Guia para viajar de trem na Europa

Guia para viajar de trem na Europa

2

Você está pensando em viajar de trem na Europa? Primeiro, é importante que você saiba que esse meio de transporte, bastante glamourizado pelo cinema e pela literatura, pode não ser o mais rápido e barato no Velho Continente.

Mesmo assim, o trem tem seu apelo. Ele é mais prático do que o avião e o ônibus, é mais rápido e mais confortável em muitos casos e oferece custo-benefício bastante interessante em muitas linhas, especialmente quando belas paisagens estão envolvidas.

No trem, você não precisa despachar mala, fazer um check-in demorado nem se deslocar até um aeroporto muito distante do centro da cidade. A bagagem é carregada até o seu vagão, o check-in e imigração, quando necessários, são mais rápidos, e os terminais ferroviários podem se localizar em pontos bem mais centrais do que os aeroportos.

Mas não dá para dizer que toda paisagem que você encontrar em uma viagem de trem pela Europa será bela como a dos filmes. Nem dá para garantir que sua jornada será tão confortável quanto a descrição de algumas linhas ferroviárias de livros da Agatha Christie.

Atualmente, a viagem de trem, mesmo na Europa, deve ser considerada com cuidado, caso a caso. A bem estruturada malha de transportes europeia é a espinha dorsal para a fácil locomoção no velho continente e funciona como trunfo turístico para atrair viajantes do mundo inteiro.

A malha ferroviária em especial ocupa um lugar de destaque no sistema de transportes de vários países. Os trens do Velho Continente são eficientes e constituem um modal amplamente utilizado tanto por europeus como por estrangeiros.

Por isso, preparamos um guia completo sobre os trens na Europa e como você pode utilizá-los dentro de seu roteiro. Então, embarque conosco, pertinho da janela, enquanto descortinamos todos os detalhes que você precisa conhecer para suas novas aventuras.

All aboard?

Eurostar Londres - Berlim - St Pancras
Eurostar é o trem que liga Londres a Paris e Bruxelas. Foto: iStock, Getty Images

Vale a pena usar trem na Europa?

A resposta é: depende. Viajar de trem vale a pena para certas circunstâncias e roteiros, mas para outras situações, nem tanto. Aqueles passes baratinhos que nossos pais compraram para mochilar pela Europa meses a fio já não existem mais e, se você não se planejar direito, a viagem de trem pode acabar saindo muito cara e ineficiente.

A grande variável dessa pergunta é o seu roteiro de viagem. A distância entre os seus destinos, se eles fazem parte da zona de Schengen ou não, o tempo que você tem disponível e o objetivo de sua viagem são todos fatores que podem fazer as viagens de trem mais atrativas ou não.

Veja abaixo os casos nos quais vale a pena e não vale a pena viajar de trem pela Europa.

Quando vale a pena viajar de trem na Europa

  • Para viagens com menos de 4 horas de duração.

Lembre-se que toda viagem de avião possui embutido o tempo de check-in, imigração, despacho de bagagem, recolhimento de bagagem no destino final, traslado para e do aeroporto (que na maioria das vezes é surpreendentemente longe do centro das cidades). Uma boa conta é sempre somar três horas adicionais ao tempo de voo. Assim, uma viagem que dura uma hora com avião no ar, com todos os trâmites e traslados necessários acaba saindo praticamente 4 horas.

  • Para visitar países contiguos.

O roteiro de quais cidades visitar é importante para saber se vale mais a pena viajar de trem ou de carro/ônibus. Nem toda cidade tem estações ferroviárias e talvez os horários sejam ruins. De Lisboa para Madri, por exemplo, só tem uma viagem por dia e à noite. Mas de forma geral, para viajar entre países contíguos o trem é uma boa opção e tem a vantagem de te deixar no centro das cidades, provavelmente próximo ao seu hotel.

  • Para visitar mais de um país dentro da zona de Schengen (respeitando o limite de 4 horas).

Viajar de trem não exige check-in nem interrogatórios chatos dentro do Espaço Schengen, e muito menos despacho de malas e ter que ficar aquele tempinho ocioso aguardando a sua bagagem sair na esteira para você poder pegá-la.

Apenas quando você viaja para um país fora do Espaço Schengen é que é necessário apresentar documentos. Mas de maneira geral, viajar de trem é um procedimento tão desembaraçado e desburocratizado que faz os aeroportos parecerem repartições de velhos prédios do serviço público.

  • Quando é necessário levar na sua bagagem algum item que você não poderia despachar no avião

Para viajar de trem, não há todo aquele procedimento de checagem de bagagem, raio X e tudo mais. Sua bagagem vai no trem como se fosse um passageiro qualquer, sem complicações ou burocracias adicionais.

Quando não vale a pena viajar de trem na Europa

  • Em viagens longas

Quando a viagem de trem ultrapassa quatro horas de duração, considere seriamente a possibilidade de pegar um voo. Mesmo que o trem seja de fato mais confortável, nenhum conforto dura tanto tempo.

  • Quando há voos muito mais baratos

Se você pesquisar em companhias low cost, como RyanAir e EasyJet, vai ver que quase nunca o trem compensa financeiramente. Em alguns casos, com voos por 20 euros, por exemplo, você economizar uma boa grana que depois pode ser revertida para aproveitar melhor o seu destino.

  • Viagens apenas para explorar a paisagem.

Muito cuidado com aquela história de que os charmosos trens europeus são ótimos para poder viajar espiando a paisagem local. Nos trens de alta velocidade, isso simplesmente não acontece, haja visto não ser possível ver mais do que formas e cores passando rapidamente pela janela.

À exceção de algumas ferrovias notadamente panorâmicas, a maioria das viagens de trem não oferece paisagens maravilhosas que fariam valer a pena se decidir por esse meio de transporte. Para ver a paisagem local o carro e o ônibus são melhores. Além de você ter mais controle sobre o trajeto, você pode parar pela estrada em algum spot que te chamar a atenção.

A regra principal para acertar na hora de escolher o trem ou outro modal de transporte é ter estudado muito bem o seu roteiro tendo em mente todos os pontos citados acima. Cada ramal de transporte tem suas vantagens e desvantagens e a decisão de qual usar é uma questão que depende dos seus planos.

Portanto, lembre-se de estudar como o transporte ferroviário pode ajudar na sua viagem mas não se renda ao charme dos trens europeus. Apesar de serem românticos, há casos em que definitivamente um avião ou um carro irão proporcionar uma viagem melhor.

6 dicas para andar de trem na Europa

De uma forma ou de outra o trem estará presente em seu roteiro. Na hora de planejar a sua viagem, você tem que tomar algumas precauções em relação aos trens. Vamos te dar algumas dicas que você vai adorar lembrar quando estiver nas estações europeias embarcando para seu próximo destino.

Dica 1 – Consulte o site da Deutsche Bahn

O site da Deutsche Bahn é um dos melhores lugares para você pesquisar e estudar o seu roteiro de trem por toda Europa. O site é dono do mais completo banco de dados e também de uma das interfaces mais intuitivas para fazer as suas pesquisas e simulações.

Além desse portal, vale ficar ligado no Rail Europe, que tem uma versão em português e informações bem completas sobre as opções de trens por todo o continente. Ao encontrar passagens que você considere interessantes, não deixe de explorar o site da própria companhia ferroviária para garantir sempre o melhor preço.

Dica 2 – Faça simulações para vários dias

Tal como nas pesquisas por passagens aéreas, você pode conseguir boas promoções fazendo pequenos ajustes em seu roteiro. Fazer simulações com antecedência em em dias diferentes é uma boa maneira de otimizar o seu roteiro de viagem. Trinta dias é um bom intervalo de tempo para se pesquisar.

Nessas buscas, consulte também sites de companhias ferroviárias locais. No Reino Unido, todo o sistema de trens é coberto pelo site da National Rail, que reúne todas as linhas, opções, trens, datas e preços que você precisa.

Dica 3 – Viaje leve e fique atento ao tamanho das malas

Para viajar de trem, você não despacha suas malas – elas vão com você no trem. Há alguns compartimentos em lugares específicos do vagão para guardar as malas, às vezes nos espaços entre os assentos também, mas pode ser que falte espaço para a sua bagagem. Malas de tamanho M, que possuem altura não maior que 65 cm são o ideal.

Dica 4 – Chegue com antecedência às estações

Você pode embarcar na maioria dos trens até o último minuto, mas não é recomendado chegar em cima da hora. Claro que você não precisa se desdobrar para chegar uma hora antes, como seria o caso de uma viagem de avião, mas certifique que você estará na estação pelo menos 30 minutos antes da partida. Fique atento, porém, para a imigração, que ocorre quando a viagem envolve algum dos países fora do Espaço Schengen, como o Reino Unido.

Dica 5 – Fuja dos trechos noturnos

Se você é daquelas pessoas que acha que viajar de trem é mais confortável e mais fácil de dormir do que de avião, tome cuidado. Os trens certamente são mais confortáveis para viajar, mas fazem tanto barulho quanto, balançam e possuem tantos passageiros quanto um avião. A não ser que você já esteja acostumado a dormir em viagens, melhor viajar durante o dia e evitar passar uma noite em claro.

Dito isso, há quem queira aproveitar uma viagem noturna para economizar em acomodação. Se é o seu caso, não tem problema: você vai ver que, na grande maioria dos casos, dormir em trem é muito melhor do que em avião.

Dica 6 – Compre bilhetes para segunda classe

A segunda classe nos trens é como se fosse o assento econômico no avião. Viajar de primeira classe proporciona mais espaço e conforto, mas sai muito mais caro. Como as viagens de trem não serão muito maiores do que 4 horas, será que vale a pena pagar mais caro por um bom assento e mais espaço?

A segunda classe é onde os europeus viajam. A primeira classe é mais usada por executivos a trabalho, o que significa que quem paga o bilhete é a empresa para a qual eles trabalham. Se fosse para tirar do próprio bolso, certamente eles também escolheriam a segunda classe.

Como economizar nos trens da Europa

Para economizar viajando de trem na Europa você pode usar alguns macetes também. Vamos te dar eles agora. O primeiro você já conheceu na seção anterior. Reserve assentos na segunda classe.

Alguns toques adicionais para você deixar seu bolso (e consequentemente você) feliz durante a sua viagem são os seguintes:

Compre passagens avulsas diretamente no site das companhias

A dica é entrar diretamente no site das companhias de trem e reservar seus bilhetes por lá. Agências de turismo e sites de comparação podem embutir margens de serviço nos preços e encarecer um pouco as passagens.

Compre as passagens com antecedência, mas não demais

Da mesma forma com que as passagens de avião, se você reservar seus assentos no trem com antecedência você consegue preços melhores e pode até conseguir uma boa promoção. Mas não faça as reservas com mais de 80 dias de antecedência, pois pode acontecer de os bilhetes promocionais simplesmente ainda não terem sido colocados online no sistema de reservas. Os descontos para quem compra com antecedência pode passar dos 50%.

Tente comprar mais bilhetes para trens tradicionais

Os trens de alta velocidade são mais caros do que os trens tradicionais. O Eurostar de Londres para Paris leva pouco mais de duas horas, apenas. Mas normalmente tem passagem de custo mais elevado. Sabendo das limitações de tempo de sua viagem, tente incluir mais trens normais e menos opções mais modernas e rápidas mas que cobram um preço mais caro.

Evite comprar pela Raileurope e sites semelhantes

Apesar da interface amigável e intuitiva, a Raileurope não disponibiliza todas as promoções das companhias europeias e muitas vezes inclui sobretaxas que originalmente não são cobradas. É um bom portal para estudar seu roteiro, mas na hora de efetuar a compra, vá para o site da empresa ferroviária europeia e reserve seu assento por lá, diretamente.

Trens famosos na Europa

Viajar de trem nem sempre é uma questão de escolher o melhor modal de transporte. Algumas linhas férreas são simplesmente passeios turísticos por si só, seja pela paisagem estonteante que você pode experimentar ou pelas atrações que a linha oferece.

Há ainda os trens mais históricos e com um significado simbólico importante. Essas também são boas razões para escolher uma viagem de trem na Europa e pensando nisso você vai conhecer agora alguns dos trens mais famosos da Europa.

Eurostar – Paris, Bruxelas, Londres

O Eurostar, conhecido como Eurotrem, corta o Canal da Mancha por um túnel e conecta em alta velocidade Paris, Londres e Bruxelas. De Londres a Paris, por exemplo, você pode chegar em pouco mais de duas horas. Não espere paisagens sensacionais no caminho, já que você não vai enxergar quase nada.

Bergen – Oslo

Saindo de Bergen e rumado para Oslo, na Noruega, não serão  poucos os famosos  fiordes vistos no caminho. Especialmente no inverno a viagem fica impressionante devido à neve cobrindo a paisagem escandinava.

Glacier Express

Ligando Zermatt, Davos e St. Moritz, na Suíça, essa é uma viagem de mais ou menos sete horas. Seu destaque são as alpes suíços que podem ser apreciados do conforto do trem.

Centovalli

A linha de ferro acompanha o vale do rio Melezza, ligando Domodossola, na Itália à cidade suíça de Locarno. Como o nome sugere, são exatos 100 vales que essa elegante linha de trem cruza durante a viagem.

Venice Simplon-Orient-Express

Uma viagem luxuosa de Londres para Veneza em um trem do século 19. O Trem corta a Europa e oferece almoço e jantar diferenciados.

Danúbio Express

Um passeio pela Europa Oriental é perfeito para esse trem. É uma viagem luxuosa e cobre países como Hungria, Romênia e Bulgária. O ponto final é antiga Constantinopla, atual Istambul.

Talyllyn Railway

Trata-se de um trem antigo que cruza um curto trecho do País de Gales. A atração do passeio é vista panorâmica dos vales galeses.

E aí? Vai ser trem, ônibus ou avião? Ao terminar o texto falando sobre esses passeios de trem que são mais atrações turísticas do que viagem é difícil não querer incluir pelo menos uma viagem de trem na Europa. Mas lembre-se das dicas e macetes que você aprendeu aqui na hora de escolher e reservar seu assento de trem. E depois, não esqueça de comentar como foi sua jornada 🙂

Nosso e-book com 7 dias de atrações em Londres:

pequeno-cta-roteiro-do-mapa-de-londres

Deixe seu comentário

2 comentários