o fôlego no verão. Foto: Mapa de Londres
Regent’s Park é de tirar o fôlego no verão. Foto: Mapa de Londres

Na opinião do Mapa de Londres, o Regent’s Park é o mais belo Parque Real da capital britânica. Aqui um piquenique bem tranquilo é o programa ideal para uma tarde de primavera ou verão.

10. Trafalgar Square

Esta praça já foi cenário para diversos filmes e seriados
Trafalgar Square já foi cenário para diversos filmes e seriados. Foto: Mapa de Londres

Trafalgar Square é a principal praça de Londres. Ela se localiza bem no centro da cidade, de onde as distâncias de e para Londres são medidas. Aqui são realizados concertos gratuitos, protestos variados e celebrações diversas, como a do Ano Novo Chinês e St Patrick’s Day.

Roteiro do Mapa de Londres

11. St. Paul’s Cathedral

St Paul's Cathedral
St Paul’s Cathedral é um símbolo da resistência de Londres. Foto: Mapa de Londres

A St. Paul’s Cathedral é uma das principais obras de reconstrução do arquiteto Christopher Wren, um local de celebrações da realeza e um símbolo da resistência britânica na Segunda Guerra. Foi aqui que o Príncipe Charles se casou com a princesa Diana em 1981.

12. Piccadilly Circus

Fotos: Mapa de Londres
Piccadilly Circus é um dos pontos turísticos mais fotografados de Londres. Fotos: Mapa de Londres

De um jeito ou de outro, Piccadilly Circus estará no seu roteiro de viagem. Mesmo que você não queira tirar uma foto com a estátua de Eros ou com as Piccadilly Lights ao fundo, esse ponto é estratégico para suas perambulações para as principais atrações de Londres.

13. Millennium Bridge

St Paul's Cathedral da Millennium Bridge
St Paul’s Cathedral da Millennium Bridge

A Millennium Bridge é uma ponte de pedestres que ficou famosa pelo seu design futurista. A ponte já teve papel coadjuvante em muitos filmes: em O Enigma do Príncipe, da franquia Harry Potter, ela é destruída. De um lado, você encontra a St Paul’s Cathedral; do outro, a Tate Modern.

14. Museu de Londres

Museu de Londres - Mapa de Londres
Era Vitoriana é um dos capítulos mais interessantes da história de Londres. Foto: Mapa de Londres

O Museu de Londres é uma visita obrigatória para quem, assim como a gente, é apaixonado pela história da capital britânica. Aqui você faz um passeio pelos capítulos mais interessantes e curiosos da cidade, da ocupação romana aos dias atuais.

15. Hyde Park

Hyde Park. Foto: Mapa de Londres
Hyde Park é uma ótima pedida para uma tarde de domingo. Foto: Mapa de Londres

O Hyde Park é o mais famoso dos Parques Reais de Londres. Aqui você vai encontrar o Speaker’s Corner, onde oradores sobem em banquinhos para discursar, e o Marble Arch, monumento de mármore desenhado por John Nash.

16. Abbey Road

Abbey Road em Londres
Falta gente nessa faixa de pedestres. Foto: Mapa de Londres

Abbey Road é o único lugar do mundo onde o congestionamento é na faixa de pedestres. Aqui, ao lado do estúdio de mesmo nome, foi tirada a clássica foto da capa do 12° álbum do quarteto britânico.

17. Museu de Cera Madame Tussauds

Madame Tussauds - Museu de Cera - Mapa de Londres
A cantora londrina Amy Winehouse é lembrada no Madame Tussauds. Foto: Mapa de Londres

O Madame Tussauds é uma rede de museus famosa em todo o mundo por criar bonecos de cera de personalidades das artes, da política, da cultura. O primeiro museu foi criado aqui em Londres, e a visita rende muitas fotos e risadas.

18. Casa de Sherlock Holmes

Museu do Sherlock Holmes. Foto: Mapa de Londres
Museu do Sherlock Holmes é uma visita elementar para os fãs. Foto: Mapa de Londres

O Museu de Sherlock Holmes é um passeio imperdível para os leitores da obra de Conan Doyle e, mais recentemente, para os fãs da série Sherlock. O lugar recria com perfeição a 221B de Baker Street: o violino, o cachimbo, personagens das histórias e muito mais.

19. The Monument

Foto: Mapa de Londres
Monument é uma coluna dórica com quase 62 metros de altura. Foto: Mapa de Londres

O Monumento ao Grande Incêndio de Londres, The Monument, é uma lembrança do desastre de 1666, que destruiu boa parte da cidade, e uma homenagem a sua reconstrução. Foi erigido entre 1671 e 1677, com pedra Portland.

20. London Dungeon

London Dungeon - Mapa de Londres
London Dungeon conta os capítulos sangrentos da história de Londres. Foto: Mapa de Londres

A London Dungeon é uma atração turística para jovens (pelo menos, de espírito). Aqui você conhece  os episódios mais trágicos dos últimos mil anos de Londres, com encenações dos atores, gritos, sangue e muitas risadas.

 

21. Museu de História Natural

No saguão principal do Museu de História Natural. Foto: Mapa de Londres
Dinossauros são principal atração do Museu de História Natural. Foto: Mapa de Londres

Museu de História Natural de Londres é uma aula sobre a fauna e a flora do mundo e chama a atenção tanto pela arquitetura quanto pelos dinossauros e mamíferos que o “habitam”. Entrada gratuita e visita imperdível, especialmente para famílias.

CTA Sugestões de hotéis em Londres

22. Science Museum

Bem-vindo ao Museu de Ciências de Londres. Fotos: Mapa de Londres
Bem-vindo ao Museu de Ciências de Londres. Fotos: Mapa de Londres

O Science Museum é outra atração que vai agradar a família toda. As crianças vão se divertir com os brinquedos interativos e experimentos curiosos, e os adultos vão se deslumbrar com preciosidades como o míssil V2, desenvolvido para destruir Londres e usado para levar o homem à Lua na missão Apollo 11.

23. Victoria & Albert Museum

Galerias Dorothy and Michael Hintze no Victoria & Albert Museum. Foto: Mapa de Londres
Galerias Dorothy and Michael Hintze no Victoria & Albert Museum. Foto: Mapa de Londres

O Victoria & Albert Museum é um dos maiores de design, moda e artes decorativas do mundo, com preciosidades em gravuras, acessórios, roupas, joias, fotografias, esculturas e muito mais. Impressionantemente gratuito.

24. Churchill War Rooms

Churchill War Rooms. Fotos: Mapa de Londres
Churchill War Rooms é um museu para os apaixonados pela Segunda Guerra. Fotos: Mapa de Londres

Situado onde ficava o bunker de Churchill na Segunda Guerra, o Churchill War Rooms é um museu que conta a história desse abrigo antibomba que serviu de quartel general para a equipe de guerra do ministro durante os bombardeios nazistas.

25. Aquário de Londres

Aquário de Londres - Mapa de Londres
Pinguins são atração especial no Aquário de Londres. Foto: Mapa de Londres

O Aquário de Londres é uma experiência divertida para a família toda e se localiza ao lado da London Eye e da London Dungeon, em Westminster. Considere a visita para conhecer curiosidades de animais marinhos, se surpreender com os rodopios dos pinguins e se espantar com os tubarões colados no vidro.

26. Estúdios de Harry Potter

Maquete (gigante) do Castelo de Hogwarts
Maquete (gigante) do Castelo de Hogwarts nos estúdios de Harry Potter. Foto: Mapa de Londres

Não dá para falar em turismo em Londres sem mencionar Harry Potter. E a uma distância pequena do centro da cidade, você pode visitar os estúdios da Warner Bros onde foram gravados os filmes de Harry Potter. É uma visita inesquecível para os fãs da saga.

Ingressos para as atrações de Londres

27. Notting Hill

Portobello Market - Notting Hill - Mapa de Londres
Este é um lugar chamado Notting Hill. Foto: Mapa de Londres

Notting Hill é um lugar adorável, imortalizado pela comédia romântica estrelada por Hugh Grant e Julia Roberts. A dica aqui é visitar a Portobello Market, uma feirinha de rua aos sábados.

28. Camden Town

Camden Town. Foto: Gustavo Heldt, MdM
Seria imperdoável vir para Londres sem conhecer Camden Town. Foto: Mapa de Londres

Camden Town é um bairro exótico para todo mundo, até para quem vive aqui. É um lugar de espírito inquieto, de raízes punks, cheio de pubs interessantes, pessoas diferentes, lojas descoladas e feirinhas de antiguidades.

29. A Vista do Shard

Shard - Foto: Juli Haas, Mapa de Londres
Shard propicia uma bela vista de toda a cidade. Foto: Juli Haas, Mapa de Londres

O Shard é um ponto turístico relativamente novo em Londres. Ele é o maior prédio da Europa Ocidental. Você pode visitá-lo para ter uma vista 360 graus da capital britânica, jantar em um de seus restaurantes ou apenas admirá-lo à distância.

30. Meridiano de Greenwich

Observatório Real de Greenwich - Mapa de Londres
É hora de visitar o Meridiano de Greenwich, if you know what I mean. Foto: Mapa de Londres

O Meridiano de Greenwich divide o mundo em Ocidente e Oriente e é utilizado para calcular os fusos horários ao redor do globo terrestre. Em Londres, é possível visitar a linha do meridiano, o Observatório de Greenwich e fazer muitas descobertas no distrito de mesmo nome, de preferência após uma viagem de barco até lá.

31. Zoológico de Londres

Girafas dão as boas-vindas aos visitantes do London Zoo. Fotos: Mapa de Londres
Girafas dão as boas-vindas aos visitantes do London Zoo. Fotos: Mapa de Londres

O London Zoo é um dos poucos zoológicos que vale a pena visitar em uma viagem turística. Este é o mais antigo do mundo e reúne 720 espécies de animais em 14 hectares de terra. As crianças vão adorar.

32. Royal Albert Hall

Foto: Vincent Travi, Mapa de Londres
O Royal Albert Hall é uma das principais casas de espetáculo da Europa. Foto: Mapa de Londres

O Royal Albert Hall é o palco dos principais concertos em Londres, inclusive do BBC Proms, festival de música clássica que ocorre anualmente na cidade. Fica em frente ao Albert Memorial, do outro lado da rua do Kensington Gardens. O nome é uma homenagem ao marido da Rainha Victoria.

33. Shakespeare’s Globe

Shakespeare's Globe Theatre - Mapa de Londres
Shakespeare’s Globe fica às margens do Rio Tâmisa. Foto: Mapa de Londres

O Shakespeare’s Globe recria a arena de teatro de William Shakespeare, um dos mais conhecidos autores britânicos da história. Ainda hoje você pode assistir a uma peça de teatro a céu aberto no local.

34. Covent Garden

Covent Garden. Mapa de Londres
Covent Garden é conhecida principalmente pelos seus mercados. Foto: Mapa de Londres

Vale a pena visitar a região de Covent Garden, com seus mercados, pubs, teatros e artistas de rua. Aqui também se localizam a Royal Opera House e o Museu do Transporte de Londres.

35. Palácio de Kensington

Palácio de Kensington é a morada do Príncipe. Foto: Mapa de Londres
Palácio de Kensington é a morada do Príncipe William e sua família. Foto: Mapa de Londres

O Palácio de Kensington é a casa do Duque e da Duquesa de Cambridge, o Príncipe William e Kate Middleton, e de seus filhos, George e Charlotte. Você não vai poder visitar a Realeza, mas o palácio tem exposições muito interessantes, especialmente sobre o período em que a Rainha Victoria viveu aqui.

36. Tate Modern

Clique para conhecer a Tate Modern. Foto: Mapa de Londres
Tate Modern é outros dos museus gratuitos na cidade. Foto: Mapa de Londres

O Tate Modern é um museu de arte moderna internacional, que faz parte do grupo Tate, conjunto de quatro galerias de arte. Tem entrada gratuita e se situa às margens do Rio Tâmisa, de frente para a Millennium Bridge. Vale a pena visitar a pé e circular pelas redondezas.

37. Leicester Square

Leicester Square - Mapa de Londres
Leicester Square é o ponto de partida para a noite de muitos londrinos. Foto: Mapa de Londres

Leicester Square é uma das principais praças de Londres. O lugar reúne os grandes cinemas da cidade e recebe as premières dos block busters. Aqui a vida noturna vibra: um bom ponto de partida para a sua noite em Londres.

38. British Library

Biblioteca Britânica. Foto: Mapa de Londres
Biblioteca Britânica guarda relíquias da literatura mundial. Foto: Mapa de Londres

A British Library é a biblioteca nacional do Reino Unido. Dispõe de uma acervo impressionante, que conta com manuscritos de milhares de anos atrás, a Carta Magna e originais de Freud, Darwin, Da Vinci e até dos Beatles. Você pode duvidar, mas a entrada é grátis.

39. Wimbledon

Bem-vindo a Wimbledon. Foto: Mapa de Londres
Bem-vindo a Wimbledon. Foto: Mapa de Londres

Wimbledon é o palco máximo do tênis, a mais antiga competição desse esporte no mundo. Assistir à disputa não é tão simples, mas visitar o museu e fazer um tour pelo local, sim.

Atrações gratuitas em Londres

Se você acha que Londres é cara, think again. Para os visitantes, a capital britânica oferece uma infinidade de atrações e pontos turísticos completamente gratuitos. Na lista, encontram-se todos os Parques Reais e a maioria dos principais museus. Veja alguns dos mais visitados:

Museus gratuitos

Museu Britânico, Museu de Londres, National Gallery, National Portrait Gallery, Museu Imperial da Guerra, Tate Modern e Tate Britain.

Parques gratuitos

Hyde Park, Regent’s Park, Green Park, St James’s Park, Greenwich Park e Kensington Gardens.

Mercados e feiras de rua

Camden Town, Portobello Market, Borough Market, Greenwich Market, Brick Lane.

Monumentos

Londres tem uma infinidade de monumentos, estátuas, memoriais e homenagens ao longo de suas ruas e praças. Se você passear pela cidade, vai encontrar a Agulha de Cleópatra, direto do Egito, o Monumento ao Grande Incêndio, a estátua de Churchill na Parliament Square, a estátua de Shakespeare em Leicester Square, estátuas da Rainha Vitória em frente ao Palácio de Buckingham e Palácio de Kensington, a Coluna de Nelson na Trafalgar Square, o Marble Arch no Hyde Park, entre muitos outros.

Pontos turísticos por áreas de interesse

Harry Potter

Além dos estúdios do filme, que estão na lista principal, você pode visitar a Plataforma 9 ¾, na estação de King’s Cross, e fazer um tour por locais relacionados à história.

Beatles

Além da Abbey Road, que está no listão de pontos turísticos, você encontra em Londres dezenas de lugares relacionados aos Beatles e até uma loja especializada no quarteto.

Família

Se você vai viajar com as crianças para Londres, é bom pensar nelas ao planejar seu roteiro. Provavelmente elas não vão querer passar o dia inteiro no Museu Britânico, né? Então, dá uma olhada:

Museus para toda a família

Atrações que seu filho vai adorar

Roteiro mágico com crianças

Hamleys: a maior loja de brinquedos do mundo.

M&M’s World: a maior loja de doces de Londres.

Guerras

Se você se interessa pela história das guerras, vai adorar Londres. Além dos já citados Churchill War Rooms e Museu Imperial da Guerra, aqui estão o Museu da Força Aérea Real e o HMS Belfast. Pela cidade, você também encontra monumentos em homenagem aos veteranos, como o Cenotaph, em Whitehall.

História

Para os apaixonados pela história de Londres, da Inglaterra – e do mundo, na verdade -, não faltam museus, prédios, símbolos e traços arquitetônicos que remetem ao passado.

Uma dica é fazer um passeio guiado com a Vania Gay, uma blue badge guide brasileira que fascina qualquer ouvinte atento com curiosidades e informações sobre os pontos mais importantes de Londres.

Segunda vez em Londres

Se você já domina os principais pontos turísticos de Londres, que tal ir um pouco além e desbravar atrações menos conhecidas? Confira:15 atrações para quem acha que já conhece Londres

Shows

Se você curte música, vai amar Londres. A cidade é um dos berços do rock e está sempre na vanguarda desse e de outros estilos. Todo ano, a cidade recebe apresentações de peso dos grandes artistas de todas as partes do mundo. Você pode se programar para conferir shows em Londres ou até participar de algum dos festivais de música da Inglaterra.

Teatro

Londres é uma das capitais mundiais do teatro. Que tal assistir a uma peça ou musical na cidade?

Não perca

Chinatown, The Mall,  Speaker’s Corner, Soho, Somerset HouseTeleférico de Londres, Highgate Cemetery, O2Banqueting House,

Situe-se nas atrações de Londres

Encontre atrações por região

Encontre atrações pela estação de metrô

Compras em Londres

Em Londres, até as lojas de departamento são pontos turísticos. Duvida? Então experimente entrar na Selfridges ou na Harrods.

As mais famosas ruas de compras são a Oxford Street, a Regent Street e a Carnaby Street. Você as encontra no nosso guia: 9 ruas imperdíveis em Londres.

Ingressos para os pontos turísticos de Londres

Se você deixar para comprar os ingressos na hora, vai pagar mais caro.

Por isso, uma opção muito segura e prática é comprar ingressos no site do VisitBritain, o órgão oficial de turismo da Grã-Bretanha. Nele você encontra as principais atrações da cidade, promoções e um combo muito vantajoso na compra de ingressos para Madame Tussauds, London Eye, London Dungeon e Aquário de Londres.

Confira abaixo:

Ingressos para as atrações de Londres

Warner Bros: Visite o estúdio de Harry Potter em Londres

205

Em busca de Harry Potter em Londres?

Então é bom preparar a sua varinha! A aventura está prestes a recomeçar.

Neste post, vamos mostrar passo a passo como visitar o Estúdio da Warner Bros, dos filmes de Harry Potter em Londres. Ao longo do texto, dezenas de fotos e dicas do passeio.

Não muito distante do centro de Londres, a Warner Bros abre as portas do estúdio que serviu de locação para as filmagens da série do bruxinho mais famoso e longevo do planeta.

Por isso, caso a varinha já tenha sido aposentada, recorra a uma boa câmera, afinal você poderá fotografar todo o passeio, incluindo o quartinho de Harry embaixo da escada dos Dursley, o escritório de Dumbledore, o Salão Comunal e até a sala da odiosa Dolores Umbridge.

Vale ressaltar: para o fã de Harry Potter, a visita ao estúdio em Londres é IMPERDÍVEL.

Harry Potter em Londres: como visitar o estúdio

Confira abaixo todas as dicas para visitar o estúdio Warner Bros sem se perder.

Valores do passeio

O quarto debaixo da escada
O quarto debaixo da escada

Adulto: 41 libras / Criança (5 a 15, acompanhada), 33,00 / Criança (0 a 4), gratuito

Compre online(há opções de ingresso com guia digital e livro)

Duração da visita ao estúdio

A visita média dura entre 2h30 e 3h30. Na verdade, o tour guiado é bem mais curto e, depois, você pode ficar quanto tempo quiser.

Como comprar o ingresso

  • Vá até este link e selecione seu ingresso (há desconto para família).
  • Você receberá um e-mail com a confirmação da compra e mais instruções.
  • Imprima o voucher no e-mail.
  • Na frente do estúdio, em uma das máquinas, você vai trocar seu voucher pelo ingresso.

Dica para facilitar sua visita ao estúdio

O VisitBritain, órgão oficial de turismo da Grã-Bretanha, vende ingressos antecipados para o estúdio de Harry Potter. A diferença é que eles vendem o ingresso já com o transporte incluso, o que pode ser uma mão na roda para quem não quer se preocupar com tantos detalhes. Confira: Ingressos antecipados.

Ingressos para as atrações de Londres

Como chegar ao estúdio de Harry Potter

Veja passo a passo como planejar seu deslocamento até os estúdios da Warner Bros:

Trem para o estúdio da Warner Bros

O estúdio não fica na área central de Londres, mas em uma região bem próxima. Recomenda-se pegar um trem partindo de Euston para Watford Junction, uma jornada de aproximadamente 20 minutos. Considere começar essa jornada uma antecedência de 2 horas em relação à hora marcada no ingresso.

Lembre-se: a viagem dura 20 minutos no trem direto. Há opções mais demoradas, com paradas em outras estações. Fique esperto para não se atrasar.

Veja as partidas dos trens no site da National Rail.

Recomenda-se chegar a Watford Junction no mínimo 45 minutos antes da hora marcada no ingresso. Da frente da estação, um ônibus especial (cobrado à parte, 2,50 libras em dinheiro) o levará diretamente para o estúdio.

Para famílias, um táxi da estação de Watford Junction até o estúdio também não é má ideia: custa menos de 15 libras (Confirmar o preço antes!)

Roteiro em Londres

Ônibus para o estúdio da Warner Bros

Alternativa para quem não quer trem: há um ônibus direto de Vitória para o estúdio, que, embora seja mais prático, custa mais caro (compre o ingresso + transporte com desconto) e leva mais tempo. Veja os detalhes no site, em “Transfers”.

Veja no mapa

Site do estúdio

Atrações do tour do Harry Potter em Londres

Confira abaixo os pontos imperdíveis do passeio pelo estúdio:

  • Escritório de Dumbledore (Será que ele estará por lá?)
  • Nimbus 2000 (Não, não pode sair voando)
  • Basilisco (uma bela recepção à loja oficial)
  • Telões com os melhores momentos da saga (Como se você já não tivesse assistido tudo umas 10 vezes, né?)
  •  Salão Principal (Dá para sentar em uma das quatro mesas e tirar foto dos talheres banhados a ouro)
  • Salão Comunal da Grifinória (Ou você prefere a Sonserina?)
  • Quarto de Harry na Rua dos Alfeneiros (Ok, não é um quarto, mas um armário embaixo da escada)
  • A ponte de Hogwarts (Ei, mas ela  não havia sido destruída? 😉
  • As vestimentas (Não vale agarrar a primeira que vir e tentar uma fuga alucinada do set)
  • As perucas utilizadas pelos atores (A maior é a do Lucius Malfoy, pai do Draco)
  • A famosa escada (Será que ela ainda estará por lá?)

O que os atores falam do estúdio da Warner Bros

Os atores se empolgam ao falar sobre o estúdio de Londres.

“Foi um lugar mágico para se crescer”, conta Daniel Radcliffe, que interpreta Harry Potter. “As pessoas vão ficar maravilhadas quando virem os incríveis sets nos quais a gente trabalhou por todos esses anos.”

Rupert Grint, o Rony, concorda: “Todos os sets têm pequenos detalhes que você pode não perceber nos filmes, mas, quando você está lá, pode ver todo o trabalho que foi feito. É realmente incrível.”

Fotos do tour pelo estúdio de Harry Potter

Confira abaixo algumas das fotos com os destaques do passeio pelo estúdio da Warner Bros de Londres, a casa do Harry Potter na cidade:

Olivaras, a loja de varinhas
Olivaras, a loja de varinhas
Maquete (gigante) do Castelo de Hogwarts
Maquete (gigante) do Castelo de Hogwarts
Beco Diagonal
Beco Diagonal dos primeiros filmes de Harry Potter
Bicuço
Bicuço
Livro dos Monstros e o Dobby
Livro dos Monstros e o Dobby
Nôitibus Andante
Nôitibus Andante
Casa dos Dursley, 4 Private Drive
Casa dos Dursley, 4 Private Drive
Voldemort e seus Comensais da Morte
Voldemort e seus Comensais da Morte
Harry Potter - Mapa de Londres
Um almoço com os Weasley
Movimentação da Nimbus
Movimentação da Nimbus
Escritório do Dumbledore
Escritório do Dumbledore
Sala do professor Snape
Sala do professor Snape
Cama do Harry Potter
Cama do Harry Potter
Cama do Rony Weasley
Cama do Rony Weasley
Brasão da Grifinória
Brasão da Grifinória
Salão Comunal
Salão Comunal
A varinha de J. K. Rowling
A varinha de J. K. Rowling

4 dicas para o passeio pelo estúdio do Harry Potter

Temos certeza que a visita será inesquecível. Mas veja algumas dicas abaixo para aproveitar ainda mais a experiência:

1. Butter Beer

A cerveja amanteigada é deliciosa, apesar de não conter álcool. Embora seja razoavelmente cara, algo como 3 libras por um copo pequeno, vale muito a pena. Resolvi experimentar por descargo de consciência, com enorme desconfiança. Mas o sabor é fantástico e dá vontade de pegar mais uma. A partir da segunda, enjoa. Parei por aí.

2. Passeio de vassoura

Há sempre uma fila bem grande para quem deseja simular o voo de vassoura. As crianças e talvez os adolescentes vão curtir a experiência, mas os mais, hmm, experientes podem deixar essa atração de lado e seguir para a Privet Drive.

3. Audio guide

Para os mais aficionados, vale a pena comprar o kit completo, que inclui, além do ingresso, guia digital para relembrar trechos da história durante o passeio e um guia físico como souvenir para levar para casa.

4. Loja de souvenirs

Ao fim do passeio, há uma loja enorme cheia de acessórios, vestimentas, memorabilia, apetrechos, bugigangas e brinquedos da série Harry Potter. Certamente, trata-se da maior loja oficial em Londres e o lugar que concentra o maior número de itens do bruxinho.

Mais Harry Potter em Londres

Peça do Harry Potter

Plataforma 9 ¾

Perguntas e respostas sobre a Rainha Elizabeth II

37

Quer saber mais sobre a Rainha Elizabeth II e não sabe por onde começar? Você chegou ao lugar certo. Neste post, vamos tirar todas as suas dúvidas sobre a monarca do Reino Unido.

A Rainha Elizabeth II (Isabel II) nasceu em 21 de abril de 1926. Seu nome de batismo é Elizabeth Alexandra Mary.

Ela é Rainha do Reino Unido, do Canadá, da Nova Zelândia, da Austrália, chefe da Commonwealth, comandante suprema da Igreja Anglicana e Comandante-chefe das Forças Armadas.

A Rainha Elizabeth II é tão importante, de tantas formas diferentes, que fica difícil para quem não está familiarizado com sua história entender exatamente qual é a sua função, o seu poder, a sua influência e o seu papel para os britânicos e para o resto do mundo.

Por isso, o Mapa de Londres decidiu criar um FAQ com as perguntas e respostas mais comuns sobre a monarca.

Este é um resumo dos tópicos que serão abordados detalhadamente:

  • O que faz de Elizabeth II a Rainha?
  • Por que temos uma Rainha e não um Rei?
  • Qual é a função atual do monarca na Inglaterra?
  • Há quanto tempo a Rainha Elizabeth II ostenta a Coroa?
  • Quem assume o trono quando a Rainha falecer?

Rainha Elizabeth II: perguntas e respostas

Tire todas as suas dúvidas sobre a monarca:

Há quanto tempo Elizabeth II é a Rainha?

A Rainha Elizabeth II está no trono desde 6 de fevereiro de 1952. Ela já superou a Rainha Victoria (20 de junho de 1837 a 22 de janeiro de 1901) e se tornou a monarca mais longeva com a coroa.

A Rainha assumiu o trono muito jovem, aos 25 anos de idade, após a morte do seu pai, o Rei George VI (aquele do Discurso do Rei, lembra?). Esse momento de transição é retratado de forma muito intensa na primeira temporada da série The Crown, da Netflix (vale a pena assistir).

A coroação da Rainha Elizabeth II ocorreu apenas em 2 de junho de 1953, ou seja, mais de um ano depois. O evento, na Abadia de Westminster, transcorreu pouco depois da morte de sua avó, a Queen Mary.

Apesar da demora para a coroação, não há vácuo no trono. Isso significa que, quando um monarca morre, seu sucessor assume imediatamente. Quando o pai de Elizabeth faleceu, ouviu-se o seguinte pelas ruas: “The King is dead. Long live the Queen” (O Rei está morto. Vida longa à Rainha).

Rainha Elizabeth II - Mapa de Londres
Rainha Elizabeth II supera a marca da Rainha Victoria no trono. Foto: Shutterstock

Qual a relação entre a Rainha Elizabeth II e o Parlamento?

Atualmente, a Rainha Elizabeth II é uma figura altamente simbólica. Na teoria, o Primeiro-Ministro se subordina a ela, que o escolhe.

Na prática, o Primeiro-Ministro é nomeado por ela por convenção, já que o monarca deve aceitar a indicação do Parlamento. Mesmo que as decisões no parlamento sejam tomadas em seu nome, ela pouco pode intervir de fato nessas questões.

Uma vez por semana, o primeiro-ministro (a) se reúne com a Rainha. As reuniões ocorrem a portas fechadas no Palácio de Buckingham, em Londres. O conteúdo das conversas é absolutamente secreto.

Mesmo afastada da política, todos os anos a Rainha Elizabeth II abre os trabalhos do parlamento do Reino com um discurso – não escrito por ela, mas pelo governo.

Qual é o poder da Rainha Elizabeth II hoje e o que ela faz de fato?

A Rainha é a chefe de estado, e todo poder é exercido em seu nome.

De acordo com Walter Bagehot, um respeitado estudioso da Constituição, há dois poderes políticos na Inglaterra: o dignificante e o eficiente.

O primeiro veste o manto de valores, honra e tradições da população, enquanto o segundo usa essa roupagem para rodar as engrenagens.

No início, na monarquia absoluta, os dois poderes eram exercidos pela Realeza. Hoje, na monarquia parlamentarista, o poder dignificante fica com a monarquia, e o poder eficiente recai sobre o Parlamento.

A Rainha Elizabeth II tem três direitos principais:

  • O direito de ser consultada pelo Primeiro-Ministro
  • O direito de encorajar linhas de ação e conduta do governo
  • O direito de alertar a respeito de medidas do governo.

Conforme relatos de diferentes primeiros-ministros ao longo da história, a Rainha Elizabeth II exerceu esses três direitos ao longo de seus mandatos.

Em tese, ela poderia convocar novas eleições ao detectar anormalidades no Parlamento, como, por exemplo, casos de corrupção flagrantes que estivessem sendo cometidos ou prisão de parlamentares da oposição por algum primeiro-ministro com aspirações ditatoriais.

Na prática, o que acontece é que os dois partidos se monitoram e deixam a Rainha cuidar de seus cavalos.

De qualquer forma, a Rainha é o bastião da moralidade, da ordem, da tradição e da segurança do povo. Enquanto ela estiver abanando e sorrindo, vai ficar tudo bem.

No dia a dia, a Rainha Elizabeth II participa de inúmeros eventos, alguns diretamente ligados à Realeza e ao governo e outros relacionados a associações de caridade das quais ela e seus familiares participam.

Em ocasiões especiais, ela recebe chefes de estado em jantares no Palácio de Buckingham, viaja para outros países da Commonwealth em nome da Família Real, responde cartas, se refugia nos Castelos de Windsor e de Balmoral e brinca com seus cachorros.

Por que a Rainha não detém o mesmo poder de seus antecessores?

Ao longo da história, a realeza viu suas atribuições e poderes políticos serem reduzidos. O primeiro freio ao absolutismo vem lá da Carta Magna, em que os nobres determinam certas restrições ao monarca.

Mas houve muitos episódios de autoritarismo da monarquia desde então. Um deles trágico: em 1649, o Rei Charles I se levantou contra o Parlamento e foi julgado por traição à pátria e executado publicamente.

Assim começou a República de Cromwell, que durou alguns anos até a restituição da monarquia com Charles II.

Quarenta anos depois, em 1689, uma Declaração de Direitos foi imposta pelo Parlamento, e desde então a monarquia tem se comportado bem melhor.

Como funciona a sucessão ao trono?

Antigamente, quando o rei ou a rainha morriam, o primogênito assumia o trono, mas só os homens tinham direito ao trono.

Então, como a Rainha Elizabeth II se tornou rainha? A Rainha Elizabeth II não tinha um irmão homem – apenas uma irmã mais nova, a princesa Margaret.

Então, quando o Rei George VI faleceu, Elizabeth II ascendeu ao trono: “The King is Dead. Long Live The Queen”.

Em 2012, ao completar 60 anos de reinado, também conhecido como o Jubileu de Diamante, a Rainha Elizabeth II abriu mão de certas tradições, como a sucessão masculina ao trono. Ou seja, independentemente do sexo, o primogênito na linha de sucessão assume a coroa.

Essa mudança foi proposta em 2011 pelo então Primeiro-Ministro David Cameron e aceita pelo Parlamento de mais 15 países.

O que outros países têm a ver com a linha de sucessão?

A Rainha Elizabeth II é rainha de mais 15 países (Canadá, Austrália, Nova Zelândia,  Jamaica, Antígua e Barbuda, Bahamas, Barbados, Granada, Belize, St. Christopher e Nevis, Santa Lucia, Ilhas Salomão, Tuvalu, San Vicente e Granadinas, e Papua) que são independentes do Reino Unido (Inglaterra, País de Gales, Escócia e Irlanda do Norte), mas não da coroa.

Esses 15 países independentes são conhecidos como Comunidade de Nações (Commonwealth), então, qualquer alteração da lei de sucessão ao trono afeta esses países e precisa do consentimento do seu parlamento.

Como está a linha de sucessão ao trono britânico?

A linha de sucessão ao trono britânico é a seguinte:

  1. Príncipe Charles: chamado de “O príncipe esquecido” pela Revista Time, o Príncipe de Gales, nascido em 1948, é o primeiro na lista. Sua popularidade é muito mais baixa do que a de seu filho William.
  2. Príncipe William: Filho do Príncipe Charles e Lady Diana, nascido em 1982. 
  3. Príncipe George de Cambridge:Filho do Príncipe William, nascido em 2013
  4. Princesa Charlotte de Cambridge:Também filha do Príncipe William, nascida em 2015
  5. Príncipe Louis de Cambridge: Filho mais novo do Príncipe William, nascido em 2018
  6. Príncipe Harry de Gales: Também fruto do casamento do Príncipe Charles e Lady Di, nascido em 1984. Casou-se em 2018 com a atriz americana Meghan Markle.

Como é a relação da Rainha Elizabeth II com o Príncipe Charles?

A Rainha Elizabeth II já se demonstrou descontente com o comportamento do Príncipe de Gales e com as suas escolhas amorosas.

Mas o Príncipe Charles anda bem comportado ultimamente e não causou mais problemas. De qualquer forma, para quem vê de fora, Elizabeth se apresenta como uma mãe muito sóbria e distante – muito mais rainha do que mãe.

É verdade que a Rainha Elizabeth II serviu na Segunda Guerra?

Sim. Pouca gente sabe que a Rainha Elizabeth II serviu na Segunda Guerra Mundial, aos 18 anos, após implorar ao seu pai.

Ela se alistou no Serviço Territorial Auxiliar das Mulheres, sendo treinada como motorista e mecânica. Chegou até a dirigir um caminhão militar durante o serviço, sem, claro, chegar perto da linha de fogo.

Antes disso, durante a Blitz nazista que bombardeou Londres, sua mãe foi instada por assessores a deixar a capital britânica e partir com as filhas para o Canadá.

Eis a resposta: “As crianças não vão sair de Londres sem mim. Eu não irei sem o Rei. E o Rei nunca sairá”. No Dia da Vitória, Elizabeth e Margaret, sua irmã, se misturaram à multidão e comemoraram o fim da guerra.

Como é a relação da Rainha Elizabeth II com o Príncipe Philip?

Muita gente faz essa pergunta, e não há como saber de todos os bastidores. De qualquer forma, o que se sabe é que o início do matrimônio foi bastante conturbado. Logo após o casamento, a princesa Lilibeth teve que assumir a Coroa, aos 25 anos de idade.

Essa ascensão rápida levou o seu marido, Philip, a se ressentir um pouco de sua posição na Família Real. Ele tinha que caminhar atrás da Rainha nos eventos oficiais, se ajoelhar diante da Soberana e aceitar que sua esposa era uma das pessoas mais poderosas do mundo.

Com a Coroa, a personalidade de Elizabeth parece ter se esvaído e dado espaço a uma instituição chamada Sua Majestade.

Assim, nos primeiros anos, houve atos de rebeldia, brigas, infidelidade e algumas ameaças de separação.

Hoje, depois de muitas décadas de casamento, tudo parece em paz. Philip, mais velho do que a Rainha, já se aposentou de suas atividades reais. E a velhinha, ao que tudo indica, não vai parar tão cedo.

Rainha Elizabeth II na série The Crown

The Crown é uma série da Netflix baseada na vida da Rainha Elizabeth II. A trama é construída com os fatos mais marcantes da ascensão da jovem princesa ao trono e o entorno de sua luta pela manutenção da estrutura monárquica do Reino Unido.

Para você que é apaixonado pelo Reino Unido e fã de Londres, vale a pena acompanhar a produção que retrata a trajetória da Rainha Elizabeth II.

Na primeira temporada, The Crown leva o espectador para 1947. Naquele ano, a jovem princesa se casa com Philip, oficial do exército e descendente da monarquia grega.

Tudo começa de fato com o casamento de Elizabeth (interpretada por Claire Foy) com o duque de Edimburgo, Philip Mountbatten (vivido por Matt Smith).

Esse é o início da jornada intensa de uma ingênua Elizabeth que precisa se transformar para assumir a coroa aos 25 anos de idade, após a morte de seu pai.

Rainha Elizabeth II e os Holofotes Reais

Nos últimos anos, a Rainha Elizabeth II voltou ao foco por diversos motivos. Veja alguns dos principais:

  • 2011 – Casamento de William e Catherine: muitos imaginavam que a Rainha Elizabeth II não receberia bem a amada de seu neto, mas isso não se confirmou. Aparentemente, a Duquesa de Cambridge caiu nas graças da Soberana.
  • 2014 – Cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos: a Rainha Elizabeth II fez uma aparição especial ao lado de Daniel Craig (no papel de James Bond) para a festa de início das Olimpíadas.
  • 2018 – Casamento de Harry e Meghan: aqui, a suspeita de que a Rainha não concordava com a escolha de Harry parece ter se confirmado. Muitos dizem que ela não aprova a adição da atriz ameriacana à Família Real.

Gostou de conhecer mais sobre a Rainha Elizabeth II? Você também assiste à série The Crown? Deixe um comentário.

Como encontrar as melhores escolas de inglês em Londres

3

Se você quer encontrar as melhores escolas de inglês em Londres e dominar de vez o idioma britânico, chegou ao lugar certo.

A situação se repete: você passou anos naquele cursinho de inglês, tentou aprimorar a língua ouvindo músicas e assistindo seriados, mas acha que só vai obter fluência com uma imersão completa em Londres.

Estudar inglês em Londres nas melhores escolas da cidade significa entrar em contato direto e intenso com a cultura britânica.

Um mês de inglês em uma boa escola na capital do idioma pode ser tão proveitoso quanto um ano ou mais de cursinho no Brasil.

Além de viver em uma cidade incrível, você vai mergulhar de cabeça em um país que preserva a essência do inglês.  

Então, se você não sabe nem por onde começar a organizar um intercâmbio e quer encontrar as melhores escolas de Londres, seja bem-vindo ao nosso guia completo sobre o assunto.

Para dar uma ajudinha, nós conversamos com o Luciano Baldauf, da agência Global Active Study, para coletar as melhores dicas para quem deseja estudar em Londres.

Pronto para descobrir quais são elas? 👌

Londres
Londres é um dos destinos mais procurados por estudantes. Foto: iStock, Getty Images

Melhores escolas de inglês em Londres: como encontrar?

Algumas das melhores escolas de inglês estão em Londres. Mas escolher uma entre centenas não é uma tarefa fácil. Por isso, contar com o auxílio de alguém que tem uma década de experiência no assunto pode fazer toda a diferença.

De acordo com Baldauf, Londres possui excelentes escolas para quem deseja aprender inglês.

Estudar em Londres

Muitas delas, inclusive, com promoções especiais para brasileiros. “As escolas são credenciadas pela Imigração e recebem o selo de qualidade do British Council, garantindo um melhor aproveitamento do investimento total”, explica.

Entre as opções de escolas de inglês em Londres, é possível citar a LSC Stanton Londres e a LSI London Central. Ainda na Inglaterra, a OHC Oxford e a Interactive English Brighton representam boas alternativas.

Mas, segundo Baldauf, há muito mais opções à disposição. 

“O que nós procuramos fazer aqui na Global Active Study é achar escolas de alta qualidade, com preços competitivos e com o menor número de brasileiros possível, para que o estudante possa aproveitar ao máximo o aprendizado”, esclarece.

O melhor é que as escolas oferecem cursos regulares e intensivos tanto para quem possui um nível básico de inglês, quanto para quem procura uma preparação para exames oficiais de Língua Inglesa.

Se você já está em um nível intermediário e deseja apenas melhorar a conversação e a pronúncia, também existe essa possibilidade.

Baldauf destaca, ainda, que existem escolas especiais para profissionais que buscam enfoque no inglês jurídico, para a área de negócios ou medicina, por exemplo.

“Saber inglês hoje é fundamental em um ambiente profissional. Quem tem fluência na língua já tem uma vantagem grande sobre os colegas e competidores”, crê.

Mas por que escolher Londres e não outro intercâmbio para o seu destino? 🤔

Bem, o Mapa de Londres é prova de que atrações não faltam nessa cidade incrível. “Além da alta qualidade de ensino das escolas, a capital da Inglaterra tem inúmeras atrações turísticas e culturais que tornam a experiência de um intercâmbio inesquecível”, acrescenta Baldauf.

5 dicas para escolher escolas de inglês em Londres

Veja a seguir alguns dos principais pontos de atenção para quem está programando seu intercâmbio de inglês em Londres:

1. Invista em qualidade

As escolas mais baratas de inglês não são, normalmente, as melhores. Muita gente acha que simplesmente passar uma semana na capital britânica já vai resolver qualquer dificuldade com o idioma, mas isso não é verdade. O ensino de qualidade pode ser a diferença entre melhorar 5% e 50%.

2. Prefira escolas de inglês com poucos brasileiros

Muitas escolas de inglês em Londres estão lotadas de brasileiros.

Embora essa característica possa servir de alento para quem está levemente inseguro em enfrentar uma cultura diferente da sua, você deve evitar ao máximo.

Um número grande de brasileiros na sala significa maior probabilidade de usar o português e, assim, desperdiçar inúmeras oportunidades de conversação em inglês.

Lembre-se: quanto mais estrangeiros na escola, melhor para o seu inglês.

3. Verifique o selo de aprovação do British Council

Essa garantia de qualidade envolve inúmeros critérios de avaliação e é uma maneira de ter maior certeza de que o inglês será ensinado por professores capacitados, que a escola conta com uma infraestrutura adequada, que o método de ensino é eficaz e que a instituição trata bem seus estudantes.

4. Investigue os tipos de cursos

Estudar em escolas de inglês em Londres envolve, sim, um investimento considerável. Então, é preciso aproveitar ao máximo a experiência.

Por isso, vale a pena ficar atento a possibilidades de cursos que envolvam o inglês e sua área de atuação, por exemplo, e até cursos voltados para o exame de Cambridge, uma distinção que conta muitos pontos no currículo de qualquer um no Brasil.

5. Busque escolas com boa localização

Além de descobrir as melhores opções de ensino do inglês na cidade, você deve também tomar cuidado com a localização dessas instituições.

Uma alternativa muito longe do centro ou de sua hospedagem pode significar tempo demais perdido no trânsito, e cada minuto experimentando a cultura inglesa faz diferença.

Uma das principais preocupações para quem considera fazer um intercâmbio em Londres é o valor alto da libra, que pesa sobre o real. Isso porque, além de arcar com o  investimento da escola de idiomas, é preciso também lidar com as despesas relacionadas ao custo de vida na Inglaterra.

Estudar em Londres

Custo das escolas e cursos de inglês em Londres

A cotação da libra esterlina pode até assustar quem planeja um intercâmbio em Londres. Mas, se você já fez um curso de inglês no Brasil, sabe que o investimento nem sempre vale a pena.

Em algumas escolas no Brasil, os professores falam português demais.

Em outras, os alunos conversam entre si ignorando o inglês.

E em muitas delas, o nível de inglês dos professores é bem inferior ao desejado.

Agora, vamos inverter a história. Imagine pagar um pouco mais caro pelo ensino e contar com professores nativos da Inglaterra, alunos de todas as partes do mundo falando inglês e um ambiente que o leva a mergulhar de cabeça na cultura inglesa do início ao fim do dia.

Pronto, quanto vale essa experiência? Então, ficou animado para planejar hoje mesmo seu intercâmbio? Quer conhecer quais são as melhores escolas de inglês em Londres de acordo com as suas necessidades?

Peça um orçamento grátis

Vamos deixar aqui as informações de contato da Global Active Study, que pode ajudar você a concretizar esse sonho incrível. 

Contato: Luciano Baldauf

Site: http://globalactivestudy.com/

E-mail: [email protected]

Whatsapp:  +44 7540 493549

Skype: lucianointercambios

Se preferir, peça direto um orçamento para o seu curso de inglês em Londres:

Seu nome (obrigatório)

Seu e-mail (obrigatório)

Idade:

Cidade/estado:

Duração do curso estimada:

Início:

Que tipo de curso você procura?

10 Lugares para fotografar em Londres: Como fugir do óbvio

1

Se você está procurando lugares para fotografar em Londres, chegou ao lugar certo.

Os lugares óbvios você já conhece, né? Big Ben, London Eye, Palácio de Westminster e muitos outros.

Sobre esses ícones de Londres, pouco adianta falar. É impossível não tirar o celular para fora do bolso ou sacar sua câmera e disparar tantas fotos quanto possível.

Mas e quanto aos locais menos conhecidos, aquelas gemas que não estão nos guias turísticos tradicionais?

Londres é uma cidade tão grande, tão imponente, tão impressionante, tão cheia de história, que fica impossível captar todos os seus belos contornos.

Por isso, neste post, o fotógrafo Victor Guidini apresenta 10 sugestões de lugares para fotografar em Londres e fugir do tradicional.

10 lugares para fotografar em Londres

Confira abaixo lugares e detalhes que não estampam os cartões postais de Londres:

1. St Dunstan-in-the-East

Fotos: Victor Guidini

Esta igreja foi construída em  torno de 1100 e já passou por muita coisa. Desde o grande incêndio de Londres, inúmeras reformas… até bombas alemãs da segunda guerra, que deixaram a igreja no atual estado. Fica localizada entre a Tower Bridge e a London Bridge. É um lugar bacana tanto para fazer retratos, como para fotografar as ruínas.

2. Leadenhall market

Este mercado é um dos mais antigos de Londres, construído em torno de 1400. Já foi cenário para várias produções cinematográficas e musicais, entre eles Harry Potter e a Pedra Filosofal. Destino certo para os fãs do filme.

3. Camden

É um distrito que apresenta muita música e ideias alternativas, entre elas paredes cheias de grafite, que rendem belas fotos.  Outro lugar com muito grafite é a região de Brick Lane e a Leake Street.

4. Battersea Park

É um parque geralmente deixado de lado pelos turistas, mas bastante frequentado pelos locais. Tem muita variedade por lá, belos jardins, uma pagoda, um lago, pontes, e tudo isso as margens do rio.

5. Canais de Londres

Londres possui vários canais para fotografar. Recomendo fazer um passeio, sempre com a câmera na mão, entre Little Venice e Camden, passando pelo Regent’s Canal.

6. Hampstead Garden e Pergola

Fica ao norte de Londres e um pouco mais afastado para chegar lá, mas compensa a viagem. Foi construído em torno de 1904 por um lorde que morava na região e queria um jardim para dar festas, assim como passar os longos dias de verão. Depois que o lorde morreu o lugar ficou abandonado e foi até atingido por bombas na Segunda Guerra Mundial. Atualmente está em reforma, mas aberto ao público.

7. Ruas de Westminster

Próximo ao famoso Big Ben e a Abadia de Westminster, existem várias ruas bem inspiradoras para fotografar. Basta dar uma circulada indo para a direção de Pimlico e você vai encontrar lugares surpreendentes.

8. Estação de King’s Cross

Para quem quiser fotografar formas geométricas bem interessantes, a estação de Kings Cross é um prato cheio.

9. Cemitérios de Londres

Sim, certamente um lugar bem alternativo.  Os cemitérios de Londres são bem peculiares, muitos dignos de cenários de filmes. Se este estilo te agrada, um dos cemitérios mais interessantes de Londres é o Cemitério de Nunhead, ao sul da capital. Nas colinas próximas ao cemitério você também consegue fotos bem bacanas de Londres.

10. Rio Tâmisa

Caminhando ao longo do Rio Tâmisa você vai encontrar vários lugares bem interessantes. Se puder levar um tripé com você, vale muito a pena fazer algumas fotografias de longa exposição.

Dicas para fotografar em Londres

Veja algumas dicas para fotografar o melhor da capital britânica:

  • Ao entrar em algum dos museus de Londres, não esqueça de prestar bastante atenção ao que não está à mostra. Detalhes das paredes, pinturas no teto, adereços quase imperceptíveis… A National Gallery e o Museu Britânico, por exemplo, oferecem muitas oportunidades de foto.
  • Tome cuidado para fotografar apenas em lugares permitidos. A maioria dos museus permite fotografias sem flash, mas as igrejas e os palácios de Buckingham e Westminster, não. Por isso, fique atento e obedeça às plaquinhas e sinalizações.
  • Fotografe alguns dos lugares de Londres à noite. Com as sombras e luzes da cidade, suas fotos vão ganhar ainda mais vida.
  • Aproveite o clima de Londres: a chuva propicia belíssimas imagens e reflexos, e a primavera oferece verdes e floridos que servem de moldura para qualquer foto.

Ensaios fotográficos em Londres

Quer ainda mais dicas e lugares para fotografar em Londres?

Meu nome é Victor Guidini e trabalho como fotógrafo em Londres. Moro na capital da Inglaterra desde 2012 e venho fotografando pela cidade desde então. 

Se você quiser saber mais sobre meu trabalho, fazer um ensaio fotográfico comigo ou um passeio fotográfico por Londres, basta entrar em contato pelo meu websiteVocê também pode escrever diretamente para [email protected] ou mandar uma mensagem pelo WhatsApp para +44 7460738617.

Fotos e textos: Victor Guidini

Victor viajou para Londres para cursar um Mestrado em Cinema e gostou tanto  da cidade que resolveu ficar. Trabalha com filmagens, fotografias e produções audiovisuais em Londres e em toda a Europa.

Mestrado em Londres: veja como conseguir bolsa de estudos

1

Mestrado em Londres é um sonho. Mas e se a gente contasse que uma bolsa de estudos pode torná-lo realidade?

Sim! Mesmo que o valor da libra possa intimidar à primeira vista, hoje é possível encontrar alternativas de bolsas com até 50% de desconto e ter acesso às melhores universidades britânicas com investimentos adaptáveis ao seu orçamento.

Quer saber mais sobre as oportunidades para cursar seu mestrado em Londres?

Siga a leitura e confira.

Com o visto Tier 4, é possível trabalhar e estudar na Inglaterra. Foto: iStock, Getty Imageslhar

Por que fazer mestrado em Londres?

Se você chegou até aqui, provavelmente já definiu em sua mente alguns critérios para eleger Londres como o destino do seu mestrado.

O que vamos fazer agora é confirmar os motivos pelos quais, realmente, a capital inglesa é a melhor opção para quem deseja aliar uma qualificação de excelência com experiências culturais incomparáveis.

Na verdade, a parte mais difícil é decidir por onde começar a explicar todos os atrativos que Londres apresenta para quem a procura como destino para seus estudos. Por isso, decidimos elencar os principais em cinco tópicos:

1. Londres é uma megapotência mundial

Estamos falando da capital do Reino Unido, do berço do rock’n’roll, da cidade dos casamentos reais que fazem manchetes no mundo inteiro.

Fazer mestrado em Londres é sinônimo de obter uma formação em um dos principais centros financeiros, tecnológicos e científicos do globo!

2. Londres é um caldeirão cultural

Você sabia que, do total da população de estudantes em Londres, cerca de 33% são alunos internacionais, vindos dos quatro cantos do mundo?

Para quem está com foco no mestrado e no mercado de trabalho, trata-se de uma oportunidade de ouro para fazer networking e descobrir oportunidades de negócios incríveis!

3. Londres é o berço da Língua Inglesa

Brasileiros que cursam um mestrado em Londres retornam com um nível de domínio do idioma inglês muito acima da média.

Simplesmente porque, no decorrer do mestrado, você respira a Língua Inglesa 24 horas por dia. Aliás, sabia que o inglês é um idioma que nasceu em solo britânico, a partir de influências que começaram na colonização romana?

4. Londres é repleta de pontos turísticos incríveis

Imagine sair da sua aula de mestrado e relaxar em um pub, curtir o ar fresco de um parque, contemplar obras de artes em um museu, assistir a um musical ou a um show de rock?

Londres é uma cidade efervescente e simplesmente nunca vão faltar oportunidades culturais incríveis para aproveitar durante o seu tempo livre.

Aqui no Mapa de Londres, você encontra inúmeros posts sobre atrações e pontos turísticos de Londres.

5. Londres é segura e possui um transporte público eficiente

A realidade da vida em Londres é muito diferente na realidade que vivemos no Brasil. Se aqui quase todas as pessoas optam pelo carro, na capital britânica a realidade é oposta.

O transporte público – especialmente o metrô e os ônibus – atendem perfeitamente às necessidades dos cidadãos. Você pode se locomover com segurança e tranquilidade!

Mestrado em Londres com bolsa de estudos

Neste momento, você deve estar ainda mais apaixonado pela ideia de cursar seu mestrado em Londres. Então, prepare-se para conferir a melhor novidade que guardamos para apresentar neste post:

Com a Global Active Study, nossa agência parceira do Mapa de Londres, você pode cursar seu mestrado na Terra da Rainha com até 50% de desconto no valor total do curso. Para se ter uma ideia, por intermédio da bolsa, você fazer o mestrado completo por cerca de 7.500 libras, em uma universidade de ponta.

A parceria que viabiliza o enorme desconto no mestrado foi firmada com a Northumbria University London Campus, uma das instituições que é referência em cursos de tecnologia e negócios.

Situada no coração da cidade, pertinho da estação Liverpool Street – distrito onde ficam grandes empresas do setor de tecnologia e finanças -, ela oferece significativas vantagens aos estudantes.

Além de programas de mestrado para diferentes áreas, a Northumbria conta com salas de aula modernas e espaços de convivência para que estudantes do mundo inteiro possam interagir, trocar experiências, insights e ideias.

Não é à toa que, segundo o levantamento DLHE 2015/2016, a universidade entrou no TOP 10 do Reino Unido em ranking de alunos que ingressaram no mercado de trabalho.

Dê uma olhada neste vídeo:

Requisitos para o mestrado na Northumbria University

Então, ficou empolgado com a oportunidade incrível de curar seu mestrado em Londres na Northumbria? Veja, abaixo, as principais informações sobre o programa, que tem duração de um ano.

Mestrados contemplados

  • MSc Computer Science
  • MSc Cyber Security
  • MA Design Management
  • MSc Global Logistics, Operations and Supply Chain Management
  • MSc Project Management
  • MA Luxury Brand Management
  • MSc Digital Marketing
  • MSc Business with Marketing Management
  • MSc Business with Entrepreneurship
  • MSc Business with Financial Management
  • MSc Business with Human Resource Management
  • MSc Business with International Management.

Valor total com bolsa de 50%: 7.500 libras

Requisitos para o programa

  • Candidato precisa ter IELTS 6.5 ou passar no teste interno de inglês da faculdade
  • Visto Tier 4 General Student, com permissão de trabalho.

Quem faz mestrado tem permissão de trabalho em Londres

Viu só que oportunidade incrível para aprimorar sua formação em uma das cidades mais apaixonantes do mundo, em áreas que estão repletas de demanda no cenário corporativo?

Nós sabemos que, mesmo com um desconto expressivo de 50%, o valor da libra ainda é intimidante para nós, brasileiros. Mas isso não é motivo para desistir do sonho do mestrado.

Sabe por quê?

Porque, ao cursar mestrado em Londres, você terá direito ao Visto Tier 4 – o famoso visto de estudante. Com ele, você poderá trabalhar legalmente no país (em part time jobs de até 20 horas por semana) e, com isso, bancar os custos de se manter por lá durante o mestrado. Assim, tudo fica mais fácil!

E para solicitar esse visto, a Global Active Study dá uma assessoria completa para facilitar o seu trabalho. Solicite um orçamento e peça mais informações:

Faça o seu mestrado em Londres

Seu nome (obrigatório)

Seu e-mail (obrigatório)

Idade:

Cidade/estado:

Duração do curso estimada:

Início:

Que tipo de curso você procura?

Ou saiba mais sobre a Global Active Study.

Gostou de conhecer a Northumbria e descobrir um pouco mais sobre as possibilidades de estudar em Londres? Se tiver dúvidas, deixe um comentário!

E, claro, aproveite para compartilhar este artigo com todos seus amigos que sonham com o mestrado em Londres. 🙂

Sugestões de destinos para intercâmbio na Europa

0

Quer fazer um intercâmbio na Europa e está em dúvida de qual país escolher?

O Velho Continente é um dos caminhos mais interessantes para quem quer estudar no exterior, tanto para dominar uma língua estrangeira quanto para cursar mestrado, doutorado ou especialização.

Em um intercâmbio na Europa, o aluno tem contato com uma cultura riquíssima e colegas de todas as partes do mundo.

Há destinos para todos os gostos e línguas, de Inglaterra e França, tradicionais, a opções menos comuns, como Hungria e Polônia, no Leste Europeu.

Em alguns desses países, é possível trabalhar durante o período de estudos, enquanto em outros a possibilidade de emprego legal não existe ou fica bem limitada.

Londres
Londres é um dos destinos mais procurados por estudantes. Foto: iStock, Getty Images

Por que fazer intercâmbio na Europa?

Ainda não está 100% convicto de que a Europa é o melhor destino para o seu intercâmbio?

Realmente, com tantos destinos incríveis para estudar no exterior, é preciso ir a fundo nos detalhes para ter certeza de que você vai fazer a melhor escolha, considerando os seus objetivos pessoais e profissionais.

Mas, nós precisamos reforçar: o Velho Continente é, verdadeiramente, um dos lugares mais maravilhosos do mundo. Não somente para estudar, mas também para experimentar um verdadeiro choque cultural que vai transformar você para sempre.

Confira, abaixo, três razões pelas quais vale a pena escolher a Europa como destino do seu intercâmbio:

1. Paisagens, história e cultura

A Europa é berço das mais incríveis histórias da humanidade. Estamos falando do continente onde nasceu a ciência, a música clássica, o rock’n’roll, a monarquia, o cristianismo e tantas outras religiões.

Morar e fazer intercâmbio na Europa é quase como entrar dentro de um livro de história. Já imaginou sentir, na pele, o gostinho de habitar cidades que são ultramodernas, mas com raízes seculares?

Sem falar que a Europa é abençoada por cenários espetaculares, de lagos a montanhas, que não à toa servem de pano de fundo para nossas séries e filmes favoritos.

Feche os olhos e imagine, entre uma aula e outra do seu intercâmbio, poder visitar um museu, um castelo ou até uma praia vulcânica. São prazeres que só o continente europeu proporciona.

2. Clima diversificado

Não importa se você é mais chegado no frio ou no calor. Na Europa, é possível experimentar um pouquinho de cada! Mas é claro que, para os brasileiros, a parte mais bacana é curtir o inverno rigoroso que não temos por aqui, com direito à neve nos meses que permeiam o Natal e o Ano Novo.

Quem fica por um ano inteiro na Europa ainda tem a possibilidade de curtir as estações de verão, na metade do ano, que também são uma delícia! Nos meses de julho e agosto, principalmente, os belíssimos parques se enchem de flores, as pessoas vão às ruas e ocorrem inúmeros festivais de música nos quatro cantos do continente.

A vibe é simplesmente incomparável. Você não sente algo igual em nenhum outro lugar do planeta.

3. Mobilidade fácil e rápida

Por fim, outro aspecto extremamente atraente da Europa é que o sistema de transporte é completamente eficaz: tanto entre um país e outro, quanto dentro das próprias cidades. Nas principais capitais europeias, qualquer pessoa pode facilmente se locomover com segurança e tranquilidade de metrô, trem ou ônibus.

Além disso, quem faz intercâmbio na Europa pode aproveitar para conhecer múltiplos países. Principalmente porque o trajeto de um a outro é uma barbada! Você pode percorrer o continente de trem (com direito a belíssimas paisagens) ou através de voos super baratos com companhias low cost.

Em resumo: quando você faz um intercâmbio no Velho Continente, fica muito mais fácil conhecer a cultura não só de um, mas de vários países.

Tipos de intercâmbio na Europa

Você já refletiu sobre qual tipo de intercâmbio na Europa gostaria de fazer? A verdade é que há diversas alternativas de cursos à disposição, seja para aperfeiçoar um idioma estrangeiro, completar a formação superior ou até buscar uma qualificação acadêmica mais competitiva para conquistar as melhores oportunidades no mercado de trabalho.   

Em todos os cenários, isto é fato: com um certificado ou diploma internacional, você certamente ganhará pontos extras no currículo – e voltará transformado, com inúmeras experiências incríveis acumuladas na bagagem.

Ok, mas quais são, então, os principais tipos de intercâmbio na Europa?

Veja, abaixo, nossa seleção:

1. Intercâmbio de Línguas

Esta costuma ser a primeira opção de quem começa a buscar alternativas para estudar no exterior. O intercâmbio de línguas, muito comum na Europa, possibilita ao estudante vivenciar o idioma em aulas práticas, dialogando com outros colegas do mundo inteiro! A dinâmica das aulas contempla desde a parte da gramática, até a expressão oral.

No Brasil, não é tão comum vermos escolas focadas em ensinar nosso idioma, mas nas grandes cidades europeias é bem fácil encontrar diversos centros de ensino à disposição – ainda mais em cidades como Londres, Itália, França, Alemanha e Espanha.

Além disso, há programas de formação mais rápidos e intensivos (4 semanas) e outros mais longos (de até um ano). Vale ressaltar que não existe limite de idade para fazer um curso de línguas.

Muitos adolescentes, de 14 a 18 anos, optam pelo intercâmbio de idiomas para ter sua primeira experiência de estudo no exterior. Mas as escolas recebem pessoas de todas as idades!

2. Intercâmbio de Graduação

Na Europa, o intercâmbio de graduação é uma alternativa interessante para estudantes que almejam uma formação de excelência pautada por uma visão global.

Já imaginou cursar toda a faculdade em um ambiente que recebe alunos do mundo inteiro, em um continente que é simplesmente o berço da cultura ocidental?

Você não precisa ter nenhuma dúvida de que fazer um intercâmbio de graduação no exterior será uma escolha certeira não só para a sua carreira, mas também uma experiência de vida sem comparação.

Na Europa, há universidades de ponta que oferecem cursos com grade curricular focada nas mais diferentes áreas de atuação, por exemplo:

  • Negócios
  • Moda
  • Turismo
  • Design
  • Saúde.

Apenas para citar algumas! Sabemos que um intercâmbio de graduação na Europa contempla um investimento mais expressivo.

Mas a boa notícia é que, por intermédio de agências que já possuem parceria consolidada com diversas instituições de ensino no exterior, como Global Active Study, você pode conseguir descontos significativos e excelentes condições de parcelamento no valor do curso.

3. Intercâmbio de Pós-Graduação

Se o seu foco é 100% o mercado de trabalho e você está em dúvida sobre qual intercâmbio escolher, uma excelente alternativa é o intercâmbio de Pós-Graduação.

Um mestrado na Europa, por exemplo, leva o seu currículo a um novo patamar.

Trata-se de uma modalidade perfeita caso você queira passar um período na Europa para realmente mergulhar na sua área de atuação.

É claro que alternativas de cursos de Pós-Graduação fantásticas não faltam no Velho Continente. Você pode encontrar desde grades curriculares com um formato mais intensivo, até programas de mestrado com duração de dois anos ou mais.

Vale lembrar que a Europa abriga alguns dos centros financeiros e tecnológicos mais importantes do mundo!

Já imaginou cursar sua Pós em uma cidade como cosmopolita e efervescente como Londres, Paris ou Roma?

Tanto para quem atua na área de negócios, quanto para profissionais do design, da moda ou da comunicação, aprimorar o currículo na Europa é garantia de um enorme diferencial competitivo. E de uma experiência inesquecível, claro.

Se você se interessa por algumas das áreas mencionadas, vale a pena consultar as parcerias que a Global Active Study possui com os mais importantes centros de referência em Pós-Graduação na Europa.  

4. Intercâmbio de Cursos Técnicos

Por fim, o último tipo de intercâmbio na Europa é um dos mais interessantes: o de cursos técnicos ou short courses. 

Se você morre de vontade de curtir o clima europeu e se aperfeiçoar no domínio de alguma habilidade específica referente à sua área de atuação, essa pode ser a solução!

Os Cursos Técnicos representam uma alternativa interessante, especialmente, para os profissionais que querem passar um período mais curto fora do Brasil, ou que ainda não têm a possibilidade de investir em um programa completo de Pós-Graduação.

No contexto citado, a formação técnica simboliza uma opção que pode ser encaixada mais facilmente no orçamento.

Ah! E vale salientar: um Curso Técnico na Europa não perde para uma Pós em qualidade, viu?

Destinos para o seu intercâmbio na Europa

Confira a seguir algumas ideias para o seu período de estudos na Europa e dicas sobre os destinos:

Inglaterra

Aprender inglês em Londres
Londres é um dos principais destinos de intercâmbio na Europa. Foto: iStock, Getty Images

A Inglaterra é a primeira da lista para o intercâmbio na Europa. E não é por acaso. Para começar, é o berço da língua inglesa, o que a torna um dos melhores destinos para brasileiros em busca de aperfeiçoamento no idioma mais importante do planeta.

Até pouco tempo atrás, a terra da Rainha era conhecida pelos intercambistas como um destino para estudar e aprender inglês mais do que para fazer graduação, mestrado e doutorado.

Mas além dos vários cursos e possibilidades para estudar a língua nativa do país, as universidades inglesas, como Oxford e Cambridge, estão entre as melhores do mundo.

Os ingleses estão entre os que mais produzem ciência em todo o mundo. A qualidade das universidades, a diversidade de cursos e as várias bolsas oferecidas tanto pelas faculdades locais como organizações e governos têm atraído cada vez mais brasileiros.

Além de todas as facilidades, as maiores cidades inglesas, principalmente Londres e Manchester, são metrópoles globais e cosmopolitas. São cidades que abrigam culturas e povos diversos, o que as tornam receptivas aos estrangeiros, até mesmo nos tempos atuais em que o povo inglês anda meio dividido.

Então, se você considera a possibilidade de um intercâmbio na Inglaterra, imagine como seria sua vida de estudante na capital britânica.

Londres tem muito a oferecer:

  • Um dos melhores transportes públicos do mundo
  • Acesso a gratuito a alguns dos melhores e maiores museus do planeta
  • Entrada grátis em exposições e galerias com o melhor das artes
  • Professores nativos e imersão total na língua inglesa
  • Vida noturna ilimitada
  • História por todos os cantos.

cta - Estudar em Londres

Irlanda

Dublin - Cidades da Europa
Dublin é uma pequena Londres cheia de história e atitude. Foto: iStock, Getty Images

Na mesma linha da Inglaterra, a Irlanda é um destino muito requisitado. Um fator adicional em relação a Inglaterra e com certeza um dos mais importantes é o preço.

A Irlanda é mais barata do que o Reino Unido, e ao mesmo tempo oferece uma grande experiência para os intercambistas.

Além de oferecer a oportunidade para estudo do inglês, os irlandeses também possuem boas universidades e é um país extremamente seguro. A moradia em especial é muito mais conveniente por lá do que na maioria dos outros países mais desenvolvidos da Europa.

Na Irlanda, todo estudante pode trabalhar 20 horas por semana, para bancar sua vida por lá.

Portugal

Vista da Ponte D. Luís e do Rio Douro é apaixonante. Foto: iStock, Getty Images

Portugal também não tem como ficar fora da lista. Na terra de Cristiano Ronaldo, os brasileiros são a maior população estrangeira residente no país. O principal local de origem dos intercambistas em portugal também é o Brasil.

A grande facilidade, como você deve estar adivinhando, é a língua e a proximidade cultural.

Brasil e Portugal possuem uma ótima relação diplomática, são bons parceiros comerciais e possuem vários programas para intercâmbio estudantil e de pesquisa.

Os órgãos de fomento brasileiros como CNPq e Capes possuem bolsas para portugal, que já foi inclusive o mais procurado do famoso programa Ciências Sem Fronteiras. Algumas universidades têm acordos para usar o Enem como processo seletivo para alunos brasileiros.

As universidades de Lisboa, do Porto e de Coimbra são as mais procuradas pelos brasileiros, e também as melhores de Portugal. De quebra, é um país lindo e surpreendentemente barato de se viver para os padrões europeus.

Espanha

Castelo de Coca - Castelos medievais na Europa
Espanha é uma terra cheia de contrastes e cultura. Foto: iStock, Getty Images

Tal como Portugal, a Espanha também é beneficiada pela proximidade linguística e cultural com o Brasil. Também foi um dos países que mais recebeu intercambistas do Ciências Sem Fronteiras.

Algumas de suas cidades, principalmente Barcelona e Madri, são apontadas como as melhores do mundo para se viver e estudar. São procuradas não só por brasileiros mas também por estudantes de todo o mundo.

A possibilidade de ficar fluente no espanhol (ou quase) também é muito atrativa. Além de tudo, a Espanha tem fama de ser um país de clima mais quente e de ter um povo também mais caloroso do que os vizinhos do centro-norte europeu. Ah, Sim! As universidades também são de ponta e há vários programas para estudar epanhol e a cultura local.

Alemanha

Brandemburgo
Berlim é um dos ótimo destino para o intercâmbio na Europa. Foto: iStock, Getty Images

A Alemanha não apresenta a mesma proximidade linguística e cultural que os países anteriores. No entanto, trata-se de um dos países mais desenvolvidos da Europa, a maior economia e a maior indústria do continente.

Se por um lado a paixão pela língua alemã não é tão grande entre os brasileiros, há uma grande procura por oportunidades de trabalho, estágio e intercâmbio estudantil no país. As regiões do sul do Brasil originárias de colônias alemãs são tradicionais fontes de intercambistas brasileiros. Mas universidades de todo o país também possuem parcerias com os alemães.

Muitas empresas de origem germânica estão instaladas no Brasil e a possibilidade de trabalhar em uma delas também é um fator de atração para os brasileiros. Certamente é um país a ser estudado na hora de decidir onde fazer intercâmbio. A Alemanha possui a DAAD, maio organização financiadora de bolsas de todo o mundo. Confira aqui alguma das oportunidades.

França

Paris - Londres
É difícil não se apaixonar pelo charme de Paris e da França04. Foto: iStock, Getty Images

A França guarda semelhanças com a Alemanha como destino para o intercâmbio na Europa.

Um país de ponta na Europa, ótimas universidades e bons programas de bolsa e de intercâmbio. Também oferece boas oportunidades de estágio internacional e várias indústrias e empresas francesas possuem ótima relação com o Brasil.

Além de tudo isso, a França conta a seu favor o seu apego como destino turístico. Paris é uma das cidades mais requisitadas do mundo para se estudar e trabalhar. A possibilidade de viver numa das cidades mais belas do mundo certamente é um fator de atração para os intercambistas brasileiros.

No entanto, é importante ficar atento aos preços. O custo de vida na França, especialmente em Paris, é alto e pode ser um empecilho dependendo da sua disposição financeira.

Intercâmbio no Leste da Europa

Por fim, é legal ressaltarmos também a crescente onda de procura por países do leste europeu. Destinos como Hungria, República Checa e Polônia são cada vez mais procurados por brasileiros. E existem muito boas razões para isso.

O leste europeu possui custo de vida muito mais em conta do que países como França e Alemanha. O custo com moradia principalmente é muito mais palatável, e por ser um dos principais preços num intercâmbio, é um fator que conta muito a favor.

Além disso, são países seguros, com culturas locais menos propagandeadas e bem diferentes. A possibilidade de conhecer um lugar distinto dos destinos tradicionais também tem feito a cabeça de muitos brasileiros.

E você, em qual país pretende fazer seu intercâmbio na Europa? Deixe um comentário.

Somerset House de Londres: visitas, história e curiosidades

15

A Somerset House é um palácio neoclássico situado entre a Strand e o Rio Tâmisa, no Centro de Londres. Trata-se de um centro cultural e artístico que abriga exposições e promove apresentações de grandes artistas durante todo o ano.

O lugar também é conhecido pela beleza de seu prédio, pelas sessões de cinema ao ar livre no verão e pela grande pista de patinação no gelo, que anima turistas e locais durante o inverno. Um dos espaços mais espetaculares e mais adorados da cidade, a Somerset House é frequentada por 3 milhões de visitantes todos os anos.

Além de oferecer uma programação pública diversificada de arte e cultura contemporânea, a casa também abriga uma grande comunidade de empresas da indústria criativa, artistas e criadores.

Construída para Edward Seymour, Duque de Somerset, a construção da Somerset House começou em 1547. A versão atual, porém, remonta a 1776. Por trás de suas exibições, cinema e pista de gelo estão alguns fatos históricos menos conhecidos sobre a casa. Conheça um pouco dessa história no post de hoje.

somerset house

Somerset House, uma casa cultural

De suas origens do século 18, a Somerset House tem sido um centro de debate e discussão, incluindo a primeira casa da Royal Academy of Arts e outras sociedades científicas – uma potência intelectual para a nação.

Por mais de 200 anos, o prédio abrigou vários departamentos governamentais para até mesmo nascimentos, casamentos e mortes. Depois de uma campanha para abrir a Somerset House ao público, voltou a ser uma casa de artes e cultura em 2000.

No final do século XX, o edifício foi revigorado como centro de artes visuais. A primeira instituição a chegar foi o Courtauld Institute of Art, incluindo a Courtauld Gallery, a qual tem uma importante coleção dos antigos mestres e pinturas impressionistas. No final da década de 1990, o pátio principal deixou de ser um parque civil, e o terraço principal sobre o Tâmisa foi remobilado e aberto ao público.

Um centro de visitantes realiza exposições visuais sobre a história do edifício; uma loja e um café estão abertos na ala sobre o rio. A coleção de artes decorativas Gilbert Collection, e as salas Hermitage, as quais apresentam obras cedidas pelo Museu Hermitage, de São Petersburgo, mudaram-se para a mesma área. A Ala Este está amplamente ocupada pelo departamento de música do King’s College de Londres.

No inverno, o pátio central cede o espaço a um espaço de patinação no gelo ao ar livre. No resto do ano, uma fonte exibe jatos de água verticais com alturas aleatórias.

Como visitar a Somerset House

Estação: Temple (Circle e District Lines)

Localização no Google Maps

Visitação: diariamente, com exceção do dia 25 de dezembro.

Horários da galeria: Segunda, terça, sábado e domingo, das 10h às 18h. Quarta, quinta e sexta, das 11h às 20h.

As galerias com acervo permanente têm acesso gratuito, mas a Courtauld Gallery e mostras temporárias cobram ingresso.

Horários da Courtauld Gallery: diariamente, das 10h às 18h.

Ingressos para a Courtauld Gallery: 8 libras.

As fontes são ligadas na primavera e no verão.

Curiosidades sobre a Somerset House

Confira abaixo alguns fatos curiosos sobre a Somerset House:

Catolicismo secreto

Depois que a rainha Henrietta Maria passou a residir em Somerset House, em 1625, com Charles I, a casa foi redecorada em sua homenagem. Ela insistiu em uma capela católica romana, embora o país fosse fortemente protestante. Além disso, a rainha pediu permissão para realizar enterros católicos para sua equipe que secretamente compartilhou sua fé. Essas lápides e tumbas permanecem sob o Tribunal da Fonte Edmond J Safra atualmente.

Os 4 continentes

As quatro estátuas da ala norte da Somerset House foram construídas em 1778 e representam os continentes conhecidos da época: Ásia, África, Europa e América. Por que a estátua da América carrega uma lança? É uma alusão à guerra que acontecia entre a Grã-Bretanha e a América.

Cena de filme

No final do filme A Lenda do Cavaleiro sem Cabeça (1999), Ichabod Crane retorna a Nova York com Katrina van Tassle e Young Masbeth, e eles caminham juntos pela rua. Só que não é Nova York – a cena foi filmada na Somerset House. Outros filmes que tiveram este espaço como pano de fundo incluem Simplesmente Amor, 007 Contra Golden Eye e A Duquesa.

Cinema ao ar livre

A nossa dica para o verão londrino é aproveitar e assistir a um filme na magnífica Somerset House. O festival está de volta este ano em agosto, exibindo uma mistura de estreias, sucessos recentes e filmes icônicos. Mais de 2.000 amantes do cinema enchem o pátio do prédio histórico todas as noites.

Os filmes começam às 21h, por isso é bom chegar cedo (as portas abrem às 18h30). Dessa forma, você pode escolher um bom local e ir absorvendo toda a atmosfera com um piquenique (sem garrafas de vidro) enquanto escuta os DJs tocando músicas inspiradas no filme. E traga uma almofada – as pedras não são nada confortáveis!

Todos os filmes da programação deste ano refletem sobre o tema “sonhos, fantasias, noites e devaneios”. Confira os títulos e suas respectivas datas:

  • The Wife – estreia no Reino Unido, 9 de agosto
  • A Origem, 10 de agosto
  • Labirinto + O Mágico de Oz, 11 de agosto
  • Rebecca, 12 de agosto
  • Quero Ser John Malkovich, 13 de agosto
  • A Um Passo do Estrelato, 14 de agosto
  • Carol, 15 de agosto
  • Veludo Azul, 16 de agosto
  • La Belle et la Bête + Noiva de Frankenstein, 17 de agosto
  • O Vingador do Futuro + A Hora do Pesadelo, 18 de agosto
  • A Bela Adormecida, 19 de agosto
  • Me chame pelo seu nome, 20 de agosto
  • Selma, 21 de agosto
  • American Animals – estreia no Reino Unido, 22 de agosto

Os ingressos custam £ 19,75 ou £ 22,75 para contas duplas e costumam ser vendidos rapidamente, por isso não perca tempo. Corra para o site da Somerset House e reserve os bilhetes dos filmes que mais chamaram a sua atenção.

A história da Somerset House

A construção inicial da Somerset House custou 10 mil libras e exigiu a demolição de muitas igrejas e casas, o que irritou as pessoas da área. Em 1552, Somerset foi executada e a casa inacabada tornou-se propriedade do rei, o jovem Eduardo VI.

No entanto, quando sua irmã Mary I tornou-se rainha após sua morte, um ano depois, Somerset House tornou-se o lar da jovem Elizabeth I. A casa foi construída no estilo de arquitetura renascentista, apresentando colunas icônicas e dóricas. Mais tarde, Elizabeth desocupou a residência durante o seu próprio reinado, usando-a apenas ocasionalmente.

Na virada do século e na coroação de James I, a Somerset House assumiu um novo papel e até mesmo um novo nome, “Denmark House”. Isso se deve à esposa de James, Anne of Denmark, preferindo o estilo de vida londrino ao invés de suas residências na Escócia.

Como amante das artes, ela contratou Ben Jonson e Inigo Jones para escrever e projetar produções teatrais ostentosas. Anne também foi responsável pela remodelação considerável da Somerset House em 1609, quando o famoso pátio de três lados foi criado.

As alterações continuaram na casa durante o reinado de Carlos I, com a adição da Capela da Rainha, uma pista de boliche e uma sala luxuosa. No entanto, em 1642, devido ao catolicismo de Charles, a guerra civil eclodiu. O edifício tornou-se então o quartel do Exército Parlamentar com o seu conteúdo vendido e o lucro destinado aos esforços da guerra.

Em 1775, após um tempo de negligência, foi tomada a decisão de derrubar o prédio e construir uma nova Casa Somerset em seu lugar. Sir William Chambers foi contratado para projetar o novo edifício que tornou-se uma residência para conselhos de artes, galerias e até mesmo o King’s College.

A Somerset House foi reparada depois de ter sido danificada durante a Segunda Guerra e hoje continua a ser um centro de criatividade, repetindo o seu uso em tempos anteriores como um centro artístico e de teatro.

E aí, gostou de descobrir mais sobre a Somerset House? Você já visitou o local alguma vez? Conte para a gente nos comentários!

Bar Cahoots recria estação de metrô dos anos 1940

0

O bar Cahoots é uma “parada obrigatória” em Londres. Você já leu essa expressão em vários sites de viagem, mas aqui ela realmente se aplica: o lugar recria uma estação de metrô dos anos 1940.

Trata-se de uma jornada ao passado. Para quem adora Londres, o metrô mais antigo do mundo e um pouquinho de mistério, não há bar mais indicado.

Bar Cahoots Londres
Ambiente transporta o viajante para outra época. Fotos: Mapa de Londres

Como é o Bar Cahoots

O Cahoots, em Londres, é um bar temático que se propõe a reacender o espírito britânico logo após a Segunda Guerra Mundial.

A proposta é tão interessante, que vale a pena ilustrar.

Bom, a primeira parte a gente sabe assim que dá de cara com a decoração: o estabelecimento recria uma estação de metrô do pós-guerra.

Mas os elementos temáticos sugerem um pouco mais do que isso. A ideia é que você está entrando em uma estação desativada que foi transformada em um barzinho ilegal mantido por espíritos transgressores que estão a fim de deixar os escombros bélicos para trás e dar as boas-vindas a uma nova era de música alta, alegria e high spirits.

E essa proposta faz muito sentido, porque várias estações de metrô foram de fato usadas por londrinos como refúgio durante a Segunda Guerra Mundial. O álcool é licença criativa.

Além disso, o local onde fica o bar, segundo os criadores, teria sido utilizado como abrigo temporário  ao longo da guerra e da blitz de 1940.

Bar Cahoots em Londres

A experiência no bar Cahoots

Tudo começa com uma reserva pelo site. Sem ela, você não vai encontrar o bar nem conseguir entrar, porque precisa de uma senha.

Ao chegar à rua indicada, na Kingly Court, no Soho, não se desespere se não achar referência ao nome Cahoots.

Tudo que você verá é uma plaquinha em um beco com a seguinte indicação: “To the trains“.

É para lá que você deve ir. Na chegada, um segurança vai perguntar a senha, que você deve ter guardado no e-mail de confirmação da reserva (ou memorizado).

Ao entrar no bar, o visitante é transportado no tempo para a década de 40, sobretudo 1946, quando a guerra havia recém terminado.

Por meio de uma passagem que se parece com a entrada de uma estação de metrô, o visitante é conduzido a um ambiente inspirado nos eventos do pós-guerra na Inglaterra.  

Lá, você poderá beber drinks populares da época (os drinks são ótimos!!), dançar swing e participar de cantorias coletivas ao redor de um piano antigo. Trata-se de um verdadeiro resgate do clima predominante no período.

Bar Cahoots em Londres

A decoração não deixa a desejar: tudo é pensado para reproduzir o pós-guerra. O cardápio, por exemplo, vem no formato de jornal! Outro detalhe: os atendentes utilizam as vestimentas da época.

Algumas das mesas ficam em malas e baús dentro de um vagão do metrô. Para onde quer que você olhe, há referências ao underground: placas de trens, mind the gap, horários e nomes das linhas.

Bar Cahoots em Londres

O destaque vai para os fins de semana no Cahoots. Aos sábados à tarde, ocorre um piquenique, em que as mesas recebem cestos cheios de doces e comidinhas. Tudo, é claro, acompanhado de drinks.

Já aos domingos à tarde os visitantes podem apreciar uma seleção de doces do pós-guerra com coquetéis variados. Os dois dias são embalados por música ao vivo.

Ou seja, vá preparado para um ambiente animado e nostálgico e descubra um pouco mais sobre a vida dos londrinos em tempos passados. Se estiver inspirado, vá uma roupa com estilo dos anos 40 para tornar a experiência ainda mais especial.

Como visitar o bar Cahoots

Já incluiu o Cahoots no seu roteiro de Londres? Então, esteja preparado para a brincadeira. Na entrada do bar, um atendente trajado com vestimentas de época lhe perguntará se você tem a passagem para andar no metrô.

Na verdade, ele estará perguntando se você tem uma reserva no bar. Por isso, antes de visitar o Cahoot, é necessário fazer uma reserva no site para garantir o seu lugar. Você pode tanto agendar uma visita durante a semana quanto aos fins de semana, nas programações especiais.

O bar fica no Soho, próximo da Regent Street, uma das maiores ruas destinadas a compras de Londres, e de Piccadilly Circus.

Endereço: 13 Kingly Court, London W1B 5PW

Horários: Segunda a quarta, das 17h à 1h. Quinta, das 16h às 2h. Sexta, das 16h às 3h. Sábado, das 13h às 3h. Domingo, das 15h à meia-noite.

Estações de metrô: Piccadilly Circus Circus (linhas Bakerloo e Piccadilly), Oxford Circus (Bakerloo, Central e Victoria)

E aí, já visitou o Cahoots? Conte pra gente sobre a sua experiência na capital inglesa do pós-guerra nos comentários!

Linha de sucessão ao trono do Reino Unido: entenda essa tradição britânica

2

A linha de sucessão ao trono do Reino Unido sofreu diversas alterações nos últimos anos. Se você está em dúvida da posição dos novos membros da Família Real nessa história, siga a leitura.

Recentemente, o terceiro bebê herdeiro de Cambridge veio ao mundo, deixando o príncipe Harry na sexta posição na linha de sucessão ao trono.

O Príncipe Louis Arthur Charles, filho de William e Kate Middleton, nasceu no Hospital St. Mary, em Londres.

Além do casamento do príncipe Harry com a ex-atriz americana Meghan Markle, teremos ainda ,este ano o da Princesa Eugenie, prima de Harry, que também vai se casar no segundo semestre.

Atualização da linha de sucessão ao trono do Reino Unido

A linha de sucessão ao trono era determinada por descendência, legitimidade, gênero e religião. Desde 2011, a questão de gênero foi eliminada da equação.

Você sabe quais são os principais integrantes da família real que estão na linha de sucessão? Confira abaixo as 7 pessoas que estão mais próximas do trono

1. Príncipe Charles

Príncipe Charles
Príncipe Charles é um forte ativista. Foto: Arnaud Bouissou, CC0 1.0

O Príncipe Charles, o Príncipe de Gales, é o filho mais velho da Rainha Elizabeth II e o herdeiro direto do trono.  Tem 67 anos, é casado com Camilla Parker Bowles e é pai do Príncipe William e do Príncipe Harry. Muitos anos depois de seu divórcio complicado com Lady Diana, está recuperando aos poucos sua popularidade. Veja a trajetória do Príncipe Charles.

2. Príncipe William

Príncipe William, o atual Duque de Cambridge. Foto: C.C 2.0 TheMatthewSlack

O Príncipe William, o Duque de Cambridge, é o segundo membro da Família Real na linha de sucessão ao trono, atrás de seu pai, o Príncipe Charles. William é o filho mais velho de Diana, que morreu em um trágico acidente de carro quan’do ele e seu irmão Harry eram crianças. Ao lado de sua esposa, Kate, e seus dois filhos, George e Charlotte, possui enorme carisma e popularidade. Conheça a jornada de William.

3. Príncipe George

O nascimento do então bebê George, em julho de 2013, causou grande comoção. E não foi por menos: o primogênito de Kate e William um dia será o rei da Inglaterra. Quando o nascimento foi anunciado, o mundo inteiro ficou azul, inclusive as cataratas do Niágara. O príncipe tem agora quatro anos e começou a estudar na Thomas’s Battersea, em Londres, em Setembro passado.

4. Princesa Charlotte

A princesa Charlotte nasceu em 2 de maio de 2015 em meio a uma grande aglomeração de jornalistas que aguardavam por notícias do lado de fora do hospital. Em 8 de janeiro, Charlotte começou a frequentar a Willcocks Nursery School.

5. Príncipe Louis Arthur Charles

O terceiro herdeiro de Cambridge nasceu em 23 de abril de 2018, com 3,8kg, e foi apresentado ao mundo pouco mais de 6 horas após o parto, no Hospital St. Mary, em Londres.

6. Príncipe Harry

Depois de um tempo procurando seu lugar família real, o príncipe Harry encontrou seu espaço trabalhando em prol de instituições de caridade e associações e eventos ligados a veteranos de guerra. Casou-se recentemente com a atriz americana Meghan Markle, na Capela de St George, no Castelo de Windsor.

7. Príncipe Andrew, Duque de York

Andrew é o terceiro filho da rainha Elizabeth. Ele serviu na Marinha durante 20 anos e agora desempenha funções oficiais da família real, representando a mãe. Com a chegado do terceiro filho de Kate e William, Andrew perdeu uma posição na linha sucessória.

Gostou de saber um pouco mais sobre a linha de sucessão ao trono do Reino Unido? Deixe um comentário.

Leia também:

O passeio da Família Real em Londres

Graduação e pós em Londres

0

A Inglaterra é reconhecida mundialmente pela sua alta qualidade no ensino superior, e por isso muitas pessoas têm o sonho de fazer uma graduação ou pós-graduação no país. Porém, justamente pela falta de informações a respeito do processo, parte delas acaba desistindo ou perdendo os prazos da aplicação.

Se você deseja ter uma experiência de graduação ou pós no Reino Unido, o primeiro passo é entender como funciona o processo de admissão lá. Histórico escolar, experiências extracurriculares, cartas de recomendação e qualidades pessoais, por exemplo, fazem parte da avaliação.

A primeira dica é você exercitar uma habilidade que será muito importante durante todos os momentos: a organização!

Londres oferece manancial cultural inigualável. Foto: Mapa de Londres

Como funciona o ensino superior no Reino Unido

O ensino superior no Reino Unido é voltado a estudantes de 18 anos ou mais (na Escócia, a idade mínima é 17 anos) e está dividido em duas etapas:

  • Cursos de graduação: incluem bacharelados, preparatórios, diplomas nacionais (higher national diplomas), entre outros;
  • Cursos de pós-graduação: são os mestrados, MBAs, PhDs e doutorados, e outros. Normalmente, para cursá-los, você precisa ter concluído um curso de graduação.

Foundation Course

Além da graduação em si, pode ser que você tenha que cursar um Foundation Course, que permite ao estudante estrangeiro adquirir o conhecimento necessário para ingressar na graduação britânica, devido às diferenças educacionais. São cursos com duração de 6 meses a 1 ano, com matérias como língua inglesa, metodologia de pesquisa e redação para monografias.

Ano letivo

No Reino Unido, normalmente, o ano letivo começa em Setembro e vai até Julho do ano seguinte. Porém, algumas instituições oferecem datas de início de períodos letivos mais flexíveis, com cursos começando, por exemplo, em Janeiro ou Fevereiro, coincidindo com o início do calendário.

O que é preciso antes de fazer a matrícula?

Como já comentamos em outros posts do site, os principais documentos para fazer a aplicação para a universidade são: histórico escolar completo, traduzido por um tradutor juramentado; cartas de referências acadêmicas e/ou profissionais e personal statement, que é um tipo de declaração pessoal, descrevendo os motivos que o levaram a escolher uma determinada universidade e curso.

O teste do IELTS (International English Language Testing System) é o mais usado pelas universidades britânicas para avaliar o nível de inglês dos candidatos e a nota que o estudante precisa atingir nesse exame vai depender do nível do curso.

Visto de estudante e permissão de trabalho

O visto de estudante para cursos universitários se chama Tier 4 General Student Visa e ele permite que o estudante trabalhe legalmente durante o curso (até 20h/semana) e durante as férias do curso (até 40h/semana).

Além dos documentos de matrícula da universidade, é necessário apresentar comprovantes da capacidade financeira para se manter no Reino Unido durante os estudos.

Diploma de graduação ou pós no Reino Unido

Um diploma de uma universidade britânica é uma qualificação muito respeitada no mundo todo, não somente pelo quesito empregabilidade, mas também pelos conhecimentos e habilidades adquiridas.

Durante a aplicação para o visto, os estudantes vão pagar uma taxa para poder usar o NHS, o sistema de saúde pública do Reino Unido. Além disso, acesso total a um serviço de aconselhamento profissional. Uma rede universitária de serviços de carreira – com uma reputação invejável em todo o mundo – para ajudar na decisão sobre o que fazer após a conclusão de seus estudos também costuma estar à disposição dos alunos.

O fato de os cursos de graduação e pós-graduação do país serem mais intensivos e, portanto, mais curtos do que em muitos outros países, pode ter uma vantagem financeira óbvia: não apenas custos de estudo e moradia mais curtos, mas também na oportunidade de entrar ou reentrar no mercado de trabalho mais cedo.

Tem interesse em fazer graduação ou pós em Londres?

O Mapa de Londres pode te ajudar – entre em contato.

Seu nome (obrigatório)

Seu e-mail (obrigatório)

Idade:

Cidade/estado:

Duração do curso estimada:

Início:

Que tipo de curso você procura?

Tudo sobre o casamento real: Harry X Meghan

0

O Reino Unido já aguarda com ansiedade o casamento real do Príncipe Harry. O filho de Charles, Príncipe de Gales, se casará no dia 19 de maio com a atriz americana Meghan Markle. O casal rompeu com a tradição ao escolher um sábado para celebrar o casamento, uma vez que normalmente os casamentos reais acontecem em dias úteis.

Os dois trocarão as alianças ao meio-dia (8h no horário brasileiro) na capela de St George, no Castelo de Windsor, e seguirão para a recepção do casal durante um almoço no St. George’s Hall. A cerimônia será celebrada pelo arcebispo de Canterbury, Justin Welby. Depois do casamento, o novo casal desfilará para cumprimentar o público.

Às 13h (9h no Brasil), eles viajarão por Windsor, em Berkshire, em uma carruagem. O casal escolheu a carruagem Ascot Landau, que é usada em eventos oficiais e cerimoniais. A carruagem sairá de Castle Hill, seguirá por Windsor e depois seguirá o desfile até o St George’s Hall pelo castelo de Windsor.

Como esperado, o príncipe Harry convidou o irmão, o príncipe William, para ser seu padrinho. O duque de Cambridge foi o padrinho de William em seu casamento com Kate Middleton, duquesa de Cambridge, em 2011.

Quem irá comparecer ao Casamento Real

Convites foram enviados para cerca de 600 convidados, com mais 200 convidados para a recepção do casal. Políticos não estarão na lista. O Palácio de Kensington disse que a decisão foi tomada em consulta com o governo e reflete o fato de que o Príncipe Harry é apenas o sexto na linha do trono.

Mais de 1.000 membros da comunidade foram convidados para o terreno do Castelo de Windsor e poderão assistir à chegada e partida dos noivos.

A recepção

Todos os 600 convidados participarão de uma recepção na hora do almoço no St George’s Hall, que será oferecido pela Rainha Elizabeth II. Especula-se que Meghan Markle esteja planejando romper com a tradição das noivas reais fazendo um discurso.

Mais tarde, à noite, os recém-casados ​​celebrarão com 200 convidados em uma recepção privativa a menos de 1,6 km do Castelo de Windsor, na Casa Frogmore, oferecida pelo príncipe Charles.

A Família Real pagará pelo casamento, incluindo o serviço, música, flores e recepção.

Festas de rua

Como nos casamentos reais anteriores, as comunidades estarão realizando festas de rua para participar das comemorações. Centenas de solicitações de festas de rua foram feitas até agora, segundo o governo.

Cerca de 60 pedidos foram feitos em Bromley, sudeste de Londres, 54 em Richmond, oeste de Londres, e 12 em Reading, Berkshire, de acordo com o Ministério da Habitação, Comunidades e Governo Local. A BBC terá a licença de TV, o que significa que as festas de rua e outros eventos especiais podem ser exibidos ao vivo gratuitamente.

Serviço

Dia: 19 de maio

Horário: 12h (8h no Brasil)

Local: Castelo de Windsor

Onde acompanhar: pela televisão na BBC (Inglaterra). No Brasil, Globo, SBT, Record, Band e RedeTV! Devem contar com correspondentes em Londres. Do estúdio no Brasil, haverá transmissão ao vivo em pelo menos Globo, SBT e RedeTV!.

Você estará em Londres durante o Casamento Real? Agora que você já está informado sobre o evento, conte para a gente o que achou nos comentários e até a próxima.

Londres vai instalar bebedouros pela cidade

0

Chegou a hora de abandonar a famosa garrafa plástica de água, carregada por praticamente todo turista que visita Londres. Recentemente, o prefeito da capital inglesa anunciou a instalação de bebedouros e fontes de água potável em diversos pontos de Londres, garantindo água grátis aos londrinos e aos turistas sedentos.

A iniciativa está sendo tomada para combater a utilização de garrafas plásticas de um uso só e estimular a população e os turistas a carregar suas próprias garrafas. Na tentativa de conter o desperdício associado ao consumo de água engarrafada, a ideia é a de reativar a vasta rede de bebedouros públicos que já existiam, além de instalar novas estações para recarga de garrafas de água em toda a cidade.

Assim, será garantido aos habitantes e turistas que estes possam sempre ter água grátis, em vez de comprá-la. A iniciativa foi inspirada pela Refill, uma campanha bem-sucedida lançada em Bristol em 2015, quando a cidade foi a Capital Europeia Verde.

Ficou curioso sobre o assunto? Vem com a gente e saiba mais sobre os benefícios da instalação de bebedouros e fontes de água potável, além da importância de combater o uso desenfreado do plástico. Confira!

 

Londres vai instalar bebedouros

 

Projeto em Londres vai instalar bebedouros pela cidade para combater uso de garrafas plásticas

Inicialmente, o projeto de Londres que combate o uso de garrafas plásticas irá instalar 20 novas fontes de água no próximo verão londrino. Porém, outra parte da iniciativa já está sendo iniciada aos poucos em cinco regiões da cidade. Esta etapa mobiliza restaurantes, bares e lojas, que já estão disponibilizando bebedouros para que as pessoas possam encher suas garrafas de água gratuitamente.

Se bem-sucedido, o projeto será expandido para mais locais. A prefeitura de Londres conta com a parceria da Sociedade Zoológica de Londres (ZSL, na sigla em inglês), que fornecerá as fontes e bebedouros e monitorará se há uma redução no descarte de garrafas plásticas.

A ZSL já havia lançado uma campanha anteriormente contra o uso do plástico, chamada #OneLess. De acordo com a entidade, os londrinos são os maiores consumidores de garrafas do Reino Unido, comprando em média 3,37 unidades por semana, ou 175 por ano. Sem reciclagem, muitas delas acabam indo parar no rio mais famoso da capital, o Tâmisa.

 

A questão do plástico no mundo

Estima-se que um milhão de garrafas plásticas são vendidas por minuto no planeta, ou seja, 20 mil são compradas a cada segundo no mundo. Os números são da pesquisa Global Packaging Trends Report.

Apenas em 2016, foram comercializadas 480 bilhões de garrafas feitas com plástico. O consumo, que já é por si só alarmante, deve crescer mais 20% até 2021, chegando a 583 bilhões de unidades.

No Reino Unido, 38,5m de garrafas plásticas são utilizadas por dia, das quais pouco mais da metade é destinada à reciclagem. Mais de 16 milhões são colocados em aterros, queimados ou deixados no meio ambiente e nos oceanos.

 

A guerra ao plástico no Reino Unido

 

O governo está totalmente mobilizado para a redução dos plásticos, e não é de hoje. Em 2015, uma taxa de 5 centavos de libra foi acrescentada ao preço das sacolas, o que levou a uma economia de 9 bilhões de unidades, de acordo com dados oficiais.

Na iniciativa privada, a onda começou antes. A rede de fast food Starbucks já possui várias iniciativas nesse sentido. Uma delas foi o aumento do preço dos copos descartáveis nas lojas centrais de Londres, para incentivar os clientes a mudar para copos reutilizáveis.

Antigamente, fontes de água (bebedouros antigos) eram muito mais abundantes no Reino Unido do que hoje. Considerando a situação de Londres, existem grandes diferenças entre o centro e a periferia.

De acordo com os dados, o distrito de Lambeth tem 25 bebedouros em torno de seus parques e espaços abertos, mas muitos outros, incluindo Sutton, Enfield e Haringey, não têm nenhum. Em geral, os 32 distritos municipais de Londres têm 111 bebedouros e estações de recarga d’água acessíveis ao público.

 

Até o Palácio real aderiu ao movimento

 

A rainha Elizabeth II vai proibir canudos, garrafas e copos plásticos nas propriedades da família real da Inglaterra, de acordo com reportagem do The Telegraph.

Segundo o jornal, a rainha foi influenciada pela série de documentários “Blue Planet 2”, produzida pela BBC e narrada pelo naturalista David Attenborough, que mostra os efeitos da poluição do plástico nos mares e na vida marinha. A série já passou em mais de 20 países.

Canudos e demais descartáveis plásticos vão ser gradualmente vetados em vários imóveis. Os fornecedores do Palácio de Buckingham e do Castelo de Windsor deverão substituir os itens de plástico por pratos de louça, copos de vidro ou de papel reciclável.

O palácio vai se tornar mais sustentável, com a instalação de painéis para captação de energia solar.

 

O que achou do projeto que instala bebedouros públicos e fontes de água potável por Londres? Você já sabia sobre a questão do combate ao plástico? Deixe um comentário.

 

Conheça as 7 maiores lojas de brinquedos do mundo

0

As maiores lojas de brinquedos do mundo captam a imaginação de crianças e adultos. E a fantasia da infância pode se tornar realidade por aqui.

Por essa razão, apresentamos sete das mais incríveis lojas ao redor do mundo, onde há um universo de brinquedos e itens colecionáveis.

Veja quais são as maiores casas de brinquedo ao redor do planeta e mate a sua curiosidade em sua próxima viagem.

7 das maiores lojas de brinquedos do mundo

Ursinhos de pelúcia, soldadinhos, bonecos articulados, bonecas com centenas de roupas, carrinhos. As lojas de brinquedos são um mundo vasto para ser explorado.

Mesmo quem já passou da infância ainda coleciona essas memórias de uma época tenra da vida. É importante manter viva a criança interior, não é mesmo?

Se você planeja uma viagem internacional e também quer conhecer lojas de brinquedo, aqui vão algumas dicas espalhadas pelo mapa.

Toys “R” Us, Nova York

Toys “R” Us
Toys “R” Us é uma das maiores lojas de brinquedo do mundo. Foto: TomasEE, CC BY-SA 3.0

Localizada na suntuosa Times Square, em Nova York, a Toys “R” Us é uma referência mundial em brinquedos. São mais de 1500 lojas espalhadas pelos Estados Unidos.

A principal filial da franquia chegou a fechar as portas em 2016, mas retornou à Times Square recentemente, com outro espaço remodelado e menor que o anterior.

O tamanho da loja é de 3.300 m² e atrai muitos turistas que passam por Nova York. A variedade de brinquedos impressiona qualquer um, em virtude da enorme estátua de Tiranossauro Rex que posa no meio do espaço.

Kids Cavern, Macau

Em Macau, na China, fica outra gigante dos brinquedos: a Kids Cavern, que oferece um excelente catálogo para todas as idades. Desde os brinquedos mais básicos até os maiores modelos para montar.

A Kids Cavern está dentro do enorme shopping em Cotai Sands Central, um luxuoso centro de compras muito popular entre turistas e moradores de Macau.

FAO Schwarz, Nova York

FAO Schwarz
FAO Schwarz ganhou fama com Quero Ser Grande e Esqueceram de Mim 2. Foto: Dudesleeper, CC BY-SA 3.0

A loja de brinquedos mais famosa de Nova York também abriu novo espaço na cidade. Assim como a Toys “R” Us, a FAO Schwarz sofreu com o aumento do aluguel e precisou se readaptar.

Para os cinéfilos, a antiga loja da Fifth Avenue já foi o local de filmagem de uma cena clássica em “Quero ser grande”, estrelado por Tom Hanks, onde o ator dança em cima de um piano em larga escala.

A FAO Schwarz é a loja de brinquedos mais antiga dos Estados Unidos, aberta em 1862. A nova franquia terá sede no 30 Rockefeller Plaza, em Manhattan, com 19 mil m².

American Girl Place, Chicago

As meninas também merecem espaços dedicados às suas bonecas e brincadeiras favoritas. Nesse quesito, a American Girl Place, em Chicago, é uma das prediletas do público norte-americano.

São diversos estilos e numerosas marcas de bonecas, acertando em cheio no coração das jovens garotas americanas. A decoração toda em cor de rosa é um charme à parte.

Na American Girl, localizada na Water Tower Place, as meninas também podem adquirir roupas novas para as suas bonecas, além de casas especiais e itens de decoração.

Barbie Store, Buenos Aires

Na mesma toada do American Girl Place, a Barbie Store de Buenos Aires é um sonho para as amantes e colecionadoras da Barbie, a icônica boneca da Mattel, um eterno sucesso de vendas.

A Barbie Store e seu universo de glamour ficam no Shopping Unicenter, no bairro de Palermo. Lá, é possível conhecer a Casa da Barbie, um salão que insere os visitantes em toda a história da boneca.

Kiddy Land, Tóquio

Kiddy Land
Brinquedos de pelúcia são destaque na Kiddy Land. Foto: DocChewbacca, CC BY-SA 2.0

Em Shibuya, região central de Tóquio, está a Kiddy Land, uma referência japonesa em brinquedos e lembrancinhas do mundo infantil.

Mais focada na cultura japonesa e nos ícones locais em brinquedos, a Kiddy Land não tem um espaço enorme como as lojas de Nova York, mas tem seu charme.

São milhares de pelúcias e estruturas montáveis como maquetes e afins. Imperdível para os mais criativos.

Charles Ro Supply Company, Malden

Aqui a paixão é pelo modelismo. A maior loja de trens e autoramas dos Estados Unidos fica em Malden, no Massachussets. E se dedica a uma tradição clássica de famílias americanas.

São infindáveis as opções de trens e estradas, além de produtos para montar a sua própria cidade em miniatura. Para quem tem paixão pelo hobby de ferromodelismo, a Charles Ro Supply Company é indispensável.

A loja fica na Cross Street e tem um estabelecimento em grande escala apenas para esse fim.

Lojas de brinquedos em Londres

Em Londres, existem pelo menos seis lojas de brinquedos dignas de nota. Algumas delas possuem temáticas específicas, como a da M&M’s.

Conheça essas lojas e enriqueça ainda mais o seu roteiro de viagem quando passar pela capital inglesa com a família e as crianças:

Hamleys

Hamleys é a maior loja de brinquedos do mundo. Foto: Mapa de Londres

A Hamleys é a maior e mais antiga loja de brinquedos do mundo no departamento de brinquedos. Fundada em 1760, a Hamleys, que fica na Regent Street, se adaptou aos novos tempos e espalhou franquias pelo mundo.

São sete andares de brinquedos, com mais de 50 mil linhas e marcas diferentes. Praticamente um túnel do tempo direto para a infância.

 

Disney Store

Loja exclusiva da Disney, a franquia Disney Store de Londres mergulha de cabeça nos personagens fantásticos e queridos por várias gerações.

São roupas, brinquedos, pelúcias, lembrancinhas e bonecos em tamanho real que encantam a qualquer um. A Disney Store londrina fica na Oxford Street.

Harry Potter Shop

Em King’s Cross, há um portal que nos transporta para outro universo. A plataforma 9 ¾ é a passagem para o incrível mundo do Harry Potter Shop.

Tudo o que você pode imaginar que envolve o bruxo e seus colegas está na loja. Itens colecionáveis, pelúcias, roupas e livros são as atrações principais do Harry Potter Shop, o lugar favorito dos fãs da saga.

M&M’s World

M&M’s World tem muitos andares de chocolates e brinquedos. Foto: Mapa de Londres

Apesar de ter uma temática de doces e chocolates, a M&M’s World não deixa de ser um atrativo para os pequenos, em Leicester Square.

Tudo na loja gira em torno dos carismáticos chocolates que conquistaram a criançada. Além dos brinquedos e itens relacionados aos M&M’s, os turistas podem conhecer a história da companhia em museus super coloridos.

Lego Store

Se você adora montar estruturas com Lego ou tem vários bonequinhos espalhados pela casa, a Lego Store em Leicester Square é o seu lugar.

Veja bonecos em tamanho real, estátuas de Lego e coleções exclusivas na loja oficial da marca dinamarquesa em Londres, uma caricatura carismática do povo inglês e seus costumes.

Forbidden Planet

Por fim, temos na Shaftesbury Ave a imponente Forbidden Planet, especializada em linhas de brinquedos de ficção científica e franquias de heróis da Marvel e DC.

Está procurando obras literárias de sci-fi ou bonecos de Star Wars e outros campeões de bilheteria? A Forbidden Planet é a pedida perfeita.

Curtiu as dicas das maiores lojas de brinquedos do mundo? Compartilhe.