Tudo sobre a Inglaterra: da libra esterlina à Rainha Elizabeth II

Tudo sobre a Inglaterra: da libra esterlina à Rainha Elizabeth II

0

Você conhece a Inglaterra? Falar de Brexit e Premier League apenas não vale. Você conhece a moeda, a monarquia e a diferença entre Inglaterra, Grã-bretanha e Reino Unido? O principal país das ilhas britânicas não se resume à sua conturbada relação com os vizinhos continentais e à poderosa liga de futebol nacional. Saber tudo sobre a Inglaterra não é para qualquer um. A terra natal de Shakespeare é rica e multifacetada, e não é à toa que tem atraído visitantes do mundo inteiro para conhecer sua cultura e atrações turísticas.

Nos próximos parágrafos, caminharemos por território anglo-saxão. Vamos ajudar você a entender melhor esse país fantástico e ao final você vai estar sabendo tudo, ou melhor, quase tudo sobre a Inglaterra, afinal de contas, uma nação tão rica e herdeira de tantos reis e rainhas não cabe em apenas um post como este.

Onde fica a Inglaterra

Vamos começar a conhecer a Inglaterra literalmente viajando até lá. Claro que você não precisa comprar uma passagem aérea para ler esse texto – uma breve visita ao Google Maps já basta para início de conversa. Aliás, é exatamente o que vamos fazer para conhecer onde fica nosso destino. Vejamos o que os mapas nos dizem sobre a localização geográfica do povo inglês.

Map of Great Britain
Grã-Bretanha

Inglaterra, basta digitar o nome do país que em poucos segundos você verá um arquipélago formado por duas ilhas principais. Uma maior, à direita, e outra um pouco menor. O conjunto de ilhas está ali espremido entre o Atlântico Norte, à oeste, o Mar do Norte e uma estreita faixa de marítima que separa o continente europeu das ilhas britânicas.

Você viu que a palavra norte já apareceu mais de uma vez, não é mesmo? Não é para menos, a Inglaterra está localizada na maior ilha do arquipélago britânico e é um dos países mais setentrionais da Europa.

Não foi à toa que os Vikings escandinavos e dinamarqueses resolveram fazer algumas excursões por lá em diferentes períodos da história. Os países mais frios da Europa estão bem ao alcance dos ingleses. Noruega, Suécia e Finlândia estão um pouco mais ao norte, separados pelas águas geladas e ricas em petróleo do Mar do Norte. A Dinamarca, Norte da França e Países Baixos são as nações continentais mais próximas, localizados à sudoeste do arquipélago.

Outros nomes que você verá no mapa serão: País de Gales, Escócia, Irlanda do Norte e Irlanda. Estes são os demais países que junto com a Inglaterra compõem o conjunto das ilhas britânicas.

Agora você sabe onde fica a país que inventou o futebol moderno e quem está ao seu redor. Já deu o primeiro passo para conhecer tudo sobre a Inglaterra.

Inglaterra, Grã-Bretanha ou Reino Unido

Você está aqui para conhecer a Inglaterra, correto? Ou seria a Grã-Bretanha? ou talvez o Reino Unido? Ou ainda, as Ilhas Britânicas ? Todos esses termos são muitas vezes usados de forma intercambiável, fazendo referência ao mesmo lugar. Mas não é bem assim. Apesar de todos esses nomes indicarem lugares vizinhos e em grande medida se sobreporem em alguns casos, eles delimitam territórios diferentes. Vejamos quais as diferenças.

Ilhas Britânicas ou Arquipélago Britânico

É o arquipélago localizado no Mar do Norte, próximo aos países escandinavos e norte da França. É formado pela Grã-Bretanha, maior ilha do arquipélago, Irlanda e Irlando do Norte, que formam a segunda maior ilha, e outras muitas pequenas ilhas adjacentes e próximas.

Grã-Bretanha

A Grã-Bretanha é a maior Ilha do Arquipélago Britânico. Nesta ilha estão localizados a Inglaterra, a Escócia e o País de Gales.

Grã-Bretanha no mapa
Grã-Bretanha é a maior ilha britânica. Irlanda é a segunda maior. Arte sobre Google Maps

Reino unido

Chamado oficialmente de Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte, o Reino Unido é uma união política formada por quatro países constituintes: Inglaterra, País de Gales, Escócia e Irlanda do Norte. Compreende toda a Grã-Bretanha e a parte nordeste da ilha da Irlanda e ainda várias outras ilhas menores. O governo é um sistema de monarquia parlamentar sediado em Londres, onde está situado o parlamento. O atual chefe de estado do Reino Unido é a Rainha Elizabeth II e o chefe de governo é a primeira-ministra Theresa May.

Inglaterra

A Inglaterra é o maior país constituinte do Reino Unido. Localizado na Grã-Bretanha, faz fronteira a oeste com País de Gales e a norte com a Escócia. Outras mais de 100 ilhas menores também fazem parte da Inglaterra. Sua capital é Londres e sua população está estimada em mais de 50 milhões de habitantes.

Agora quando você viajar para Londres não cometerá equívocos na hora de fazer referências aos países da região. Um passo importante para conhecer a Inglaterra.

Moeda da Inglaterra

Não se faz nada sem algumas notas na carteira e apesar de os cartões estarem substituindo cada vez mais o dinheiro em espécie, possuir alguma reserva física durante viagens é uma recomendação importante. A Inglaterra possui uma moeda forte, herdeira de uma rica tradição financeira que remonta ao Império Britânico do século 19: A libra esterlina.

A temida Libra Esterlina. Foto: Mapa de Londres
A temida Libra Esterlina. Foto: Mapa de Londres

Um dos países que não decidiu entrar na união monetária promovida pela União Européia e agora com o Brexit (vide próxima seção), a Inglaterra paga tributo à força da libra esterlina e sua história no sistema financeiro mundial.

No momento da redação desse texto, uma unidade da moeda inglesa equivalia a R$3,89, mais valorizada que o Euro (R$ 3,32) e significativamente mais forte que o dólar (R$ 3,12).

A Libra esterlina

A libra esterlina, ou simplesmente libra, é a moeda oficial de todo o Reino Unido. Foi adotada oficialmente em 1971, mas o nome libra já era usado desde há muito tempo e não apenas no Reino Unido. Em 15 de fevereiro de 1971, uma libra esterlina passou a valer 100 pence.

Antes dessa data a divisão não era exata e um libra valia o equivalente a 20 shillings, com cada shilling valendo 12 pence. Ou seja, antes da adoção do sistema decimal, uma libra valia 240 pence. O Penny (singular de pence) é a menor unidade da moeda inglesa. É o “centavo” da libra esterlina. O Schilling foi extinto em 1971.

Ao contrário do Real brasileiro, a libra pode ser emitida por mais de um banco. Tanto os bancos da Inglaterra como os da Escócia atuam em coordenação para tal.  O símbolo da libra esterlina é o “£ (Sterling)“. Ao conversar com um inglês provavelmente você deverá usar o termo English pound ou simplesmente pound para se referir à moeda inglesa.

Na Inglaterra são usadas notas de £5, £10, £20 e £50. Na escócia também há notas de £1 e £100.

Inglaterra e o Brexit

Agora vamos falar de um assunto que você com certeza já ouviu falar. Provavelmente até conversou sobre isso com amigos e familiares. Estamos falando da saída do Reino Unido da União Europeia, o chamado Brexit.

Theresa May
Manifestantes em Londres pedem para ficar na União Europeia: “MAY WE STAY?”. Foto: iStock, Getty Images

O que é o Brexit

Conjunção dos termos Britain (Bretanha) e exit (saída), Brexit designa o referendo que foi realizado em 23 de junho de 2016 no qual mais de 30 milhões de pessoas votaram para decidir se o Reino Unido deveria continuar na União Europeia ou não. A votação acabou por terminar com a vitória dos que defendem a saída do Reino Unido da organização europeia.

Repercussão e votação

Junto com a eleição do Republicano Donald Trump para a presidência dos EUA, o Brexit foi o acontecimento político mais importante desde 2016 até agora. Inclusive, esses dois fatos são vistos como frutos de um deslocamento de forças poĺíticas que acontece em âmbito global.

O então primeiro ministro, David Cameron, era defensor da permanência na União Europeia. A derrota no referendo fez que com que ele abrisse mão de seu cargo, renunciando pouco depois do resultado do referendo. A opositora e defensora do Brexit, Theresa May, sucedeu Cameron no comando político do Reino Unido e é quem atualmente dá seguimento ao processo de desvinculação da UE.

A votação foi extremamente apertada. Veja abaixo:

  • Saída da UE: 17.410.742, ou  51,9% do total de votos válidos;
  • Permanência na UE: 16.141.241, ou 48,1% do total de votos válidos.

Não é para menos. O referendo envolveu uma forte polarização nos britânicos e no mundo todo. As campanhas pró e contra a permanência fizeram críticas pesadas uma às outra e todo o povo do Reino Unido se viu envolvido nas discussões sobre qual seria o destino da relação política com a organização supranacional europeia.

O mundo acompanhou de perto o referendo e o resultado. O Brexit foi entendido como uma derrota importante da UE e do movimento europeu como todo e uma vitória dos movimentos de cunho mais nacionalista e antiglobalização.

O mundo ficou atônito pois a partir dali não se sabia se outros países poderiam ou não trilhar o mesmo caminho, principalmente devido ao extenso ano eleitoral que segue desde então. A Holanda realizou eleições em março e os líderes que defendem um movimento semelhante ao Brexit foram derrotados. França e Alemanha, as duas nações que compõem a espinha dorsal da UE, terão eleições gerais em 2017 e o mundo observa atento a possibilidade de partidos de oposição e antieuropeus alcançarem ainda mais influência.

A monarquia na Inglaterra

Falar de Inglaterra e não falar de seus Reis e Rainhas é impossível. O que você sabe sobre a famosa Monarquia Parlamentar ? A princípio o nome é até um pouco estranho, como uma Monarquia pode ser parlamentar ? Vamos entender isso agora.

Queen Elizabeth II
Poderosa, a Rainha Elizabeth II é a proprietária legal de um sexto da superfície terrestre. Foto: iStock, Getty Images

Vida longa ao Rei – Vida fácil ou difícil?

Na verdade, os monarcas britânicos não tiveram vida fácil ao longo da história. O poder absoluto dos reis Ingleses foi muito contestado mesmo durante o fim da Idade média e durante a Idade Moderna (séculos 16 a 19). Em 1215 o rei João assinou a Carta Magna, um dos documentos mais importantes da história política do ocidente. Foi um marco pois limitava o poder absoluto do monarca e o proibia de criar novos impostos sem a aprovação do Grande Conselho (órgão formado por membros do clero e da nobreza). Esse documento é visto como ponto de partida para o desenvolvimento dos atuais sistemas constitucionais.

Apesar disso os monarcas Ingleses exerceram o papel de chefe de estado e de governo por muito tempo. É considerado como primeiro chefe de governo eleito pelo parlamento o político Robert Walpole, 1.º Conde Orford, que comandou o parlamento e o governo de 1721 a 1742. Portanto, desde a aprovação da Carta Magna em 1215, foram mais de 500 anos nos quais o monarca inglês além de chefe do Estado era também chefe do governo.

Desde a Carta Magna passando pelas revoluções Inglesas do século 17, a Monarquia ora teve um papel de maior influência política e ora de menor poder sobre os destinos do País.

Atualmente a Inglaterra vive uma Monarquia Parlamentarista, na qual a Rainha Elizabeth II possui um papel simbólico de chefe de estado, é ela quem atribui honrarias e títulos honoríficos por exemplo, além de representar o Reino Unido em outros países e eventos internacionais. O comando do governo e da política do país em si está à cargo do Primeiro Ministro eleito pelo parlamento, que por sua vez é eleito pelo povo Inglês em eleições gerais.

Apesar do papel simbólico e representativo da monarquia atual, a Família Real Britânica é popular e amplamente respeitada pelo povo inglês. Apesar de eventuais movimentos de contestação e polêmicas que afloram vez ou outra, não há sinais de que a dinastia dos Windsor (família da atual monarca) deixará de cumprir com seu papel ainda por muitos anos.

Você já imaginou como seria ter uma Família Real no seu País? Os brasileiros que viveram na época do Império souberam o que era viver sob a política de um monarca, ainda que não fosse dentro de um regime parlamentarista. Quem sabe uma visita à Inglaterra não permitirá experimentar a sensação viver sob a representação de uma rainha?

Turismo na Inglaterra

Depois de conhecer um pouco de todas essas facetas da Inglaterra não é difícil de imaginar o porquê de tantas pessoas viajarem para esse país todos os anos. Além de toda a importância política, econômica e histórica, a Inglaterra é um dos principais destinos turísticos da Europa.

London Eye à noite
Vista de Westminster, em Londres, à noite. Foto: Mapa de Londres

Para fazer turismo você não precisa conhecer tudo sobre a Inglaterra. Claro que depois desse texto você vai estar um pouco mais apaixonado e sábio sobre o povo inglês, mas as atrações turísticas de Londres e de toda a Inglaterra valem a pena por si só.

Veja abaixo algumas das razões pelas quais o apelo do turismo na Inglaterra é tão forte:

  1. Não é necessário visto e nem seguro de saúde. Vistos e seguros sempre dão um trabalhão para providenciar. Para fazer turismo na Inglaterra, você precisa passar por uma entrevista apenas, mas não é necessário um visto formal. Seguro de saúde, embora sempre recomendado, também não é uma exigência formal do país.
  2. Grande parte das atrações em Londres são gratuitas. Isso mesmo! Os principais museus como o Museu Britânico e a National Gallery, os parques reais e as feiras urbanas são públicos e não precisa pagar para entrar. Os famosos pubs ingleses, recheados de cervejas Porter e Stouts também são gratuitos.
  3. Atrações turísticas variadas: Stonehenge, cidades universitárias de Cambridge e Oxford, praias em Brighton e Bournemouth, atrações naturais em Dover e, é claro, Londres, uma das mais fantásticas metrópoles do mundo.

Esses são só alguns dos motivos que fazem a Inglaterra um destino turístico de ponta. A terra natal dos Beatles tem muito a oferecer e para conhecer. Agora que você já sabe quase tudo sobre a Inglaterra, talvez já esteja dando aquela vontade de pesquisar como estão as promoções de passagens aéreas e outras atrações turísticas, não é mesmo? Pois não perca tempo, a viagem vale a pena e você já sabe mais do que imagina sobre seu destino.

Curtiu as dicas sobre a Inglaterra? Comente!

Nosso e-book com 7 dias de atrações em Londres:

pequeno-cta-roteiro-do-mapa-de-londres

Deixe seu comentário

Sem comentários