5 motivos para viajar sozinho pelo mundo (e algumas dicas para a jornada)

0
59

Você tem vontade de viajar sozinho pelo mundo, mas guarda um pouco de receio de atirar a mochila nas costas e desbravar outro continente por conta própria? Então você chegou ao lugar certo: neste post, vamos dar algumas dicas para sua próxima jornada e ajudar a tirar um pouquinho desse temor.

Primeiro, é importante saber que você nunca viaja sozinho. Para onde quer que você vá, mesmo que decida tudo de última hora, mesmo que subverta toda a lógica do roteiro tradicional, mesmo que atire uma moeda para cima para definir o próximo destino, existem outras pessoas seguindo o mesmo caminho.

Você vai constatar isso logo. Vai entrar no trem e dar de cara com dois americanos indo para a mesma cidadezinha do interior da Holanda.

Vai chegar ao hostel e encontrar outros brasileiros com o mesmo plano na Suíça. Vai começar o pub crawl em Berlim, se perder do grupo no terceiro pub e conhecer uma galera da Noruega que está com a mesma ideia de seguir para Munique no dia seguinte.

Meses depois, vai chegar naquele lugar perdido (e encantador) na Tailândia e encontrar os mesmos americanos da Holanda. E a partir daí, vai se sentir mais tranquilo para embarcar em sua jornada pessoal – seja ela qual for.

A decisão de viajar sozinho é desafiadora, sim. Não apenas para jovens ainda sem o domínio do inglês, mulheres se sentindo inseguras em um mundo de tanta violência contra o gênero ou idosos com receio de darem seus primeiros passos sem aquela companhia de uma vida inteira.

Mas você vai ver, no fim das contas, que viajar sozinho vale a pena.

5 motivos para viajar sozinho pelo mundo

Mala capa
Viajar sozinho permite uma experiência mais intensa. Foto: iStock, Getty Images

Descubra por que viajar sozinho lhe proporcionará experiências inesquecíveis:

1. Você vai conhecer muito mais gente (e a si mesmo)

Quem viaja em grupo, família ou casal tende a se fechar em um casulo e restringir, mesmo sem querer, o acesso de quem busca se aproximar. É comum que você passe então a viagem inteira falando em português e deixando de aproveitar possíveis integrações com outras pessoas em tours guiados, visitas a atrações turísticas, pubs e hostels.

Já quem viaja sozinho não tem opção: tem que dizer um “oi” para os companheiros de albergue e para o pessoal do Pub Crawl, ou vai perder conexões importantes durante a viagem.

Pode acreditar: a experiência de conhecer gente de todas as partes do mundo é uma das grandes alegrias de qualquer jornada. Encontrar traços em comum com pessoas de outro canto do planeta proporciona uma sensação ótima e quase indescritível.

É mais ou menos assim: essa troca cultural vai lhe permitir, em poucos segundos, conhecer de perto uma história muito diferente da sua e, ao mesmo tempo, vai mostrar como nacionalidades tão distantes podem se dar tão bem e tão rápido.

No fim, é como se viéssemos todos do mesmo lugar (a Terra, talvez), fôssemos feitos dos mesmos elementos e precisássemos abandonar nossa zona de conforto e atravessar o mundo para entender isso.

2. Você vai ser quem você quiser

Em muitos momentos, a gente não é quem a gente quer, mas quem a gente pode ser. Somos tolhidos por pressões de todo tipo, como a imposta em ambiente de trabalho e a seguida em protocolos sociais.

Mas quem é você, de verdade? Quem é você se você pudesse ser tudo que quer ser? Quem é você se não precisasse se limitar por medo de transparecer demais a sua própria essência?

Esse é um exercício bastante interessante para quem faz uma viagem sozinho.

A pessoa que embarca não é a mesma que retorna. Por tudo que você vai encontrar pelo caminho e por tudo que se permitirá ser quando suas referências não estiverem por perto.

No fim, esse é um dos maiores medos de quem cogita viajar sozinho: encarar a si mesmo.

3. Você vai fazer o seu próprio roteiro

Quem já viajou acompanhado sabe que fazer concessões é indispensável. Aquele museu de história natural que você quer conhecer é desprezado pela sua namorada. Aquele restaurante cinco estrelas é completamente dispensável no seu roteiro.

Em família ou grupo maior, é pior ainda. Você pode até visitar aquela cidade que tanto queria e mesmo assim sair de lá achando que ainda não a conheceu de verdade.

Mas viajando sozinho você é quem toma todas as suas decisões. Você pode passar um dia inteiro em museus ou uma tarde inteira bebendo em pubs ou abandonar o city tour pela metade e passar o restante do dia na piscina do hotel com os drinks do bar.

Pela primeira vez, você vai definir exatamente o que quer de sua viagem e poderá conhecer o SEU destino.

4. Você vai se sentir invencível

Depois de passar apuros, vivenciar histórias insólitas, experimentar pratos bizarros, perambular pelo mundo sem destino, conhecer gente exótica de todas as partes, se virar em sistemas de transporte público bem mais complexos do que você imaginava, aprender tanta coisa nova, sentir tanta insegurança em tão pouco tempo e mesmo assim sobreviver para contar a história, você vai se sentir invencível.

Vai ver que pode domar qualquer fera, matar qualquer bola no peito, superar qualquer adversidade e encarar tudo por conta própria.

Agora você não é apenas parte do mundo, mas o mundo é parte de você.

5. Você vai sentir saudade

Viajar sozinho é uma experiência incrível. Mas, depois de um tempo (às vezes, muitos meses), você vai sentir saudade dos seus amigos, da sua família, da sua casa.

Vai ver na prática que aquelas milhares de pessoas que você conheceu não substituem as conexões mais profundas que você tem com os SEUS.

Vai perceber que viajar sozinho é uma forma de entender melhor quem você é e que, cedo ou tarde, terá que mostrar sua essência ao seu mundo.

E aí, por fim, vai valorizar mais a sua origem, as suas raízes e o seu canto nesse mundo enorme.

Dicas para viajar sozinho

Blogs de viagem
Viajar sozinho depende de um bom planejamento. Foto: iStock, Getty Images

Cada vez mais interessado nessa ideia de viajar sozinho? Veja algumas dicas para colocar o seu sonho em prática.

1 – Planeje com antecedência

Toda viagem merece um planejamento prévio. Para quem viaja sozinho, essa medida é ainda mais importante, já que você precisará se virar por conta própria depois. E acredite: em algum momento, as coisas não vão sair como você prevê, e uma boa organização ajudará a solucionar o problema na hora.

Esse planejamento deve envolver a criação de um roteiro detalhado, a reserva com grande antecedência de passagens e hospedagem, a pesquisa dos principais pontos que você quer visitar, a procura por restaurantes, bares e pubs que você quer conhecer e o deslocamento que você fará entre os principais pontos do itinerário.

2 – Faça reservas e tenha todos os contatos em mãos

Em linha com a dica anterior, não deixe para comprar bilhetes e passagens em cima da hora e nem reservar hotéis ao sabor dos ventos. A não ser que sua proposta de viagem seja realmente se jogar sem destino, o recomendado é ter tudo reservado e planejado com antecedência. Além de confirmar diretamente as reservas com os hóteis, leve os contatos de todos eles para qualquer eventualidade que surja.

3 – Seguro de viagem é fundamental

A insegurança que você pode sentir inicialmente viajando sozinho em grande parte vem do fato de não ter uma pessoa para ajudar em caso de necessidade. Passar por um mal-estar, sofrer um acidente e se machucar são coisas que ninguém espera que aconteça. Mas é importante estar preparado.

Assim, é fundamental ter em mãos o contato do seguro de viagem e saber de antemão qual procedimento tomar em caso de doença ou acidente

4 – Tenha uma lista de telefones úteis e de emergência

É importante manter telefones, endereços, contatos de emergência em dois lugares diferentes: pode ser no seu celular e num pedaço de papel, por exemplo. Assim, você não corre perigo de chegar ao seu destino, descobrir que seu celular ficou sem bateria e não conseguir acessar o e-mail para verificar o endereço do hotel.

5 – Conheça e pesquise os locais visitados

Essa também vale para viagens tradicionais com mais pessoas, mas viajando sozinho é mais importante ainda pesquisar bem as cidades e destinos que serão visitados. Saber quais bairros são mais perigosos, lugares que devem ser evitados e as melhores rotas para se locomover. Tudo isso são informações valiosas para a viajante solo.

6 – Permita-se conhecer outros viajantes

Viajar sozinho não significa que você precise ficar isolado do convívio de outras pessoas em toda a sua jornada. Permita-se explorar as conexões com outros viajantes e conhecer gente na estrada, nos pubs, nos hostels e onde quer que seja.

Você não precisa fazer um grande esforço para isso. Normalmente, basta estar aberto a essa possibilidade e captar oportunidades que vão aparecer a todo momento.

7 – Hospede-se em um hostel

Se você tem receio de não conseguir puxar papo com um estranho, então hospede-se em um albergue. Aí não tem erro: você vai conhecer um monte de gente – pelo menos a galera que estiver no seu quarto.

A experiência de ficar em um hostel é tão bacana, que todo mundo deveria experimentá-la pelo menos uma vez na vida.

Os albergues reúnem viajantes de todas as partes do mundo, normalmente aqueles com o espírito um pouco mais aberto a novas experiências.

E aí, curtiu as dicas e ideias para viajar sozinho? Compartilhe sua experiência nos comentários!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here