fbpx
Início Site

5 Hotéis em Londres para quem quer gastar pouco

0

Conhecer Londres é um sonho de muitos! Mas a capital inglesa é uma cidade muito cara e isso é um fato. Economizar na hora de escolher onde ficar vai te ajudar a ter um orçamento mais tranquilo, mas é importante ter cuidado e atenção na hora de escolher, pois às vezes o barato pode sair muito caro e as suas férias podem virar um pesadelo.

Por isso nós criamos essa lista para você que quer ir para Londres gastando pouco, mas que não sabe como procurar qual é a melhor opção e a mais segura.

Levamos em consideração além da localização, as revisões e comentários de pessoas que se hospedaram em hotéis na inglesa através do nosso parceiro de confiança, o Booking.com e a privacidade, ou seja, os hóspedes não teriam que compartilhar o quarto ou o banheiro com desconhecidos.

O site além de ser fácil e intuitivo é de extrema confiança e te permite utilizar vários filtros para que o hotel que você procura seja o ideal para a sua viagem e para que o preço caiba dentro do seu bolso.

O orçamento utilizado foi de no máximo R$ 410,00 por noite para dois adultos.

  1. Knightsbridge Hotel, Firmdale Hotels (9,3)

Localizado no coração de Londres, esse hotel fica próximo de uma estação de trem e várias lojas de marca como Prada, Channel, Tiffany & Co., entre outras.

Eles também oferecem alguns serviços como câmbio de moedas, jogos para crianças e a contratação de babás por meio do hotel.

  1. The Ritz London (9,2)

Além de estar localizado no centro de Londres próximo à várias lojas e a uma estação de metrô, esse hotel também oferece muitos serviços para o seu bem-estar como massagem, manicure, pedicure e tratamentos de beleza para o corpo e para os cabelos.

Eles também possuem um cassino e você pode contratar uma babá através deles.

  1. MEININGER Hotel London Hyde Park (8,3)

Localizado em uma área cheia opções para viajantes apaixonados por diversão, arquitetura e monumentos, o MEININGER Hotel London Hyde Park é a terceira melhor opção para quem deseja visitar Londres gastando pouco!

Além de estar perto dos principais pontos turísticos da cidade, o hotel ainda oferece alguns passeios turísticos, possui um salão de jogos e boas opções de bufê.

  1. Notting Hill Hotel (7,3)

O hotel Notting Hill possui um Starbucks dentro dele! Se esse não é um motivo excelente para se hospedar lá, eu vou te dar mais alguns.

Ele fica próximo a alguns mercadinhos locais de produtores independentes e a alguns minutos de caminhada dos principais pontos da cidade como o Parlamento, o Palácio de Buckingham, a London Eye (aquela roda gigante incrível), entre outros.

O hotel também possui uma biblioteca dentro dele e um serviço de aluguel de bicicletas, uma maneira super prática e saudável para conhecer Londres sem ficar restrito a andar de metrô embaixo da terra na maior parte do tempo.

gastar pouco com hotéis em Londres

  1. The Coronation Hotel (7,2)

Esse hotel possui uma coisa que os acima não possuem: a equipe fala português! Se você não tem segurança no seu inglês, talvez essa seja a opção ideal para vocês se sentir mais seguro ao chegar do outro lado do atlântico.

O hotel também fica próximo a vários restaurantes, pontos turísticos e galerias de arte para quem gosta de desfrutar um pouco da arte também.

Além do conforto, o hotel também possui um balcão com vendas de entradas para as principais atrações da cidade, para que você não perca tempo e evite filas.

Hotéis em Londres para quem quer gastar pouco

Espero que essa lista tenha te ajudado a ver que é possível se hospedar em Londres em um hotel bom, confiável e com um bom preço com o nosso parceiro, Booking.com, que sempre tem as melhores ofertas.

Todos esses hotéis estão localizados no centro da cidade, então você pode facilmente caminhar, ou se locomover com o transporte público de lá até onde quiser chegar, basta pesquisar no mapa, ou perguntar no balcão de informações do hotel mesmo.

Caso você não se importe em ficar em hostels compartilhando o quarto com mais gente, o Booking ainda te deixar refinar a pesquisa para incluir esses tipo de hospedagem também para que o preço da sua viagem fique ainda mais acessível.

Leia nosso Manual de Sobrevivência em Albergues e hostels de Londres

Outras sugestões de Hoteis (Guia completo)

Se você já se empolgou e está planejando sua próxima viagem para Londres, conte pra gente nos comentários abaixo em qual desses hotéis você ficaria.

Monumentos de batalhas históricas em Londres

0

A Inglaterra é famosa por ter sido parte de várias guerras civis e internacionais, porém dentre todas as guerras que ela participou, pode-se dizer que Londres foi palco de apenas poucos conflitos comparado com o número total de todos eles.

Se é fanático por história, não deixe de ler o resumão sobre a história da Inglaterra que fizemos para você em outro post. Nesse artigo separamos um pouco da história e do roteiro para reviver um pouco das batalhas históricas que ocorreram na maior cidade do Reino Unido.

Estátua de Boadicea (Boudiccan Rebellion) - Mapa de LondresEstátua de Boadicea (Boudiccan Rebellion)

Localizada próxima à estação de Westminster, a estátua de Boadiceia remete à rainha icena (tribo britana) Boadiceia que não teve a legitimidade de seu trono reconhecida após a morte de seu marido e o procurador Cato Deciano apropriou-se de sua herança.

Após a família de Boadiceia sofrer perseguições e suas filhas serem abusadas, o povo iceno ficou revoltado e começou a protestar, então Cato Deciano ordenou que os protestos fossem sufocados e o povo iceno decidiu aliar-se a rainha no combate ao exército romano.

Juntos eles saquearam e massacraram muitas cidades que eram controladas pelo império romano. No fim, o exército romano conseguiu se reorganizar e derrotá-los. Alguns historiadores acreditam que a rainha tenha se envenenado e outros acreditam que ela adoeceu e morreu.

Torre de Londres

A Torre foi construída primeiramente para ser uma residência real, mas acabou tornando-se um símbolo de opressão. Erguida no final de 1066, depois da conquista normanda da Inglaterra, a torre começou a deixar de ser a morada real durante a Dinastia Tudor (1485 a 1603).

A Torre foi onde Eduardo V, herdeiro ao trono quase ao final da guerra das rosas, foi levado antes de desaparecer. Há rumores de que ele e seu irmão tenham sido assassinados pelo tio que acabou herdando o trono com o título de Ricardo III.Trafalgar Square - Londres

Trafalgar Square

Trafalgar Square é uma praça bem no coração de Londres que celebra a vitória da Batalha de Trafalgar de 1805, que foi uma vitória da Marinha Real Britânica durante as Guerras Napoleônicas.

No centro da praça você pode ver uma coluna com um homem em cima dele. Este homem é uma estátua do Almirante Nelson que liderou a Marinha Real durante a batalha que ocorreu na costa de Cádis, na Espanha.

A praça é muito movimentada e é utilizada para organizar festivais culturais nacionais e internacionais. Vale à pena conferir, mesmo que ela esteja sendo utilizada para um evento, pois eles geralmente são abertos.

Memorial da Guerra em Paddington

Este monumento simples fica no antigo cemitério de Paddington e foi erguido para homenagear os residentes que deram a vida pelo país para lutar na Grande Guerra (Primeira Guerra Mundial).

Salas Subterrâneas - Mapa de LondresSalas subterrâneas

É possível contratar alguns tours que te levam para conhecer algumas salas subterrâneas que serviram como bunkers para Winston Churchill durante a segunda guerra mundial, além de conhecer algumas salas de guerra secretas.

Catedral de São Paulo (St. Paul’s Cathedral)

A Catedral de São Paulo é uma igreja que segue em pé, mesmo após ter sido bombardeada durante a Segunda Guerra Mundial em dezembro de 1940. Mais de 160 pessoas morreram e mais de 500 pessoas ficaram feridas durante o ataque.

Partes da Muralha Romana ao redor da cidade de Londres

Quando Londres foi conquistada pelos Romanos em 200 AC, seu formato era definido pela muralha que havia ao seu redor. É possível ver partes da muralha ao redor da cidade, porém algumas estão melhores conservadas do que outras, então você tem que prestar atenção, para não acabar passando direto por elas:

  • Ao lado do portão de trás da Tower Hill – Tower Hill foi construída adjacente à muralha e é possível ver uma parte dela ao lado do portão de trás;
  • No jardim leste de Tower Hill – Essa parte que fica no meio do jardim leste é mais visível, pois sua base tem cerca de 4 metros;
  • Pátio do Grange City Hotel – Essa parte da muralha fica no meio da cidade e você pode passar por ela despercebido achando que é apenas “um muro antigo ali no meio”;

Monumento "The Battle of Britain Monument" - Mapa de LondresThe Battle of Britain Monument

O monumento criado para homenagear aqueles que lutaram até o fim pelo seu país e pelo mundo durante a Segunda Guerra Mundial. Ele pode ser encontrado ao lado do Rio Tâmisa, perto da plataforma que fica sob o rio.

O monumento foi revelado em 2005, no aniversário de 65 anos da Guerra pelo Príncipe Charles e pela sua esposa Camila, Duquesa de Cornwall.

Museu da Guerra Imperial – Londres

O Museu da Guerra Imperial (Londres), faz parte de uma rede de 5 museus fundados em 1917 que guardam as memórias das guerras que o Império Britânico já esteve envolvido. É possível ver desde fotos e livros, até mesmo às armas, aviões e tanques de guerras utilizados durante os combates.

Como o museu é financiado pelo governo e por iniciativas privadas, sua entrada é gratuita, exceto quando há algum tipo de mostra especial.

Ficou curioso para ver esses monumentos de perto? Então não perca tempo e planeje sua viagem para Londres e nos conte se gostou das nossas dicas para reviver um pouco da história dessa cidade tão fascinante que é Londres!

Valentine’s Day na Inglaterra

0

O mês de fevereiro chegou e em terras inglesas, esse é o mês de celebrar o amor! A data é celebrada no dia 14 de fevereiro, então caso esteja em um relacionamento com algum inglês, ou alguma inglesa, anote essa data na sua agenda para não se esquecer.

Mas diferentemente do Brasil, nessa data as pessoas não celebram apenas os seus cônjuges ou namorados. Eles também celebram e presenteiam as pessoas que eles amam ter em suas vidas, como seus pais, amigos, familiares e até mesmo animais de estimação.

Costumes na Inglaterra

Os presentes mais comuns e mais valiosos dados pelos ingleses são doces e salgados feitos à mão. Também é parte da tradição fazer um bolo em formato de coração e presentear ao amado nesse mesmo dia. A intenção não é gastar um mar de dinheiro com as pessoas que ama, mas sim mostrar que você se importa e gosta de tê-las em sua vida, por isso você dedica tempo preparando algum presente especial feito por você mesmo a elas.

Infográfico Exclusivo do Mapa, conheça!

Alguns presentes populares também são: ursinhos de pelúcia, chocolates, muitos docinhos, brinquedinhos e cartões comemorativos de dia dos namorados. Na verdade os ingleses amam dar cartões e lá existe cartão para absolutamente tudo, até mesmo para desejar a alguém melhoras, caso ele passe por uma cirurgia ou quebre o pé.

Flores também são presenteadas e suas cores podem indicar o grau de relacionamento que uma pessoa tem a com a outra. Rosas vermelhas são dadas a cônjuges, namorados e namoradas, enquanto rosas brancas e amarelas são presenteadas a parentes e conhecidos e rosas cor-de-rosa são para amigos.

O número de rosas também possui um significado:

  • 1 rosa = amor
  • 12 (ima dúzia) = gratidão
  • 25 = felicitações
  • 50 = amor incondicional

 

Admiradores secretos

Cartas, presentes e poemas secretos ainda são enviados. Confissões de amor ainda são anunciadas na televisão e nos jornais locais britânicos. Não se sabe a origem dessa tradição, mas ela ainda existe.

 

História da celebração da Data

Aparentemente essa história começa na Roma antiga e está diretamente ligado ao festival pagão de “Lupercalia” que era celebrado no dia 15 de fevereiro alguns séculos antes de Cristo.  Essa festa era dedicada a deusa romana Juno, deusa da mulher e do casamento, e ao deus romano Pan, deus da natureza, além de marcar o início oficial da primavera.

Era uma celebração que envolvia todos os jovens dos distritos. Os nomes das meninas eram postos em urnas e os meninos pegavam esses nomes e assim um casal se formava. Durante essa data eles também enfeitavam galhos com penas e batiam levemente nas meninas, pois acreditavam que isso aumentaria sua fertilidade.

Quando o império romano invadiu a Grã-Bretanha, algumas dessas tradições foram levadas à Inglaterra, mas somente depois que o Cristianismo se tornou a religião oficial da maior parte dos países da Europa, o feriado foi remodelado, até que em 496 DC o Papa Gelasius formalmente declarou que o dia 14 de fevereiro era formalmente o “Dia de São Valentim”, um dia festivo cristão.

O dia de São Valentim

O imperador Cláudio II acreditava que os soldados solteiros eram melhores combatentes, por isso ele proibiu o casamento durante as guerras. Naquela época, o bispo Valentim lutou contra suas ordens e continuou celebrando casamentos, indo contra as ordens do império.

Sua prática foi descoberta e o bispo foi condenado à morte. Enquanto ele estava preso, jovens lhe enviavam presentes e bilhetes dizendo que ainda acreditavam no amor.

Acredita-se que enquanto aguardava na prisão pelo cumprimento de sua sentença, ele se apaixonou pela filha de seu companheiro de cela, que era cega e que, milagrosamente, lhe devolveu a visão. Antes de ser executado, lhe escreveu uma mensagem de amor onde assinava “de seu Valentim”, ou “de seu Namorado”.

Como a sua execução se deu no dia 14 de fevereiro, na véspera  de “Lupercalia”, a Igreja Católica a escolheu para homenagear o mártir. Porém, desde 1969 essa data não é mais celebrada de maneira oficial dentro da Igreja, pois não há muitas provas histórias que comprovem a existência de São Valentim.

Veja aqui atrações e dicas para o mês de Fevereiro em Londres!

Se toda essa história de amor te deixou inspirado, mas você acha que o dia dos namorados ainda está muito longe no Brasil, por quê não fazer um bolo especial e lembrar às pessoas a sua volta o quanto elas são especiais para você no dia 14, bem ao estilo inglês? O mínimo que você vai receber de volta é um sorriso.

Fevereiro em Londres: atrações e dicas para sua viagem em 2019

3

Se você aproveitou uma passagem imperdível para visitar Londres em fevereiro, já deve estar bisbilhotando a programação da cidade para usufruir ao máximo da estadia. Bem, as notícias são boas: festivais, eventos e muito romance não vão faltar na sua viagem.

Mesmo que você tenha de encarar o frio do inverno londrino, o cenário pode ser favorável: menos gente nas ruas, programação cultural intensa e uma atmosfera perfeita para comemorar o Valentine’s Day fazem parte de Londres em fevereiro. Veja, a seguir, algumas dicas para curtir a metrópole nessa época. ?

Londres em fevereiro
Londres fica ainda mais romântica em fevereiro. Foto: iStock, Getty Images

Programação de Londres em fevereiro

Tome nota das dicas a seguir para usufruir ao máximo da viagem a Londres em fevereiro. ?

1. Dia dos Namorados: 14 de fevereiro

Valentine's Day - Dia dos Namorados
Londres é o cenário romântico perfeito para o Valentine’s Day.

Na América do Norte e em parte da Europa, o Dia dos Namorados (ou Valentine’s Day) é comemorado no dia 14 de fevereiro, em homenagem a São Valentim. A história aponta que ele foi um padre casamenteiro, que abençoava a união de casais mesmo diante de uma proibição imposta pelo Imperador Cláudio II, nos tempos da Roma Antiga.

Não é segredo que Londres é uma cidade suuuuper romântica. Se você fizer uma viagem a dois, as dicas para aproveitar a data são fazer um passeio pelas margens do Tâmisa e contemplar a London Eye ou planejar um piquenique no Regent’s Park e até curtir a Little Venice.

2. Teatro: Get Into London Theatre

Get Into London Theatre
Foto: Reprodução

Anualmente, entre janeiro e fevereiro, o evento Get Into London Theatre toma conta de Londres. É uma espécie de promoção para diversos espetáculos teatrais na capital. Isso significa que você pode conseguir ingressos para peças, musicais, danças e óperas por preços bem camaradas (inclusive por 10 libras).

A programação para 2019 ainda não foi divulgada, mas você pode ficar de olho no Site Oficial para garantir seus ingressos assim que começarem as vendas.

Enquanto isso, também vale explorar alguns espetáculos já disponibilizados na agenda.

De 12 de janeiro até 26 de fevereiro, o Cirque du Soleil apresenta o show Totem no Royal Albert Hall. Ingressos já podem ser adquiridos no site.

Outra boa alternativa é consultar a agenda cultural para o mês direto em sites como o London TheatreAo entrar nele, você poderá verificar a disponibilidade de espetáculos como Matilda The Musical, The Phantom Of The Opera, Wicked, Les Misérables e Cinderella em teatros de Londres no período de fevereiro. Aqui também é possível conferir toda a programação de exposições e apresentações no mês.

3. Exposições em fevereiro

Tate Britain abriga exposições.
Tate Britain abriga exposição de Paul Nash. Foto: Mapa de Londres

Há algumas mostras temporárias e exposições bem interessantes na programação cultural de Londres em fevereiro:

  • Great Fire of London family walkFire, Fire! uma caminhada divertida e familiar para explorar o Grande Incêndio de 1666. de 17 de fevereiro até 21 de abril de 2019.
  • Votes for Women – 2018 foi celebrado o centenário da Lei de Representação do Povo de 1918.
  • Slavery, culture & collecting – Uma demonstração desafiadora que investiga a relação entre a cultura européia e a escravidão transatlântica.
  • LGBTQ+ History Month – Uma série de palestras curtas a cada fim de semana de fevereiro, que usam objetos do museu para iluminar as experiências dos historiadores londrinos LGBT.

4. London Fashion Week: 15  a 19 de fevereiro

Fashion Week
London Fashion Week faz as ruas de Londres ficarem ainda mais estilosas. Foto: iStock, Getty Images

Quem é apaixonado por moda vai adorar conhecer Londres em fevereiro. Durante os dias 15 e 19, a capital (que já é efervescente em estilo) vai receber os principais nomes da indústria para a London Fashion Week.

A programação dos desfiles está no site oficial . E, mesmo que a grande maioria deles seja restrita a convidados especiais, vale a pena passar perto dos locais pelo menos para conferir o que há de mais inusitado e interessante nos looks de street style.

5. Dia da Panqueca: 28 de fevereiro

Dia da Panqueca
Terça-feira Gorda tem direito a muita panqueca na Inglaterra. Foto: iStock, Getty Images

A “Terça-feira Gorda” é lembrada historicamente como a data em que os cristãos se despedem dos prazeres da gula antes de jejuarem por 40 dias até a Páscoa. Bem, na Inglaterra, a chamada “Shrove Tuesday” é celebrada ao pé da letra – de uma forma inusitada.

Diz a lenda que, para acabar com os ingredientes não permitidos para consumo durante a quaresma, os britânicos utilizavam leite, manteiga e ovos para fazer um monte de panquecas. Assim, a “Terça-Feira Gorda” virou o Pancake’s Day (ou Dia da Panqueca). Até hoje, há britânicos que celebram a data fazendo cômicas“corridas de panquecas”.

Em Londres e outras cidades, como Olney, há mais de 500 anos há sujeitos que se reúnem para correr, virando as panquecas para o alto, para que caiam na frigideira pelo outro lado – tudo isso em movimento! ?

Clima de Londres em fevereiro

Já está pensando no que levar na mala para visitar Londres em fevereiro? Confira algumas informações gerais sobre a cidade no período:

Clima: frio! Janeiro e fevereiro são os meses mais gelados na Inglaterra. Em média, a previsão para fevereiro é de pelo menos 8 dias chuvosos com precipitação acima de 1mm. ❄️

Dias: são curtos. O sol nasce por volta das 7h30 e se põe em torno das 17h.

Temperatura mínima (média): 2°C

Temperatura máxima (média):  8°C

O que levar na mala: um sobretudo é indispensável e aconselhamos, ainda, levar luvas, cachecóis, meias de lã e botas que deixem os pés bem quentinhos.

Curtiu as dicas de Londres em fevereiro? Qual dos passeios você vai fazer? Conte para nós aqui nos comentários. ?

Conheça o Museu de Charles Dickens

7

Charles Dickens é considerado um dos grandes autores britânicos, talvez o maior do período vitoriano. Em Londres, os leitores podem visitar a casa onde o escritor viveu de 1837 a 1839 e criou os clássicos Oliver Twist e Nicholas Nickleby.

O museu recria a residência de Charles Dickens na Doughty Street e proporciona uma imersão na vida de um autor cuja obra obtém, de Londres, inspiração e cenário para contos e romances. A casa apresenta a maior coleção de objetos do escritor, distribuídos nos cômodos para retratar como o autor vivia naquela época.

Museu de Charles Dickens - Mapa de Londres
Mesa sobre a qual Charles Dickens escreveu Tale of Two Cities, Great Expectations e Our Mutual Friend. Foto: Gustavo Heldt, Mapa de Londres

Como visitar o Museu de Charles Dickens

Endereço: 48 Doughty Street, London, WC1N 2LX

Horário: Diariamente, das 10h às 17h (última entrada às 16h30)

Ingressos: Adulto 9,5 libras / Crianças 6 a 16 anos ( 4,5 libras) – abaixo de 6 anos: grátis.

Como chegar

Ônibus: 7, 17, 19, 38, 45, 46, 55, 243

Estações de metrô: Russell Square (Piccadilly Line)

Site Oficial (clique)

Encontre no mapa

Museu de Charles Dickens - Mapa de Londres
No andar térreo, a sala de jantar. No subsolo, a cozinha. Nos andares superiores, os quartos, a sala de estar e a sala onde alguns clássicos da literatura foram criados. Foto: Gustavo Heldt, Mapa de Londres

Para quem o museu é recomendado

Pode parecer um comentário óbvio, mas o Museu de Charles Dickens destina-se apenas aos fãs e leitores do escritor. Alguém que não tenha lido um ou alguns de seus livros ou que já não tenha algum conhecimento de sua história e de sua importância na literatura vai achar o museu bem entediante. Isso porque a casa recria os cômodos utilizados pelo escritor e conta um pouco de sua história, mas não consegue dar uma dimensão exata de quem foi essa figura tão importante para o seu tempo e para a literatura.

O que você vai ver

– Roupas utilizadas pelo escritor

– Ambientes de sua casa

– Cadeiras que ele usava

– A mesa sobre a qual ele escreveu diversos livros

– Bancadas de leituras que ele apresentava em diversas cidades da Inglaterra

– Carta que o autor enviou para o Times em 1849 descrevendo e condenando uma execução pública que ele (e outros 30 mil espectadores) havia testemunhado em Londres

O que você encontra no Museu de Charles Dickens

O museu é bastante simples e acolhedor. Logo na entrada, um funcionário da casa entrega ao visitante um guia impresso, o qual ele pede gentilmente para que seja devolvido ao fim da visita. O guia impresso apresenta, cômodo a cômodo, a contextualização necessária para que cada um dos objetos seja melhor compreendido. Além do guia, os principais móveis recebem indicação com seu propósito e sua história.

Quem foi Charles Dickens

Charles John Huffam Dickens nasceu em Portsmouth, em 7 de fevereiro de 1812, e faleceu em Gravesham, Kent, em 9 de junho de 1870. É considerado um dos primeiros críticos sociais ingleses, já que o tema das relações de trabalho e das desigualdades sociais permeiam sua obra. Experiências pessoais, como a falência de seu pai e os personagens que encontrava em caminhadas noturnas, foram desde cedo incorporadas em suas histórias.

Museu de Charles Dickens - Mapa de Londres
Carta enviada por Dickens para o Times descrevendo e condenando o que uma execução pública que atraiu 30 mil espectadores em Londres: “Fui testemunha da execução em Horsemonger Lane nesta manhã(…) Acredito que a visão foi tão inconcebivelmente terrível quanto a maldade e a leviandade da multidão reunida na execução”

O autor de David Copperfield e Oliver Twist era um caminhante compulsivo. Andava de 15 a 30 quilômetros diariamente. Em algumas ocasiões, levava hóspedes de sua casa para o passeio e lhes impunha velocidades e distâncias cada vez maiores. Atualmente,  percebe-se a influência desse hábito nos textos do autor, que escreveu capítulos inteiros sobre caminhadas pela capital britânica e captou histórias em cada viela, beco e esquina percorrida.

Museu de Charles Dickens - Mapa de Londres
Sala onde foram escritas algumas de suas obras. Foto: Gustavo Heldt, Mapa de Londres

A Londres do autor

Parte do fascínio que se tem a respeito de Charles Dickens é que ele foi um dos grandes escritores de um período muito peculiar e icônico da capital britânica.  Antes que você comece a imaginar a Londres daquela época, entenda: 1) o império britânico era a maior potência do mundo; 2) a Inglaterra vivia e capitaneava a Revolução Industrial; 3) Londres era a capital dessa combustão econômica e mecanicista; 4) A população da cidade, a maior do mundo, passara de 1 milhão em 1800 para 6,7 milhões em 1900. Devido principalmente à densidade populacional à época, o biógrafo de Dickens, Peter Ackroyd, aponta: “Se uma pessoa do fim do século 20 se encontrasse subitamente em uma taverna daquele período, ela ficaria literalmente doente – doente pelos cheiros, doente pela comida, doente com a atmosfera ao seu redor”.

Em suas incursões noturnas, Dickens não contava com a segurança, a iluminação e a tranquilidade que passeios desse tipo oferecem atualmente. As grandes ruas eram iluminadas por fracas lâmpadas a gás, os varredores não davam conta da quantidade gigantesca de estrume produzido por cavalos que conduziam os veículos, as chaminés não paravam de expelir fumaça de carvão e pick-pockets se imiscuíam a uma horda de prostitutas, bêbados e mendigos trôpegos que se debatiam pelas vielas escuras da cidade. Essa era a Londres de Charles Dickens.

Mais imagens do museu

Museu de Charles Dickens - Mapa de Londres

Museu de Charles Dickens - Mapa de Londres
Sala de jantar. Foto: Gustavo Heldt, Mapa de Londres
Museu de Charles Dickens - Mapa de Londres
Esta bancada era utilizada pelo autor para suas leituras públicas pela cidade. Foto: Gustavo Heldt, Mapa de Londres
Museu de Charles Dickens - Mapa de Londres
A sala de leitura tem um traje de Dickens, uma de suas poltronas favoritas e outros objetos e móveis que pertenceram ao autor. Foto: Gustavo Heldt, Mapa de Londres
Museu de Charles Dickens - Mapa de Londres
Caricatura de Dickens e uma chamada para as corridas. Fotos: Gustavo Heldt, Mapa de Londres
Museu de Charles Dickens - Mapa de Londres
Bathroom, sala de leitura e cadeiras utilizadas pelo escritor. Fotos: Gustavo Heldt, Mapa de Londres

Leia também

Londres para Leitores

Agatha Christie em Londres

Mais museus na cidade

Roteiro de viagem em Londres para fãs de Harry Potter

0

Caso esteja de viagem marcada para Londres, saiba que pode visitar vários pontos turísticos que foram utilizados durante as gravações dos filmes de Harry Potter e que foram criados para que os fãs pudessem viver essa aventura.

Para desfrutar do melhor roteiro de viagem em Londres para fãs de Harry Potter você não vai precisar da sua cartinha de convite para Hogwarts – ufa, – mas vai precisar desse roteiro e de dinheiro, pois algumas dessas atrações são bem caras.

Não se preocupe, há opções que não custam nada, então é uma questão de se planejar e de priorizar o que você quer e pode ver no tempo que estiver por Londres.

Plataforma 9 ¾ em King’s Cross - Harry PotterPlataforma 9 ¾ em King’s Cross

Sim, ela existe! Bom, na verdade ela foi criada para os fãs de Harry Potter. Ela não fica entre as estações 9 e 10 como na história, pois isso geraria uma enorme confusão na estação principal do país, porém ela se encontra próxima a essas estações e ao lado de uma lojinha de artigos do Harry Potter, lá você pode achar livros, roupas, cachecóis e até varinhas!

Preço: Gratuito – para tirar a foto com o carrinho durante o dia e esperar na fila. Também é gratuito a noite depois que a loja fecha, porém somente a plaquinha fica lá e o carrinho é retirado.

Foto profissional: £15 – se você quiser ter a sua foto tirada por um profissional e ainda passar na frente de todos na fila é possível adquirir um ticket VIP por quinze libras.

No Viator é possível reservar um Tour completo por 49 dólares!

Tour para Trouxas

Se o seu inglês está afiado não, deixe fazer o “Tour for Muggles”, ele é o principal tour a pé para os fãs de Harry Potter que não receberam a sua cartinha de Hogwarts e são obrigados a viver nesse mundo como meros humanos.

Preço: £14 para adultos e £12 para crianças com até 11 anos.

Pesquise também no Viator (a partir de 19,34 dólares)

Tour do Harry Potter a Pé

Se você busca outro tour a pé nas principais áreas abertas onde o filme foi gravado, não deixe de conhecer esse. Caso não tenha tempo de fazer o tour com o grupo, anote os principais endereços por onde eles passam e tente visitá-los, pois são lugares icônicos e bem centrais.

Preço: Gratuito – mas recomenda-se ao final dar um gorjeta baseado no quanto você acredita que o tour valeu para você.

Peça: Harry Potter e a Criança Amaldiçoada

A oitava parte de Harry Potter ganhou vida primeiramente no teatro e você pode conferir essa obra quando estiver de viagem em Londres. A peça pode ser assistida em duas sessões, então você decide se quer ver as duas no mesmo dia ou em dois dias seguidos.

Como a história se passa muitos anos depois do final do sétimo livro, o elenco também é outro e todos os atores são incríveis e envolventes.

Preço: £30 – £160 pelas duas partes. Você pode comprar diretamente pelo site: https://www.harrypottertheplay.com/uk/ticket-information/

Detalhes de objetos Harry Potter

Warner Bros: Estúdio do filme Harry Potter

Já imaginou estar dentro do set onde foram gravadas as cenas da história do bruxinho mais amado de todos? Saiba que você pode visitar o estúdio da Warner Bros em Londres com ou sem um guia. O passeio todo dura em média umas 3 horas e os bilhetes devem ser comprados com antecedência pelo site, não adianta chegar lá sem eles e tentar chorar na porta.

Preço: £43 para adultos, £35 para crianças de 5 a 15 anos e para menos de 5 anos a entrada é gratuita. Também é possível adquirir um pacote para a família por £140, nesse pacote 2 adultos e duas crianças podem ir ao parque, ou 1 adulto e 3 crianças. Para mais informações acesse esse artigo.

Scotland Place e the Great Scotland Yard

Foi aqui que a Hermione, Ron e Harry beberam a Poção Polissuco para entrar no Ministério da Magia.

Millenium Bridge

No início do filme “O Enigma do Príncipe” essa linda ponte aparece sendo destruída, mas para a felicidade de todos ela continua lá bem firme.

Parlamento

Quando Hagrid levou Harry para comprar seus materiais escolares, eles voaram sobre o Parlamento.

Piccadilly Circus

Reviva a cena de Harry, Ron e Hermione perto da estátua de Eros.

Leadenhall Market

O Beco Diagonal do primeiro filme fica aqui! Será que você consegue refazer o caminho que Harry e Hagrid fizeram ao chegar nessa área e descobrir o que há em volta?

Borough Market

Aqui ficava a entrada do Caldeirão furado, apesar de não estar mais lá, vale a pena visitar o mercado que também foi utilizado para filmar outros filmes, como o Diário de Bridget Jones.

Zoológico de Londres

Quando Harry descobriu que conseguia se comunicar com cobras ele estava nesse zoológico, então vale à pena visitar o que ele tem de melhor.

Pegar um trem para outras cidades inglesas que foram usadas com sets de filmagens

Se você ainda tiver tempo e dinheiro, não deixe de visitar outras cidades inglesas que também apareceram nos filmes de Harry Potter.

Se você tiver que escolher apenas um lugar para ir, vá para para o Castelo de Alnwick, também conhecido como “o Castelo de Hogwarts”. É possível chegar até Alnwick de trem saindo de King’s Cross e chegando na cidade, você deve tomar um táxi até o castelo. A viagem vai demorar mais de 3:30h, mas valerá muito à pena. O castelo fica fechado durante o inverno (desde o final de outubro até o final de março), então programe-se, caso visitá-lo seja uma de suas prioridades.

Detalhes do Castelo de Alnwick nesse artigo.

Se a cidade de Oxford estiver na sua lista, não deixe de visitar o Christ Church College. Seu grande salão foi utilizado para as gravações de cenas de refeições e onde os novos alunos recebiam instruções dos professores.

E aí já incluiu essas dicas para a sua próxima viagem a Londres? Esperamos que sua visita a capital inglesa seja muito mais mágica depois de todas essas informações!

Hotéis, albergues ou Airbnb? Qual é a melhor opção para se hospedar em Londres?

0

Antigamente hotéis eram as únicas opções para quem viajava a trabalho ou a lazer e não se hospedava na casa de parentes ou amigos, mas hoje temos muitas opções e as mais comuns são: hotéis, albergues (hostels) e airbnb.

Na era da tecnologia, você pode fazer as reservas online e deixar tudo pago antes mesmo de chegar, pode enviar perguntas e até mesmo pedir serviços extras por meio de aplicativos. Essa facilidade e variedade de opções pode deixar as pessoas confusas sem saber qual seria a melhor opção para elas, então preparamos este texto pensamos em te ajudar a preparar a sua próxima hospedagem em Londres.

Conforto

Para quem quer viajar sem abrir mão do conforto, hóteis e o airbnb serão as melhores opções.

No site do airbnb você pode achar casas e apartamentos confortáveis e luxuosas em Londres e a vantagem de usar esse site é que você viverá praticamente como um local dentro da casa de uma pessoa alugará um quarto privado, ou até mesmo a casa inteira para você.

Se você não possui uma conta no site, aproveite esse desconto para quem quer usar o airbnb pela primeira vez, você pode ganhar mais de R$100,00 de desconto na sua primeira viagem.

Uma excelente opção também para quem busca conforto é ficar em hotéis. O nosso parceiro Booking.com oferece vários hotéis de excelente qualidade. Para saber quais são os 10 melhores melhores hotéis em Londres para quem quer conforto, confira o artigo que publicamos aqui no Mapa de Londres.

 

Limpeza

Se a sua preocupação é ficar em um lugar bem limpinho, o melhor é dar uma olhada nos comentários que hóspedes antigos escreveram acerca do lugar. Apesar de muita gente ter preconceito com albergues, existem muitos que são limpinhos e organizados, com quartos com suíte e com um atendimento muito bom por um preço acessível. O segredo é ler as recomendações e também suspeitar dos preços, afinal, quando a esmola é demais, o santo desconfia.

Aqui no Brasil foi feita uma reportagem em 2017 mostrando 3 hotéis no Rio de Janeiro e em São Paulo que não trocavam os lençóis após o cliente deixar o quarto. Então saiba que ficar em um hotel mais caro, nem sempre é garantia de ele será mais limpo.

Privacidade x Conhecer novas pessoas

Se você viaja querendo relaxar e ficar na sua, o mais indicado nesse caso seria ficar em um quarto reservado de hotel. Até pode ser em um Airbnb, mas muitas vezes os donos do imóvel mantém um certo contato com você para garantir que tudo está bem com a sua moradia, o que no meu ponto de vista é muito bom, mas pode ser chato para quem não quer ser incomodado.

Se você pretende viajar para desbravar o mundo e conhecer novas pessoas, aí é muito fácil. Fique em um hostel. Se quiser conhecer ainda mais gente, fique em quartos compartilhados. Os hostels oferecem uma atmosfera mais de viajante e buscam fazer com que os hóspedes desfrutem de toda a experiência na cidade, podendo organizar eventos como pub crawls, excursões e noites interativas. Se você quer fazer amizades, com certeza ficar em um hostel é uma excelente ideia!

Preço

Eu diria que o preço vai variar mais dependendo da localização e do conforto que você busque. Lógico que pegar três vagas em um quarto compartilhado entre 12 pessoas em um albergue sairá mais barato do que um quarto privativo para três pessoas nesse mesmo local. Porém você pode achar opções mais baratas em airbnb’s e hotéis que não são de luxo também por um preço bacana.

Trabalho

Se for viajar com colegas de trabalho para um conferência, hotel não é mais a única opção que a empresa tem para hospedar os Funcionários. A Airbnb agora tem o Airbnb for work que permite até que as empresas reservem casas para times inteiros e até mesmo para imersões antes ou depois de eventos.

Como você pode perceber, Londres te oferece muitas opções de hospedagem o que é maravilhoso já que você pode decidir o que se encaixa melhor com o seu perfil e com o seu bolso. Já definiu o que é melhor para você?

Os 10 melhores hotéis de Londres para quem quer conforto

1

Conhecer Londres é um destino de muitos brasileiros, porém antes de fechar as malas e embarcar nesse sonho, é importante levar em consideração onde ficar. Se você é daquelas pessoas que não abre mão de qualidade, conforto e uma boa localização de hotel durante suas férias, saiba que nós preparamos essa lista para você.

Levamos em consideração além da localização, as revisões e comentários de pessoas que se hospedaram em hotéis na inglesa através do nosso parceiro de confiança, o Booking.com.

O site além de ser fácil e intuitivo é de extrema confiança e te permite utilizar vários filtros para que o hotel que você procura seja o ideal para a sua viagem.

  1. 41 (Nota 9,6)

A menos de 5 minutos de caminhada do castelo da rainha, o Hotel 41 ficou no topo da nossa lista. Localizado no coração de Londres é a escolha ideal para quem quer conhecer a história, cultura e ainda fazer muitas compras na capital inglesa.

Os quartos apresentam uma decoração elegante e os hóspedes podem desfrutar de lanches especiais durante a sua estadia.

Uma reserva para duas pessoas neste lugar pode sair entre R$1.800,00 e R$7.000,00 por noite, lembrando que os preços variam de acordo com o quarto escolhido, a época do ano e o câmbio da libra para o real.

 

  1. The Soho Hotel (9,6)

Se você busca um lugar para relaxar, próximo a bons bares, restaurantes, uma das principais ruas de comércio de Londres e onde os funcionários também falam português, esta é a melhor escolha para você.

Localizado a 5 minutos da Oxford Street, este hotel 5 estrelas também oferece uma academia com um personal trainer para seus hóspedes, então é uma ótima opção para quem ama viajar, mas não quer deixar de lado a vida fitness.

A reserva para duas pessoas neste lugar pode variar entre R$2.100,00 a R$13.500,00 por noite.

 

  1. Haymarket Hotel (9,6)

O Hotel Haymarket é a escolha ideal para quem é apaixonado por teatro, pois é localizado em frente ao Teatro de Sua Majestade e ao lado do Teatro Real Haymarket. Também fica cerca de 15 minutos caminhando até o Palácio de Buckingham.

Na parte do conforto, este hotel oferece spa, academia, piscina e ainda serve o chá da tarde todos os dias pontualmente às 16:30h.

Uma noite neste hotel pode variar entre R$1.700,00 a R$8.700,00 para um casal.

  1. The Beaumont Hotel (9,5)

Com quartos que variam entre R$2.000,00 e R$10.000,00 por noite para um casal, o Hotel Beaumont oferece serviços de spa, academia e salão de beleza para quem se hospeda lá.

Localizado próximo ao Arco de Mármore e algumas das principais ruas de comércio de grife londrino, este hotel 5 estrelas também oferece um serviço de transfer por um preço adicional a seus hóspedes tanto na saída quanto na chegada à cidade.

 

  1. Taj 51 Buckingham Gate Suites and Residences (9,5)

O preço dos quartos deste hotel variam entre R$2.200,00 e R$22.100,00 por noite e os funcionários daqui falam português, o que ajuda muito para quem quer viajar para Londres e não sabe falar inglês.

Próximo aos principais pontos da cidade para quem quer caminhar pelas ruas a qualquer momento, o hotel também oferece o serviço de câmbio de moeda e um balcão de turismo para ajudar quem precisa de ideias do que fazer enquanto estiver por aqui.

 

  1. Ham Yard Hotel (9,5)

Com quartos que variam entre R$3.000,00 e R$3.700,00 por noite para um casal, esse hotel oferece excelentes serviços de bar, restaurante e academia para seus hóspedes.

Localizado a 3 minutos da Praça Picadilly Circus, para quem pretende caminhar pela cidade, este hotel se encontra a cerca de 10 minutos da Trafalga Square e a 20 minutos do Big Ben e do Palácio de Buckingham.

  1. Charlotte Street London (9,5)

Uma das áreas mais vibrantes de Londres é a região de Soho. O Hotel Charlotte Street London fica a 5 minutos de lá e o preço de suas acomodações variam entre R$2.000,00 e R$6.100,00 por noite.

O hotel em si, que fica a menos de 10 minutos do Museu de Londres, oferece muitas comodidades como academia, serviço de massagem (por um preço extra) e seus funcionários falam português.

 

  1. Milestone Hotel Kensington (9,5)

Este hotel oferece opções de estadia que variam entre R$1.500,00 e R$10.000,00, mas alguns dos benefícios que todos os hóspedes podem desfrutar são tratamentos corporais e faciais, piscina, academia com personal trainer, spa, entre outros.

A 2 minutos de Kensington Square e a menos de 15 minutos de Hyde Park, a região onde o hotel está localizado oferece muitos espaços verdes e muita segurança no coração de Londres.

  1. Intercontinental London – The O2 (9,4)

Este hotel fica um pouco mais distante do centro de Londres, mas pertíssimo do parque onde você pode tirar foto da linha imaginária de Greenwich e próximo ao Museu Marítimo de Londres. A vantagem dele é que, apesar de ser um hotel de 5 estrelas, o preço dos quartos varia de R$1.000,00 a R$2.000,00 por noite.

Se você pretende ir para Londres para relaxar, além de o hotel não estar no coração da cidade, ele oferece pacotes completos de massagem, spa e de tratamentos. Para quem gosta de bons bares, a região também oferece muitos locais com música ao vivo e a Arena O2 está 5 minutos deste hotel.

 

  1. Shangri-La Hotel at The Shard (9,4)

O Shard é um dos prédios mais famosos de Londres por ser o edifício mais alto da cidade. Para quem quer unir uma vista deslumbrante dessa cidade movimentada, uma localização excelente e, é claro, o conforto, este hotel oferece quartos que variam de R$2.000,00 a R$7.000,00 por noite.

A Tower Bridge e a Torre de Londres ficam a menos de 15 minutos a pé deste local, enquanto o Big Ben, a London Eye e muitas outras atrações turísticas ficam a menos de 25 minutos de distância de lá. Então se você busca ficar no centro da cidade e gosta de prédios altos, o Hotel Shangri-La é definitivamente a sua melhor escolha.

Espero que essa lista tenha te ajudado a ter uma ideia do que os melhores hotéis de Londres para quem quer conforto oferecem a seus hóspedes. Todos eles também oferecem espaços para crianças para quem pretende levar os filhos e por um preço adicional, os pais que desejam fazer um passeio mais livre, podem também contratar uma babá para tomar conta de seus filhos enquanto passeiam pela cidade.

Veja também: Hotéis em Londres com o melhor custo-benefício

E você já decidiu qual desses hotéis se encaixa melhor segundo às suas necessidades? Se sim, nos conte nos comentários abaixo!

Atrações de Londres em janeiro de 2019

3

Impossível não começar 2019 com o pé direito se o seu destino de férias for a capital da Inglaterra. Londres em janeiro guarda várias atrações aos turistas: a programação de Natal estendida e os espetáculos culturais prometem entreter os visitantes durante todo o mês. Isso sem falar nas celebrações que já são típicas do período na cidade.

Preparado para desvendar as principais atrações de Londres em janeiro e montar seu itinerário de viagem? Confira as dicas a seguir. ?

New Year's Parade
New Year’s Parade. Foto: Magnus D, CC BY 2.0

Atrações de Londres em janeiro

Se você acha que a festa de Réveillon em Londres acaba em dezembro, está muito enganado. A celebração do dia 31 segue já no dia 1º de janeiro – e por todos os outros dias do mês inicial do ano. Veja:

New Year’s Day Parade

No dia 1º de janeiro de 2019, ocorre nas ruas londrinas o tradicional desfile de boas-vindas ao ano novo: o New Year’s Day Parade. Ele é realizado desde 1987 e, anualmente, reúne mais de 10.000 artistas da cidade: são bandas, palhaços, acrobatas e até cheerleaders animando as pessoas que acompanham o espetáculo.

A parada começa em Piccadilly Circus, passa pela Trafalgar Square e segue até chegar na Parliament Street. Uma boa pedida para quem deseja acompanhar uma atração gratuita e bem típica da cidade. Mais detalhes site da London Parade.

Visitas guiadas no Palácio de Buckingham

Palácio de Buckingham

As State Rooms do Palácio de Buckingham são as salas onde a Família Real recebe chefes de estado e organizam jantares e eventos. Elas são majestosamente decoradas e adornadas com obras de alguns dos grandes nomes da arte mundial. As visitas normais às Salas de Estado ocorrem apenas no verão, mas no inverno você pode fazer um passeio guiado com direito até a uma taça de champanhe no fim da visita. Mais detalhes sobre o tour.

Agenda cultural

O Get Into London Theatre é um evento que ocorre na cidade de Londres em janeiro e tem como propósito, basicamente, comercializar ingressos para peças, musicais, danças e óperas por preços bem baixos. Você consegue bilhetes a partir de 10 libras.

A programação para 2019 ainda não foi divulgada, mas você pode ficar de olho na página do Facebook para garantir seus ingressos assim que as atrações estejam disponíveis. Enquanto isso, também vale explorar alguns espetáculos já disponibilizados na agenda.

De 12 de janeiro até 9 de fevereiro, o Cirque du Soleil apresenta o show Totem no Royal Albert Hall. Ingressos já podem ser adquiridos no site. Vale consultar a agenda cultural direto nos sites dos teatros: o London Theatre, por exemplo, está com as produções O Fantasma da Ópera, Aladim, Wicked entre outros em cartaz.

Patinação no gelo

Foto: Kamilla Fernandes, Mapa de Londres
Museu de História Natural tem uma das pistas mais bonitas. Foto: Kamilla Fernandes

As atrações remanescentes do Natal ainda podem ser aproveitadas na cidade em janeiro. Entre as principais estão os ringues de patinação. Você pode encarar os patins em pistas como a da Somerset House, que funciona até a segunda semana de janeiro (investimentos a partir de £7,5) e a do Museu de História Natural, que permanece aberta até 8 de janeiro de 2017 (valores a partir de £12,65).

Liquidações

No dia 26 de dezembro, acontece o Boxing Day em Londres, no qual várias lojas de departamento organizam promoções de inverno imperdíveis. Embora os maiores descontos sejam no mês anterior, em janeiro ainda é possível encontrar boas liquidações em Oxford Street e em lojas de departamento como a Harrods.

Clima de Londres em janeiro

Confira algumas informações básicas sobre a cidade durante o mês de janeiro:

Temperatura máxima (média): 8 ºC

Temperatura mínima (média): 2 ºC

Dias: os dias são bem curtos – o sol nasce em torno das 8h e se põe por volta das 16h

O que usar: Leve roupas quentinhas: um belo sobretudo, luvas, botas e cachecóis são importantes para os passeios ao ar livre, especialmente à noite.

E aí, gostou das dicas para visitar Londres em janeiro? Quais dessas atrações parece mais legal para você? Comente! 😉

Southbank Centre, o maior complexo artístico da Europa

0

O Southbank Centre é um enorme complexo artístico localizado em Londres. Ele possui esse nome por estar localizado no “South Bank”, ou porção sul, do Rio Tâmisa, exatamente entre a ponte Hungerford e a ponte Waterloo, dois ícones da cidade.

Ele tem ao todo 85.000 m², e cada centímetro do espaço é dedico à cultura.

É um local famoso mundialmente, e recebe diversos visitantes a procura da sua programação cultura, dos espetáculos de altíssima qualidade, ou mesmo apenas para conhecer a beleza do complexo e se sentir cercado por arte de uma forma única.

Com certeza é um ponto turístico imperdível na cidade, e tem sempre algo acontecendo no complexo. Dentre shows, performances, exibições, festivais, eventos pagos e gratuitos, as opções são diversas – mais de cinco mil eventos por ano! Além dos eventos artísticos, o local conta ainda com excelentes opções de bares e restaurantes, sempre vibrando com uma energia única, cheios de gente, vida e arte.

Ficou curioso e quer conhecer um pouco mais sobre esse lugar que atrai tantos visitantes? Venha com a gente saber um pouco mais sobre o Southbank Centre, em Londres!

Fonte: timeout.com

Conheça um pouco mais sobre o Southbank Centre

O Southbank Centre é o maior complexo artístico da Europa e conta com três construções principais: o Royal Festival Hall, onde as apresentações de música clássica são realizadas, o Queen Elizabeth Hall, destina à música clássica e à diferentes performances artísticas, e o The Hayward Art Gallery, uma galeria de arte contemporânea com obras mundialmente famosas.

Mas além dos prédios principais, fazem parte do complexo ainda o Purcell Room, prédio destino à literatura, performances, e diversos tipos de música, como música clássica, jazz e folk, a National Poetry Library, uma biblioteca dentro do Royal Festival Hall que conta com uma enorme coleção de poesia inglesa reunida desde 1912, e o Southbank Centre Archive Studio, onde ficam guardados os arquivos do complexo, e que agora está aberto à visitações.

O complexo atrai mais de três milhões de visitantes por ano, tanto ingleses quanto turistas de todos os cantos do planeta, procurando por algum dos milhares de eventos que acontecem no local todos os anos. É mais de um evento por dia, não tem desculpa de não ter o que fazer na cidade!

A maioria dos eventos é paga, mas sempre tem alguma coisa gratuita acontecendo no complexo, é só dar uma olhada na programação oficial do local, que pode ser encontrada no site.

> Confira a programação completa

Fonte: southbankcentre.co.uk

A história do Southbank Centre

O complexo artístico começou suas atividades em 1951, com Festival Of Britain, que tinha por objetivo mostrar como o país tinha se reerguido após Segunda Guerra Mundial.

O festival foi criado para que o país pudesse mostrar o melhor da Ciência, das Artes e da Tecnologia. Desta época, a única construção que ainda está de pé é o Royal Festival Hall, já que no ano seguinte o Partido Conservador venceu as eleições e o restante do Complexo foi destruído.

Mas em 1955 foi decidido construir uma segunda sala de concertos e uma galeria de arte junto ao Royal Festival Hall. O conjunto de prédios dedicado às artes mais tarde seria batizado de Southbank Centre.

Desde 2000, diversas modificações e reformas têm sido feitas na estrutura do complexo visando melhorias estéticas e funcionais.

Hoje, os prédios recebem eventos privados, públicos, com uma diversidade enorme, além de serem casas fixas de quatro orquestras de peso mundial: a London Philharmonic Orchestra, a Philharmonia Orchestra, a London Sinfonietta, e a Orchestra of the Age of Enlightenment.

Como faço para visitar o Southbank Centre

O Southbank Centre fica localizado na Rodovia Belvedere Londres SE1 8XX, como você pode ver no mapa.

O complexo funciona todos os dias do ano, exceto no Natal, de 10 da manhã às 11 da noite.

Os preços de admissão para os eventos variam muito conforme o evento em si, existindo eventos gratuitos e eventos de gala acontecendo, muitos vezes, simultaneamente.

Caso você esteja em dúvida sobre a programação, pode consultar o site do local, que indicamos acima, ou entrar em contato pelo telefone (+44 2038 799555) ou email (customer@southbankcentre.co.uk ).

O local é totalmente acessível para deficientes e possui alguns dos melhores restaurantes da cidade, como o Ping Pong, o Las Iguanas, e o Riverside Terrace.

Mas caso você não queira ir em um evento, existe ainda a possibilidade de conhecer esse complexo através de um tour guiado por trás dos bastidores.

O guia leva o visitante aos locais onde as performances acontecem, e mostra tudo pelo olhar do artista. É uma opção super interessante para quem gosta de arte ou simplesmente gosta de vivenciar algo diferente.

O tour dura cerca de uma hora, e o ingresso, que custa £11.50, inclui um drinque.

Quem conhece melhor o local, pode contar um pouquinho mas da experiência aqui nos comentários!

Fonte: Londonist

Electric Ballroom, o verdadeiro rock de Camden

0

Camden Town sempre foi um reduto roqueiro em Londres. E um dos principais pilares da cena mainstream e underground há 70 anos é o Electric Ballroom, que já recebeu shows de U2, Oasis, The Clash e diversas bandas irlandesas tão roucas quanto desconhecidas. Se você gosta da nova cena de rock inglesa, ou mesmo curte rock e boa música e é curioso para conhecer novos estilos, é bom aparecer por lá.

Algumas das bandas que estão subindo ao palco do Electric ballroom: The Vaccines, Trail of Dead, We Are The Ocean, Lemonheads e Razorlight. O lugar também recebe e promove diversos festivais bacanas ao longo do ano.

Está planejando sua visita à Londres e não sabe onde passar as noites? Bem, pelo menos uma delas deveria ser no Electric Ballroom. Para saber porque, leia esse texto até o final e conheça um pouco mais sobre esse local que é ícone do rock inglês!

Saiba mais sobre o Electric Ballroom

A casa começou suas atividades como um pub Irlandês que recebia convidados como Jim Reeves, e ao longo do tempo foi crescendo em popularidade, recebendo shows de artistas e bandas consagrados, principalmente no mundo do rock, como The Clash, Snow Patrol, The Killers, U2,The Boomtown Rats, Joy Division, Red Hot Chilli Peppers, Public Enemy, Supergrass, Garbage e The Smiths.

Ao longo dos anos, com suas fama aumentando e se espalhando, o pub foi crescendo e atraindo multidões para dentro de seus portões. É comum encontrar por lá shows de nomes como The Vaccines,  Future Islands, Razorlight, Interpol, The Strypes, Muse, Of Monsters and Men, Sir Paul McCartney, Megadeth, e Princ, dentre muitos outros.

Além da casa de shows, o local contava ainda com uma feirinha interna, com cerca de 50 barracas, que vendem tudo o que você pode imaginar com relação à música, principalmente o rock, como discos e CDs de colecionador, camisetas, acessórios, dentre outros. Mas a feirinha parou de acontecer em 2015.

Hoje, o Electric Ballroom tem capacidade para 1500 pessoas. Localizado em um prédio de dois andares, o local possui duas pistas de dança diferentes, e quatro bares, oferecendo maior diversidade para os clientes e fazendo com que nenhum deles fique muito cheio a noite toda.

Fonte: Ents24

Quando visitar o Electric Ballroom

O local possui diversos shows, e sua programação muda bastante ao longo do ano. Nos sábados, atualmente a casa recebe a festa Propaganda, a maior festa de indie rock da Inglaterra, muito bem avaliada pelos frequentadores, com o melhor do estilo tocando a noite toda. A festa começa às 22h30min, e os ingressos custam a partir de £6 com nome na lista.

Vale a pena ainda ficar de olho na programação da casa para saber se alguma banda específica que você curte vai tocar no tempo que você estiver na cidade. Os shows variam muito os preços, começando com valores a partir de £15 para bandas menos conhecidas. Você pode ver a programação completa da casa aqui:

> Calendário de shows

Outra vantagem desse ponto de entretenimento em relação aos seus pares de Londres é a sua localização, bem central na cidade, e próxima à estação de metrô Camden Town. Na dúvida de como chegar, dá uma olhadinha no mapa abaixo:

> Mapa para chegar no Electric Ballroom

A noite de Londres

Elctric Ballroom é um exemplo clássico da noite de Londres, uma casa de shows tradicional, que toca boa música, e recebe bandas do estilo mais querido dos britânicos, o rock. Se você quer conhecer Londres por completo, e vivenciar um pouco da cultura e da rotina do local, não deixe de visitar o Electric Ballroom, e se divertir como um verdadeira britânico!

Abaixo você pode ver mais fotos do lugar:

> Galeria de fotos

E ai, o que achou dessa opção de balada? Animado para curtir uma noite de rock? Fala ai nos comentários!

Barbican Centre, o epicentro artístico

0

 

Foto: Flávio Moreira

O Barbican Centre é considerado o maior centro de artes da Europa. O local recebe diversas apresentações de ópera, teatros, dança e música clássica, além de abrigar inúmeras exposições de arte e salas de cinema.

Ao contrário de outras atrações da cidade, o lugar não merece uma visita por sua beleza arquitetônica. No coração de uma região que um dia foi arrasada pela guerra, o prédio já foi escolhido o edifício mais feio de Londres em uma enquete feita pela BBC.

Por que então visitar o Barbican Centre quando for a Londres? Simplesmente porque o local é casa de ícones da música como a Orquestra Sinfônica de Londres e a Orquestra Sinfônica da BBC. Além disso, ele é mantido  City of London Corporation, ou Corporação da Cidade de Londres, a terceira maior financiadora de artes e cultura de todo o país, fazendo com que ele seja palco de apresentações incríveis e que sempre existe algo interessante em cartaz para o público. Impossível dizer que não tem nada para fazer em Londres.

Quer conhecer um pouco mais sobre o Barbican Centre? Dê uma olhada no texto abaixo com algumas informações sobre o local!

A arquitetura bruta do Barbican Centre

O fato de que a arquitetura do prédio não possui a mesma beleza do que os outros prédios antigos da cidade, não quer dizer que não exista técnica por trás de sua construção, e que ela não seja interessante.

Tanto que existem tours guiados pelo local simplesmente para mostrar ao turista alguns detalhes da construção desse prédio impressionante. O projeto por trás da construção desse complexo é enorme, e muito complexo, levando ao todo quase três décadas para ser finalizado.

A ideia da construção do prédio surgiu no início dos anos 70, e o layout da construção foi aprovada em 1971. Esse projeto inicial já incluía um salão para apresentações musicais com dois mil lugares, um teatro com 1300 assentos, uma galeria de arte, biblioteca, cinemas, restaurantes, estacionamentos, jardins, e ainda uma escola de artes! Bem

A facha de concreto do prédio foi feita dessa forma de maneira proposital, e demandou um trabalho enorme. Um exemplo perfeito do estilo conhecido como arquitetura brutalista, sua construção envolveu o trabalho de muita gente. O prédio é complexo, com diversos níveis e várias entradas, e a maior parte da sua área abaixo do nível da rua, lembrando a forma como as “partes habitáveis” de um navio se dispõe: a maior parte delas embaixo d’água.

Fonte: TourbyTransit

Horários para visitação ao prédio:  Segunda a sábado, das 9h às 23h. Domingo e feriados, das 12h às 23h

Algumas das instalações do complexo funcionam em horários diferentes, então é legal checar antes no site ou pelo telefone os horários de funcionamento. As vendas de ingressos para os eventos começam sempre uma hora e meia antes do evento, e os preços variam bastante. A visitação ao complexo é gratuita.

Informação pelo site: clique aqui.

Telefone:020 7638 8891

Central de informações: de segunda a sexta, de 10h às 21h, e domingo e feriados, de 12 às 21h.

Se quiser saber um pouco mais da programação local para preparar a sua visita, é só olhar a programação no site. Clique aqui e veja o que está rolando por lá!

Como chegar ao barbican Centre: de metrô, é só procurar pelos trens Barbican, St Paul’s e Moorgate. Dê uma olhada nos mapas

Mapa para chegar Barbican Centre

Conheça um pouco mais sobre o Barbican Centre

O Barbican Centre foi fundado em 1982, na região londrina de Barbican Estate – daí seu nome. A região foi bombardeada durante a Segunda Guerra Mundial em um dos inúmeros ataques massivos das tropas alemãs à capital britânica. Das lembranças de guerra, surgiu a arte.

O prédio é enorme, e inclui duas galerias de arte, dois teatros, três salas de cinema, um salão para apresentações musicais, além de um jardim tropical. Tem de tudo no complexo, e é interessante separar um tempo para visitar todos os locais!

Fonte: intermezzo.typepad.com

Os teatros e o salão de música são bem grandes, e recebem artistas renomados de todo o mundo, tanto da música clássica, quanto apresentações de artistas contemporâneos, e diferentes estilos de apresentações, como espetáculos musicais, peças de teatro, dança, entre outros.

Além dos seus salões principais, o Barbican abriga ainda três salas de cinema, um teatro pequeno, com 164 assentos, chamado “The Pit”, que frequentemente recebe apresentações de companhias menores e artistas emergentes, e dois espaços para exibições artísticas, a Art Gallery, ou galeria de arte, que recebe exibições de artistas renomados mundialmente, e a chamada The Curve, outra galeria que recebe majoritariamente artistas contemporâneos em exposições temporárias.

Além deles, no centro do complexo está o Conservatório, um oásis verde no meio de todo o concreto. O Conservatório é casa de mais de duas mil espécies de plantas e árvores, e ainda possui um lago com dezenas de espécies de peixes. O turista conta ainda com diversos espaços compartilhados, incluindo uma biblioteca, jardins e terraços, espaços para palestras, e três restaurantes.

A arte em suas diversas formas

Todos nós estamos acostumados a julgar livros – e prédios – pela capa. Mas o Barbican Centre é muito mais do que sua fachada dura de concreto, e é só dar uma chance a ele que você vai descobrir as belezas que ele abriga, e se afundar na imensidão de arte e cultura do espaço. Ficou com vontade de conhecer o Barbican Centre? Ou já conhece o espaço e quer deixar a sua impressão pessoal? Conta pra gente ai nos comentários!

Leia também

Arquitetura do Barbican

Conheça a City of London

Mais pontos turísticos em Londres

Melhores hotéis em Londres para brasileiros

0

Por ser uma cidade turística como poucas no mundo, Londres é repleta de hotéis, desde hotéis luxuosos e suntuosos, até hotéis econômicos, pousadas e hostels. Tem para todos os gostos, todos os estilos, todos os bolsos. E tem excelentes hotéis em Londres para brasileiros, também!

Londres é, sem dúvida alguma, uma das cidades mais visitadas da Europa. A capital da Inglaterra tem um charme particular, é repleta de história e cultura, e possui inúmeros pontos turísticos que atraem visitantes de todo o mundo, inclusive do Brasil.

Pensando nisso, reunimos aqui uma lista com os melhores hotéis em Londres para brasileiros, em sua maioria 5 estrelas em com avaliação Booking acima de 8,5 (numa escala de 0 a 10).

Se você procura o melhor custo-benefício em hospedagem, leia esse texto!

Você que está planejando a sua viagem, dá uma olhadinha aqui na lista e escolha logo o seu próximo destino de viagem, e vá se apaixonar por Londres assim como todos que conhecem a cidade!

10 TOP hotéis em Londres para brasileiros

Nos últimos anos, diversos hotéis e redes de hospedagem abriram as portas em Londres, para acomodar a onda crescente de turistas que procuram a cidade todos os dias do ano.

As opções de hospedagem são muito variada, mas nós selecionamos aqui os melhores hotéis para brasileiros, para você se sentir à vontade e mais pertinho de casa nas terras da Rainha. Dá uma olhada na lista:

·         Shangri-La at the Shard – London Bridge

·         The Trafalgar St. James

·         The Connaught – Mayfair

·         Mondrian London at Sea Containers – Southbank

·         ME by Melia – West End

·         The Ritz

·         Ace Hotel Shoreditch

·         Park Grand London Kensington

·         The Savoy

·         The Berkeley

Shangri-La at the Shard – London Bridge

Fonte: Shangri-La Hotel

Esse hotel é um tipo de hospedagem única no mundo. Ele está localizado no topo do famoso prédio Londrino chamado The Shard. Ele é o hotel mais alto de Londres, ocupando do 34º ao 52º andar do edifício.

As vistas dos quartos – e de todas as áreas coletivas do hotel – são incomparáveis. Além disso, o hotel possui uma piscina infinita no seu topo, oferecendo uma visão panorâmica da cidade como nenhuma outra.

As comidas servidas no hotel são inspiradas na culinária asiática, que já se tornou muito popular no Brasil. Para quem deseja aproveitar ao máximo a experiência, e dormir em meio às estrelas em um dos melhores hotéis da cidade, o Shangri-La é o local certo!

Reservas aqui

The Trafalgar St. James

hotel para brasileiros: The Trafalgar St. James, London
The Trafalgar St. James – Foto: Booking.com

Esse tradicional hotel, com mais de 131 quartos, possui espaços dentro de suas paredes para que o turista possa comer, trabalhar e se divertir. É daquele tipo de hotel que se você não quiser sair dele, nem precisa. Mas sabemos que com uma cidade como Londres te esperando, você não vai passar muito tempo dentro do hotel, não é mesmo?

E ai entra a próxima vantagem do hotel: a sua localização. Ele fica no centro de Londres, perto da maioria das atrações turísticas, e dá para ir a pé até a Leicester Square e o Piccadilly Circus. Tem metrô pertinho também, e a vantagem de estar do ladinho da embaixada brasileira, caso ela seja necessária.

Reservas aqui.

The Connaught – Mayfair

Fonte: Adventures of a London Kiwi

Todo brasileiro adora fazer compras, principalmente quando está viajando. E é por isso que estamos indicando esse hotel: um local de excelente qualidade, com uma mistura de arquitetura clássica e moderna, e pertinho das melhores boutiques da cidade.

Outro ponto alto desse hotel envolve as praticidades que ele oferece para famílias com crianças, com a possibilidade de quartos interconectados, e diversas atividades especificamente voltadas para os pequenos diariamente.

Para quem procura boa cozinha, não precisa nem sair do hotel e ir muito longe não. A hospedagem abriga um restaurante que tem nada mais nada menos do que duas estrelas Michelin. Nem precisa falar da qualidade, não é mesmo?

Reservas aqui

Mondrian London at Sea Containers – Southbank

Hotéis para brasileiros: Mondrian London
Mondrian London – Foto: Booking.com

Mais um hotel para os loucos por vistas bonitas, como são todos os brasileiros. Esse hotel possui suítes que dão de frente para o Rio Tâmisa, e oferecem uma paisagem incrível pela janela, quase como uma pintura.

Em termos de localização, esse seja talvez o melhor da lista, estando a uma curta distância a pé das mais famosas atrações da cidade, como a London Eye, a roda gigante mais famosa do mundo, o Borough Market, o Globe Theatre, entre outras.

O hotel possui toques de decoração naval, dando um tom mais informal à hospedagem. O bar e a cozinha são abertos, permitindo que os hospedes vejam a preparação dos drinks e da comida, que é baseada na culinária britânica e americana.

Reservas aqui

ME by Melia – West End

Hotéis para brasileiros: ME London by Melia
ME London by Melia – Foto: Booking.com

Esse hotel é para quem procura modernidade – o prédio tem apenas três anos de idade – e muito agito em meio ao burburinho de uma das regiões mais badaladas da cidade, a West End. O turista irá se hospedar em meio aos melhores bares e teatros da cidade, mas tendo tranquilo e com todas as amenidades possíveis para descansar, e o melhor, a prova de som.

A modernidade do hotel está em cada detalhe, e a tecnologia está em todos os detalhes, até no banheiro. O hotel é perfeito para uma galera mais jovem que curte festas, e no próprio bar do local um DJ agita as noites todos os dias. O restaurante do hotel é especializado em drinques e nos melhores cortes de carne britânicos e americanos.

Em elação à localização, dá pra ver a London Eye pela janela dos quartos, logo, você não ficará decepcionado nesse quesito. Para achar o hotel é fácil, e ele já impressiona do lado de fora: é só procurar por uma pirâmide preta, que serve de recepção, e corta o prédio inteiro até o seu topo.

Reservas aqui

The Ritz

Hotéis de luxo para brasileiros: The Ritz London
The Ritz London – Foto: Booking.com

Esse hotel é para quem deseja classe e estilo em um só lugar. Uma das entidades em hospedagem da cidade, o Ritz é um dos melhores hotéis de Londres. Mas sua fama não fez com que ele ficasse parado no tempo, e recentemente o local passou por diversas renovações. Logo, espere surpresas.

As novidades ficam principalmente por conta da reforma do bar – que ainda serve os melhores coquetéis da cidade – e da expansão do hotel com a aquisição da casa ao lado.

No entanto, a maior parte do hotel manteve a suntuosidade do estilo original da construção, remontando à era Louis XVI, pontuado de dourado e rosa e riqueza de detalhes. Perfeito para quem quer se sentir como parte da realeza britânica!

Reservas aqui

Ace Hotel Shoreditch

Hotéis para brasileiros: Ace Hotel London Shoreditch
Ace Hotel London Shoreditch – Foto Booking.com

Para a galera mais alternativa, que se sente melhor em ambientes mais descontraídos e menos suntuosos, o Ace Hotel é a pedida certa. Isso porque o seu hall de entrada poderia ser facilmente confundido com uma bar alternativo, ou mesmo com uma cervejaria e hamburgueria gourmet. O que, para a atmosfera do lugar, funciona perfeitamente, e não significa qualidade inferior, muito pelo contrário.

Os funcionários do hotel circulam pelo local vestidos em roupas de malhar, e no porão do hotel, em entrada independente, está o bar da hospedagem, que promete uma noite agitada com muito hip hop e música eletrônica.

Viajantes sozinhos gostam muito da localização (nota 8,9 Booking)

Reservas aqui

Park Grand London Kensington

Hotéis para Brasileiros: Park Grand London Kensington
Park Grand London Kensington – Foto Booking.com

Esse hotel quatro estrelas está localizado na próximo da famosa região dos museus, chamada pelos ingleses de Museum Mile. Ele está pertinho do metrô, o que facilita na hora de conhecer outras regiões da cidade, além de ser perto das principais atrações da capital inglesa.

Ele possui funcionários poliglotas, e muitos no local falam português, para ajudar o turista brasileiro. O restaurante do hotel serve pratos muito variados, comidas leves e saborosas, e conta com uma carta de vinhos muito ampla – incluindo até vinhos brasileiros.

Com diversas amenidades e muito conforto, esse hotel é a prova de que não é preciso gastar muito para se hospedar com conforto e qualidade.

Reservas aqui

The Savoy

Hotéis para brasileiros: The Savoy
The Savoy – Foto Booking.com

Mais um hotel com estilo clássico, com construção no tradicional estilo Art Deco, mas com um toque Edwardiano, e sem a suntuosidade dos outros hotéis palacetes.

O Savoy está à margem do rio Tâmisa, e sua vista inspirou muitos pintores, como Monet, a representar Londres em suas famosas pinturas.

O hotel oferece conforto, quartos grandes e espaçosos, e uma coisa rara de se ver em hotéis mais modernos: banheiras enormes nos banheiros. O restaurante é especializado em frutos do mar – e vale a visita mesmo se você não estiver hospedado no hotel.

Reservas aqui

The Berkeley

Hotéis para brasileiros: The Berkeley
The Berkeley – Foto Booking.com

Esse hotel pertence a uma cadeia de hotéis relativamente semelhantes na cidade, mas consideramos esse o melhor pela sua localização e relativa autenticidade.

O hotel oferece tudo o que o turista pode querer: excelente localização, piscina – que é pequena, mas fica localizada no terraço do prédio, logo, vale a pena pela vista – academia, restaurante, bar, e até um spa!

Para uma experiência completa aliando qualidade de atendimento, relaxamento, e conforto, esse é o lugar. E ainda, quem quer marcar a sua ida a Londres com uma experiência única e em grande estilo, pode reservar a Suíte Opus, com 278 metros quadrados, a maior suíte de hotel de toda a cidade!

Reserve aqui

Muitas opções de hotéis em Londres para brasileiros

Já percebeu que para se hospedar em Londres é simples, basta escolher entre uma das inúmeras excelentes opções que a cidade oferece.

Se você procura hotéis com um melhor custo-benefício, veja aqui

Mas, se você procura pelos melhores hotéis em Londres para brasileiros, escolha um dos hotéis dessa lista, que você não vai se arrepender.

Gostou das dicas? Conhece algum outro hotel para recomendar para gente em Londres?

Escreve nos comentários!

Descubra como é o Réveillon em Londres

2

O Réveillon em Londres é um momento mágico. A queima de fogos ocorre na London Eye, a famosa roda-gigante de 135 metros que se ilumina e lança fogos por todas as cabines.

Ao lado dela, o Big Ben também se agiganta e entra na festa. Apesar da reforma que está passando que deixará o famoso relógio pronto somente em 2020, suas badaladas ainda funcionam, e é o sinal para o início do evento.

Por que passar o Réveillon em Londres

Abaixo, confira um vídeo da queima de fogos no Réveillon em Londres:

Como você pode observar no vídeo, o espetáculo é incrível. São 15 minutos de fogos entrecortados por músicas contagiantes selecionadas por algum DJ bem perspicaz. Todos os elementos da festa se complementam para criar um espetáculo de luzes, cores e sons que vai embalar a sua virada de ano como em nenhum outro lugar do mundo.

O problema é que todo mundo concorda – e quer ver de perto. Por isso, Londres cobra ingresso para assistir à queima de fogos ali na beira do Tâmisa, pertinho da London Eye e do Big Ben.

Por isso, é cobrado um ingressos de £10, e para evitar os famosos “cambistas”, cada pessoa só pode comprar até 4.

Outro diferencial é que nome do comprador aparecerá em todos tickets comprados, e esta pessoa (comprador principal) terá de mostrar identidade para entrar na área juntamente com as outras 3 pessoas.

Para saber mais sobre os ingressos, acesse o site do See Ticket.

Na hora de escolher onde curtir o Réveillon em Londres na London Eye, opte por um local na mesma margem do seu hotel.

Área Azul – lado norte do Rio Tâmisa, entre a ponte de Westminster e a estação de metrô Embankement, este local fica exatamente em frente a London Eye. O acesso a esta área será permitido entre 20h00 e 22h30 e será feito somente pela margem norte.

Área Vermelha – lado norte do Rio Tâmisa, entre a estação de metrô Embankment e a estação Temple, onde o acesso será permitido entre 20h00 e 22h30 e será feito somente pela margem norte.

Área Branca – perto da ponte de Westminster, com acesso permitido entre 20h00 e 22h30 e será feito somente pela margem sul.

Área Verde – atrás da London Eye, com acesso permitido entre 20h00 e 22h30 feito somente pela margem sul.

Área Rosa – na ponte Waterloo, comacesso tanto pela margem sul quanto pela margem norte, onde será permitido o acesso entre 20h30 e 22h30.

Mas se você quiser curtir a queima de fogos um pouco mais longe, saiba que alguns telões serão espalhados pela região para que todos os turistas possam curtir a virada do ano com muita alegria e boas energias.

Dica: planeje chegar mais cedo para não acabar perdendo a festa. Lembre-se que por ser uma das épocas mais badalas do ano, o trânsito e fluxo das pessoas é maior, e por isso o tempo gasto de um local para o outro pode atrasar a sua chegada.

Para dúvidas sobre o ingresso ou se precisar trocar o lugar, entre em contato com o See Tickets Customer Servicewww.seetickets.com/customerservice / Tel: 0044 (0)115 896 3048.

Dúvidas sobre o Réveillon em Londres na London Eye

Separamos algumas dicas para poder aproveitar o Réveillon em Londres na London Eye:

  • É liberado levar comida para o Réveillon em Londres na London Eye, como os famosos picnic. Se quiser, pode incluir bebida alcoólica (em quantidades moderadas e para consumo próprio), mas é proibido entrar com garrafas ou outros objetos de vidro;
  • O local terá banheiros disponibilizados pelos organizadores do evento em diversas áreas;
  • Antes da queima de fogos, os organizadores sempre disponibilizam um DJ para animar o público e espantar o frio enquanto os fogos não começam;
  • Também, por ser um local aberto, não esqueça de levar casaco, guarda-chuva e ir bem protegido contra o frio, pois assim conseguirá curtir melhor a festa;
  • Para a comodidade do turista, o metrô estará funcionando após a queima de fogos, mas lembre-se de que algumas estações estarão fechadas e haverá uma multidão querendo ir embora na mesma hora. O jeito é ter paciência!

Prepare-se para o Réveillon em Londres

O Ano Novo de Londres é famoso em todo o planeta. O mundo inteiro desembarca em Londres para assistir à queima de fogos do Réveillon em Westminster.

Isso quer dizer que as ruas centrais ficam apinhadas de gente, que as estações são fechadas, que os bêbados se espremem entre pais e mães de família que se agarram aos seus filhos e que, para vislumbrar um pouquinho do espetáculo nos céus, você precisará passar algumas horas em pé esperando.

Não tem Iemanjá, mar, ondinhas ou lentilha. O espírito aqui é diferente, e muitos ingleses não emprestam à data o significado que ela tem no Brasil. Quem quer virada de ano como no Brasil deve ficar no Brasil.

Tudo fica mais caro. Quer jantar em um restaurante com vista para o Tâmisa? Lindo, mas você vai pagar muito mais caro do que em outros dias. Então, já prepara a carteira que a conta vai sair bem mais caro do que o normal.

É frio. A sensação térmica deve beirar os 5 graus celsius, você estará na rua. Mesmo com a pontualidade britânica, o tempo vai passar muito devagar até a meia-noite. Por isso, aquele casaco bem grosso e uma roupa preparada é a companhai ideal para curtir o Réveillon em Londres.

Quando o Big Ben soar e os céus forem invadidos pelos fogos de artifício, haverá não apenas o deslumbramento, mas o pânico antecipado de que, em alguns minutos, essas centenas de milhares de pessoas que se espalham ao seu redor terão que voltar para casa ou para o hotel.

E, assim como você, elas esperaram horas em pé. E algumas beberam mais do que deviam.

Já dissemos que vai estar frio? Então experimente voltar a pé para o hotel, pois a maioria das estações vai fechar devido à multidão tentando entrar.

Mesmo assim, a gente acha que vale a pena passar o Réveillon em Londres, sim.

Relato: assistindo à queima de fogos em Londres.

E você, já teve essa experiência? Compartilhe.

Mais Réveillon em Londres

Atrações e dicas para o próximo Ano Novo