Mão inglesa: por que se dirige “ao contrário” na Inglaterra?

1
226
Compre agora!

Dirigir na mão inglesa pode ser um grande desafio. Afinal, toda a lógica da direção é invertida: o motorista senta do lado direito do veículo, avança pela pista da esquerda e precisa aprender a trocar a marcha também com a mão esquerda. Mas por que toda essa complicação? 🤔

Bem, a origem da mão inglesa atravessa os séculos. Atualmente, ela é atribuída à Idade Média, quando os principais “veículos” eram os cavalos. Naquela época, os cavaleiros usavam o lado esquerdo das vias por um motivo simples: como a maioria do grupo era destra, a mão direita precisava estar livre para empunhar a espada e se defender de forma ágil.

Interessante, não é? Se você ficou curioso para saber um pouco mais sobre a origem da mão inglesa, dê uma espiada no resto do artigo. 😉

Right Hand Drive
Mão inglesa surgiu antes mesmo dos automóveis existirem. Foto: iStock, Getty Images

Origens da mão inglesa e da mão francesa

Como já foi destacado, a mão inglesa é uma invenção atribuída aos cavaleiros medievais na Inglaterra. Mas, então, por que a tendência não se espalhou pelo mundo? O responsável por inverter a mão foi ninguém menos que Napoleão Bonaparte, no século 18. Como era canhoto, ele determinou que na França a forma de circulação seria contrária.

Assim, França e Inglaterra adotaram maneiras distintas de percorrer suas cidades. Nas carruagens que circulavam pelo território francês, o cavaleiro se sentava do lado esquerdo, para poder chicotear os outros cavalos com a mão direita. Assim, os franceses inverteram o modelo criado pelos ingleses e inauguraram a mão francesa.

Foi só uma questão de tempo até que os cavalos fossem substituídos por automóveis nas ruas. No início, porém, a falta de um padrão estabelecido gerava confusão. Ainda assim, a mão inglesa predominava em grande parte da Europa Ocidental, principalmente pela relação com as ferrovias, criadas pelos ingleses na Revolução Industrial.

A situação só começou a se inverter em meados de 1920, quando a maioria dos países da Europa aderiram à mão francesa. Naquela época, apenas o Reino Unido e a Suécia permaneceram dirigindo pela direita no continente.

Países que ainda utilizam a mão inglesa

Estocolmo
Retrato de Estocolmo, no dia em que a Suécia passou a adotar a mão francesa. Foto: Domínio Público

Até hoje, a maioria dos países que ainda utilizam a mão inglesa foram antigas colônias britânicas. Além da Escócia, do País de Gales e da Irlanda, na Índia, na África do Sul e na Nova Zelândia, os motoristas avançam pela esquerda. A mão francesa, porém, é considerada o padrão mundial: em 65% do território global, os veículos trafegam pela direita.

Uma curiosidade interessante é que o Japão também utiliza a mão inglesa, desde que os japoneses importaram seu primeiro sistema ferroviário da Inglaterra. Já os Estados Unidos teriam feito questão de adotar a mão francesa para destacar sua independência em relação aos seus colonizadores.

Na Suécia, a mão inglesa foi abandonada em 1963 para reduzir o alto número de acidentes, já que todos os seus países vizinhos dirigiam na mão francesa. No dia 3 de novembro, então, foi instaurada a mudança: as ruas e semáforos já haviam sido arrumados na madrugada anterior, mas ficaram cobertos por sacos pretos de plástico.

A partir das 6h da manhã, os plásticos foram retirados e, assim, entrou em vigor o novo tráfego. A média de acidentes rapidamente diminuiu. No Reino Unido e outros países que ainda utilizam a mão inglesa, as autoridades já consideraram fazer a troca. Mas, por questões de tradição, volume da frota e infraestrutura das rodovias, optaram por permanecer nos seus próprios padrões.

Erros comuns ao dirigir na mão inglesa

Se você está pensando em dirigir quando estiver na Inglaterra, vale a pena conferir alguns erros comuns (e engraçados) que os brasileiros geralmente cometem ao dirigir na mão inglesa. Assim, você pode ficar mais atento e buscar evitá-los para não pagar mico. 🙈

1. Entrar do lado errado no carro

Pode apostar que, se você estiver distraído, vai entrar no lado do passageiro achando que é o do motorista. Talvez você só se dê conta quando já estiver sentado. O jeito é dar uma disfarçada e trocar de lado.

2. Bater a mão na porta na hora de trocar a marcha

Esta também é clássica: acostumado a trocar a marcha com a mão direita, seus reflexos vão fazer você bater a mão direto na porta – afinal, o câmbio está na esquerda. Outra trapalhada bem comum e que costuma render risadas.

3. Pegar um cinto imaginário

Se você tem o costume de colocar o cinto logo que entra no carro, é bem provável que tente colocar um cinto imaginário na Inglaterra. Afinal, do lado esquerdo do motorista não vai haver cinto algum. 😂

4. Errar a baliza

Se baliza já é difícil para a maioria das pessoas no Brasil, imagine só na Inglaterra! Fazer tudo ao contrário é só para quem tem habilidade mesmo.

E aí, gostou de aprender um pouco mais sobre a mão inglesa? Já sabia dessas curiosidades? Deixe um comentário! 😉

Compre agora!

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here