Como viajar barato para a Europa

Como viajar barato para a Europa

2

Viajar barato para a Europa parece impossível? Talvez esse sonho esteja mais próximo do que você imagina.

 O velho Continente é um objetivo de viagem para todas as idades. Sejam jovens e suas mochilas em busca de aventuras, sejam famílias em busca das sonhadas férias na França ou mesmo pessoas em busca de realização pessoal, viajar para a Europa está nos planos de muita gente.

Mas, na hora de colocar os pés no chão, ou melhor, colocar os números na ponta do lápis, a tão sonhada viagem pode parecer um pouco mais distante. Os países europeus apresentam custos diferentes uns dos outros. Alguns destinos e passeios são caros, outros caríssimos, e há também aqueles surpreendentemente baratos e os que cobram um preço justo.

Por isso, planejar com antecedência e fazer uma boa pesquisa e um levantamento completo é fundamental para que seu bolso não seja exaurido pelo desejo de fazer um mochilão memorável ou visitar a capital europeia dos seus sonhos.

O objetivo da viagem e o seu, digamos, “estilo de estrada”, tem influencia total no custo final da aventura. Um longo mochilão por diversos países, recheado de viagens de trem e companhias aéreas de baixo custo, hostels com preços condizentes e passeios pessoais e espontâneos mais do que guiamentos turísticos formais, com certeza terá um custo final mais palatável do que uma viagem bem mais curta feita a uma capital turística e com direito a pequenos e grandes luxos.

Neste texto, vamos apresentar uma série de dicas e orientações para viajar barato pela Europa. Logo de início, a dica principal: a viagem é sua, e não dos guias turísticos e do comércio local. Não há necessidade de arruinar suas finanças para fazer a viagem dos sonhos de outra pessoaUma viagem com a sua cara, pelo contrário, vai enriquecer a sua vida, mesmo que seu bolso fique um pouco abatido.

Curtiu a premissa? Então embarque conosco para a Europa.

London rain
Londres pode ser uma viagem mais barata do que você imagina. Foto: iStock, Getty Images

Como economizar para viajar barato para a Europa

A seguir, dicas práticas para deixá-lo no rumo certo:

A viagem é para você

Para economizar na viagem para a Europa, há alguns aspectos a serem considerados. O sentimento na hora de entrar no avião de volta pra casa tem que ser o de que valeu a pena, de que você volta melhor e mais enriquecido, com novos conhecimentos e vivências, novos amigos e histórias para contar e compartilhar com sua família e companheiros.

Para evitar que a sensação de desilusão aconteça ao desembarcar de volta no Brasil, é preciso que você tenha em mente o que você quer com essa viagem e como chegar lá. A partir disso, sabendo seus limites financeiros, você será capaz de fazer a viagem tão sonhada e ao mesmo tempo, seguindo as dicas desse texto, não irá gastar de forma desproporcional ou sem propósito.

Nesse sentido, antes de listarmos as dicas práticas para evitar o desgaste do seu bolso durante a viagem, vamos pensar em um pequeno teste. Baseado na sua personalidade, a sua viagem ideal é:

  1. Uma grande oportunidade de crescimento e vivências novas.
  2. Um grande passeio turístico para marcar presença nos principais points europeus.
  3. Uma viagem com significado espiritual e religioso.
  4. Um passeio de família como qualquer outro.
  5. Uma recompensa e chance de descanso ao fim de um longo período de trabalho e dedicação a outras prioridades na sua vida.

Claro que pode haver outras propostas de viagens, mas em geral pode-se encaixar a maioria dos passeios em alguma dessas cinco opções.  Dependendo de qual seja a sua viagem ideal, pode ser que as suas escolhas sejam um pouco mais caras ou mais baratas. Isso é natural e é importante saber isso de antemão para que você não se arrependa depois.

Portanto, a dica número é estabelecer seus objetivos principais na viagem e os ter em mente na hora de concentrar tempo e dinheiro. Isso o ajudará na hora de cortar pequenos luxos e gastos com atividades que não condizem com suas prioridades.

Dado o nosso primeiro passo, que é entender qual a viagem você quer e o que você busca nela, podemos partir para nossa lista de dicas práticas.

A boa notícia é que muitas dessas ideias para economizar se aplicam a todos os casos e, além disso, é possível sempre mesclar as características dessas “viagens ideais”, de forma a aproveitar melhor momentos específicos, economizar mais em outros e gastar mais nas oportunidades especiais e que valham a pena. Na verdade, essa é uma das dicas mais importantes e a número 1 da nossa lista que você vai conhecer agora.

8 Dicas para viajar barato pela Europa

Essa é uma lista de dicas rápidas e fáceis para que você não gaste dinheiro de forma desproporcional ou pague mais caro quando poderia pagar mais barato.

1. Equilibre as contas

Pense em sua viagem como uma mescla de objetivos. Isso significa equilibrar as contas. Por exemplo, em uma cidade turística com muitos passeios e points caros, escolha um hotel ou hostel mais em conta e coma com menos prodigalidade, pois os gastos com os passeios você já sabe que serão mais caros.

2. Vá além do hotel e do hostel

Considere utilizar serviços como Airbnb, para o aluguel de quartos e apartamentos, e Couchsurfing, rede social para descolar um sofá ou quarto de graça. Vários aplicativos que disponibilizam acomodações para aluguel de curto prazo se popularizaram ao redor do mundo. Lembre de fazer as pesquisas em mais de um aplicativo para garantir que seu leque de opções será o mais completo possível.

3. Compre tudo com antecedência

Planeje e reserve tudo com antecedência. Desde as passagens aéreas até os bilhetes de trem, ônibus, aluguel de carros e hotéis, em geral sempre se paga menos ao fazer reservas antecipadas. Principalmente passagens aéreas, um item pesado na lista de despesas, podem ser encontradas a preços muito melhores caso compradas com a devida antecipação. Além disso, hoje em dia boa parte das grandes atrações turísticas vendem ingressos com antecedência, para compra online, com desconto.

4. Experimente a baixa temporada

Se esforce para viajar fora da alta temporada. Essa não é novidade. Não só na Europa mas em todo o mundo, os meses de verão (e de inverno em países frios e estâncias de neve) e de férias são temporadas em que o fluxo de turistas dispara. Consequentemente, os preços de passagens, acomodação, alimentação e serviços de turismo também aumentam muito. Viajar fora da alta temporada nem sempre é possível devido às nossas demandas de trabalho e família, mas é uma chance de economizar bastante. Só cuidado com os meses de dezembro, janeiro e fevereiro, quando o frio toma conta.

5. Planeje suas refeições

Pesquise sobre os restaurantes e alimentação das cidades que for visitar. O velho continente é pródigo em culinárias tradicionais e bons cafés e restaurantes. Não faça escolhas a esmo ou na base da emoção momentânea. Converse com as pessoas da cidade sobre onde é melhor e mais barato de se fazer as refeições. Pesquise na internet os restaurantes a serem evitados e descubra os lugares mais em conta. Além disso, piqueniques em parques alemães, franceses e ingleses são opções encantadoras, que favorecem um sanduíche ou baguete de supermercado. E se você optar por Couchsurfing ou um hotel, pode fazer a própria comida.

 

6. Esqueça o táxi

Na Europa, o transporte público funciona e é bem mais barato do que táxi. Então, quando não puder se deslocar a pé entre as atrações e os passeios, dê uma chance aos ônibus, aos trens e aos metrôs. Um aplicativo que vai facilitar muito sua vida para planejar esse transporte é o Citymapper, que diz exatamente como chegar de um ponto ao outro. E na pressa, lembre do Uber, que funciona em todo o mundo.

7. Busque passeios gratuitos e descontos

Verifique a existência de passeios gratuitos no seu destino. Em Londres, por exemplo, todos os museus públicos são gratuitos. E tem lugares sensacionais, como o Museu Britânico e a National Gallery.  e caso você seja estudante, lembre-se de fazer a carteirinha internacional, que dá desconto em muitos lugares.

Muitas capitais e cidades turísticas possuem passeios turísticos gratuitos (ou de contribuição voluntária), feitos com guias voluntários, geralmente estudantes locais. Pesquise e encontre esses passeios! Além disso, tal como no Brasil, estudantes possuem meia entrada garantida na maioria dos países. Caso seja o seu caso, faça questão de fazer sua carteirinha estudantil internacional e pague metade para entrar em muitas atrações.

8. Viaje para o Leste

O Leste Europeu é a parte mais barata da Europa. Dá para beber, comer, passear e se hospedar por muito menos do que os destinos turísticos mais tradicionais. Por isso, dê uma chance nas suas pesquisas para lugares como República Checa, Hungria, Polônia, Bulgária e Turquia.

9. Personalize o seu roteiro

Não siga os outros ao elaborar seu roteiro de viagem. O seu planejamento deve fazer sentido apenas para você, e não para o seu amigo que já visitou a cidade ou para uma revista de turismo. Muitas vezes, a fama de um lugar ser caro decorre das escolhas do viajante naquele destino. Londres, por exemplo, pode ser mais barata do que você imagina.

Todas essas dicas, desde a acomodação escolhida até a opção por passeios gratuitos com guias voluntários, devem ser aplicadas de acordo com os seus objetivos e com o tipo de viagem que você quer. Independente disso, uma coisa é evidente. Não tenha preguiça de pesquisar! Cada minuto na frente do computador comparando acomodações e meios de transporte vale uma boa economia de dinheiro.

Preparando a viagem para a Europa

Como encontrar passagens mais baratas

Como dito nas nossas dicas de ouro para viajar barato para a Europa, as passagens aéreas são os itens que podem apresentar as maiores diferenças de preço dependendo de fatores como antecedência, temporada escolhida, companhia aérea e classe do voo.

Aqui vão alguns toques específicos para que você consiga economizar na compra da passagem aérea:

  • Comece a pesquisar com muita antecedência. De seis meses para mais se possível.
  • Programe algumas horas para fazer a pesquisa. No mínimo uma hora para fazer uma pesquisa básica de passagens aéreas.
  • Caso não encontre uma passagem satisfatória na primeira vez, repita a pesquisa depois de alguns dias ou semanas. Você está fazendo tudo com antecedência, então, use o tempo a seu favor.
  • Use sites de viagens como Decolar e Skyscanner apenas como comparadores de preços e ferramentas de pesquisa. Na hora de comprar, lembre sempre de verificar se no site da companhia aérea diretamente a mesma passagem está mais barata ou não.
  • Nas pesquisas, não limite as suas datas. Varie o dia de chegada e volta. Verifique todos os horários e todas as companhias que tiverem passagens mais em conta. Os filtros dos sites de comparação são muito úteis para isso.

Passaporte e visto: quanto custa e o que precisa?

Para viajar à Europa é obrigatório possuir passaporte. O recomendado é que o seu documento tenha no mínimo 6 meses de validade a partir da data de entrada no continente.

No Brasil, é a Polícia Federal o órgão responsável pela emissão de passaportes. Basta entrar no site da PF (aqui), preparar a documentação necessária, fazer a solicitação online, pagar a Guia de Recolhimento da União e se dirigir ao posto de atendimento mais próximo munido da documentação e comprovante de pagamento da GRU. A taxa para emissão do passaporte na data de publicação desse texto é de R$257,25.

Outro documento importante e que sempre gera dúvidas é o visto de entrada. Para todos os países do Espaço Schengen (boa parte dos destinos turísticos), brasileiros em viagem de turismo por até três meses não precisam de visto. Muitos outros países, também não exigem visto dos brasileiros. É caso de Noruega, Reino Unido e Suíça. 

Seguro de viagem

A obrigatoriedade de seguro viagem também varia de acordo com os países. Na chamada área de Schengen, isto é, o conjunto de países que fazem parte do Tratado de Schengen, ter um seguro de viagem é obrigatório. A boa notícia é que muitas operadoras oferecem seguros especiais para essa região. São chamados Seguro Viagem Europa ou Seguro Schengen.

Para países que não fazem parte do tratado deve-se conferir separadamente a necessidade de Seguro Viagem. No entanto, como você já vai contratar o seguro para os países do Tratado de Schengen, é recomendado que contrate para os demais também. Afinal de contas, assim você terá mais segurança e pode ser salvo de passar algum aperto longe de casa.

Hospedagem barata na Europa

Outro ponto sensível nos custos de viagem é a hospedagem. Depois das passagens, talvez esse seja o item mais importante junto de alimentação. Nas nossas dicas práticas, os itens 2 e 3 dizem respeito à hospedagem.

Alguns outros cuidados que devem ser tomados para economizar na hora fazer as reservas são os seguintes:

  • Tal como na pesquisa de passagens aéreas, não fique preso à datas. Na hora de avaliar os preços, varie os dias de entrada e saída. Faça isso para diferentes hostels, hotéis e opções alternativas como Airbnb e Homeaway.
  • Não tenha preconceitos com acomodações alternativas, mas tome cuidado com a localização da acomodação, que pode ficar longe demais do centro turístico.
  • Sempre que encontrar uma boa opção de acomodação, tente entrar em contato diretamente e saber das possibilidades de desconto. Negociar diretamente com os responsáveis pelo alojamento pode render bons descontos.

Depois de feitas as pesquisas, talvez a opção mais barata de datas relativas à hospedagem não corresponda às mais baratas para viagem. Aí não tem jeito, é fazer as contas e tentar descobrir qual combinação sai mais em conta para você. Dá trabalho? Sim. Mas a outra opção é pagar mais caro por passagens e hospedagem e deixar de gastar esse dinheiro com passeios e no dia a dia europeu. O que você prefere?

Checklist para viajar para a Europa

Para finalizar o nosso texto, vamos apresentar um rápido checklist para você ter em mãos na hora de planejar sua viagem. Vamos lá!

  • Passaporte com mínimo de 6 meses de validade
  • Visto para os países fora da UE que tenham esse requisito
  • Seguro de Viagem
  • Passagem de volta impressa
  • Reservas dos hotéis e acomodações impressas
  • Roupas adequadas para a estação
  • Remédios para cólicas e problemas estomacais
  • Roteiro de passeios e visitas turísticas
  • Contato de seu banco ou operador de cartão 
  • Reservas de dinheiro em espécie suficientes para se manter nos primeiros dias.

Se você está viajando para Londres, é bom se preparar um pouquinho melhor. Confira aqui.

Ter um checkllist com todos os itens riscados e pode soltar aquele “Pronto!” ao final é um dos momentos recompensadores de viajar ao velho continente. E olhe que a viagem ainda nem começou nesse momento!

Tenha em mente as dicas desse texto e não deixe para começar as pesquisas na última hora. Boa viagem!

Deixe seu comentário

2 comentários