Um lobisomem americano em Londres: curiosidades sobre o filme

Um lobisomem americano em Londres: curiosidades sobre o filme

1

lobisomem-americano

Londres já foi cenário de vários clássicos do cinema. Hoje vamos falar de um filme considerado um cult do terror mundial: Um lobisomem americano em Londres.

Já ouviu falar nesse filme? Provavelmente, não.

Neste artigo, você vai descobrir aspectos curiosos sobre a produção, vai entender qual é a história do longa, curtir o trailer e, provavelmente, ficar assombrado com o final da sinopse.

Um lobisomem americano em Londres é um clássico

Um Lobisomem americanoe m Londres (An American Werewolf in London, no original em inglês) é um filme de terror de 1981, do diretor John Landis. Com elementos intercalados e bem amarrados de suspense e comédia, o longa teve uma recepção modesta na época, mas se tornou, ao longo dos anos, uma espécie de cult do terror.

O cineasta John Landis prestou tributo à tradição de britânicos como Alfred Hitchcock nessa linhagem do cinema e foi premiado pela produção. Um lobisomem americano em Londres foi vencedor do Oscar de melhor maquiagem e levou também o prêmio Saturn Award de melhor filme de terror de 1981. Além dessas categorias, foi nomeado também nas de melhor atriz e melhor roteiro no Saturn Award.

Confira o trailer:

Sinopse de Um lobisomem americano em Londres

Dois estudantes americanos, David Kessler (David Naughton) e Jack Goodman (Griffin Dunne) estão na Inglaterra em uma região remota.

Pouco depois de escutarem um uivo, são atacados por um lobo. David e o lobo acabam morrendo, e Jack sobrevive.

O lobo, como você pode imaginar, era um lobisomem, e na primeira lua cheia depois do ataque Jack é surpreendido e se transforma ele mesmo em lobisomem.

Sedento por sangue, Jack ataca várias pessoas, mas não se lembra de seus atos ao acordar. O final é trágico e envolve até mesmo uma legião de mortos-vivos.

Veja uma cena de perseguição no metrô de Londres:

Recepção crítica

Como acontece com muitos filmes que se consagram muitos anos depois de seu lançamento, Um lobisomem americano em Londres teve uma recepção majoritariamente positiva, mas não foi unanimidade e nem um sucesso estrondoso de bilheteria.

O Metacritic, site americano de crítica cinematográfica e de arte, avalia o filme atualmente com uma nota de 60%. Um placar favorável, mas longe de indicar seu status cult. É nas opiniões dos cinéfilos do site que você vai entender o porquê do sucesso do longa.

Sequências e adaptações

O filme original foi seguido de algumas adaptações e sequências nos anos seguintes. Em 1997 foi feito An American Werewolf In Paris, seguindo a mesma ideia do original mas mudando a cidade que serve de cenário.

A BBC Rádio 1 também apresentou uma versão do clássico no mesmo ano de 1997. Com um roteiro um pouco diferente, a adaptação da BBC incluiu uma passagem sobre a origem da maldição da licantropia, que teria sido trazida para a Inglaterra por pessoas vindas do leste europeu.

No final de 2016 o The Guardian e outros veículos de comunicação deram nota de que um remake do filme será lançado em breve. John Landis novamente estará presente, mas dessa vez apenas como produtor. Confira a matéria do Guardian aqui.

Recomendamos o remake feito em Paris e também que você fique atento para a nova versão do filme que será lançada em breve.

Curiosidades sobre Um lobisomem americano em Londres

Como todo filme clássico, não poderia deixar de haver curiosidades interessantes. Para começar, vamos falar sobre a família Landis. Aparentemente eles gostam mesmo de lobisomens e produções de horror e comédia negra!

John Landis sabe como fazer horror

O diretor John Landis é um cineasta, produtor e roteirista dos Estados Unidos. Além da direção e roteiro de An American Werewolf in London, Landis também dirigiu alguns videoclipes de Michael Jackson. Lobisomem, mortos-vivos, você já deve saber de qual clip estamos falando, né? Trata-se do famoso “Thriller“, um dos mais populares videoclipes da história. O clip “Black Or White” foi outro do astro pop dirigido por Landis.

Uma nova categoria do Oscar

O Oscar de melhor maquiagem que foi conquistado pelo filme em 1981 era uma categoria nova naquele ano. Foi a primeira vez que a categoria fez parte da cerimônia. O longa-metragem e a conquista do Oscar de melhor maquiagem deu um salto na carreira de Rick Baker, especialista em maquiagem e efeitos especiais que ganhou também o Saturn Award na mesma categoria pelo seu trabalho.

Um ano de lobisomens

Em 1981 o filme de Landis foi acompanhado por outras duas produções sobre lobisomens: The Howling e Wolfen. Em conjunto, foram três filmes com a mesma temática em apenas uma ano. Quem “gosta” de lobisomens deve ter ficado muito satisfeito naquele ano.

Tal pai, tal filho

O filho do criador da história original, Max Landis, é o diretor do remake que está no forno e deve ser lançado em breve. O jovem diretor de 31 anos dará continuidade a história do pai. Inclusive, pai e filho trabalharão juntos no filme, já que John Landis será o responsável pela produção.

Ficou a fim de assistir? Ou não curte dar umas gargalhadas com mortos-vivos? Comente.

Nosso e-book com 7 dias de atrações em Londres:

pequeno-cta-roteiro-do-mapa-de-londres

Deixe seu comentário

1 comentário

  1. Algo que nao me sai da memória e mexeu com minha imaginação o é ambiente misterioso que circunda o Cordeiro Massacrado. Já rezei muito para algum cineasta se aventurar a criar um minisérie baseada somente nos antecedentes da ida de david e jack naquele bar onde reina a obscuridade. os moradores da pequena comunidade são pessoas esquisitas que convivem com uma realidade que procuram esconder de todos. aquele lugarejo é fascinante, misterioso, assustador. Uma produção focando lá revelaria a genese do segredo, esclareceria como tudo começou, se a fera já havia feito outras vitimas, como conseguiam conviver anos e anos com uma fera que aparecia a cada lua cheia, a real “relação” dos camponeses com “seu” monstro. As locações no mesmo lugar, no mesmo bar e com atores que lembrassem o do clássico seria fantástico. Eu viajo imaginando em como seria o cotidiano em um lugar como aquele tenebroso, onde parece ser escuro mesmo quando é dia. Muita coisa podia ser explorada tão somente a partir do Cordeiro Massacrado. Fiquei tbm com uma puguinha atras da orelha: se os membros do povoado tinham condições de dar cabo a vida do lobisomen – como fizeram quando foram salvar david e jack- por que não o fizeram antes? preferiam viver amedrontados?