O Discurso do Rei e a história de George VI, o pai...

O Discurso do Rei e a história de George VI, o pai de Elizabeth II

Você já assistiu ao filme O Discurso do Rei, sobre um monarca gago que assume após a abdicação de seu irmão? Muita gente não sabe que essa é uma história baseada em fatos reais. Trata-se da jornada de ascensão e resiliência do Rei George VI, o pai da atual monarca do Reino Unido, a Rainha Elizabeth II.

O rei George VI (em português, muitas vezes chamado de Jorge VI), possui um lugar diferenciado no coração e imaginário do povo Britânico. Além de ter sido importante para a restauração da confiança na coroa britânica, foi o Monarca que atravessou a Segunda Guerra Mundial. Sua atuação aguerrida e corajosa não deixou de ser retribuída depois pela população britânica.

Antes do Discurso do Rei: Quem foi George VI

George VI foi coroado rei do Reino Unido e da CommonWealth em 1936 e reinou até 1952, ano de sua morte e da ascensão de Elizabeth II (Isabel II), sua filha. Foram 16 anos sentado ao trono, muito menos do que sua filha. Mesmo assim, talvez tenha sido um dos reinados mais emblemáticos do Reino Unido.

A trajetória do rei foi contada em 2010 em O Discurso do Rei (The King’s Speech), com atuações de gala de Colin Firth e Geofrey Rush e uma produção que rendeu ao longa quatro Oscars, incluindo o de melhor filme. 

A juventude sob a sombra do primogênito

Uma das coisas mais curiosas em relação ao rei George VI e também um fato bastante explorado em O Discurso do Rei é que o monarca não era o herdeiro imediato ao trono. Por ser o segundo filho do rei Rei George V, o garoto Albert, como era chamado até antes de sua ascensão ao trono, passou a infância e a adolescência sob a sombra do irmão mais velho, o Príncipe Edward.

Por não ser o primeiro na linha de sucessão real, Albert passou a maior parte da vida anterior ao trono com a expectativa de que seu irmão seria o próximo rei.

Durante a juventude, o futuro rei George VI frequentou o Colégio Naval e lutou na Royal Navy (Marinha Real Britânica) e na Royal Air Force (Força Aérea Real Britânica) durante a Primeira Guerra Mundial.

Os eventos mais importantes de sua vida pré-monárquica foram a sua nomeação como Duque de York, em 1920, e o seu casamento com Lady Elizabeth Bowes-Lyon, em 1923.

Lady Elizabeth deu a Albert duas filhas, uma das quais veio a se tornar a mais longeva monarca do Reino Unido e atual rainha, Elizabeth II (Isabel II).

A abdicação de Edward VIII e ascensão de George VI

Tudo ia como planejado na realeza britânica até o ano de 1936. Então o Rei George V faleceu, dando lugar para que Eduardo, o primeiro na linha sucessória, assumisse o trono de rei.

De fato, o irmão mais velho do futuro George VI assumiu o trono logo após a morte do pai e foi nomeado monarca com o título de Eduardo VIII. O que a família real não esperava era que o recém nomeado rei abdicasse ao trono ainda no ano 1936, após revelar a sua vontade de se casar com a socialite americana Wallis Simpson.

A raiz do problema era o fato de Wallis ser uma mulher divorciada. Segundo as regras políticas e religiosas do Reino Unido, Eduardo VIII não poderia se casar com uma mulher divorciada e permanecer com o título de rei. Ou seja, para seguir com o casamento Eduardo teria de renunciar.

E assim ele fez. No mesmo ano de sua ascensão, Eduardo VIII abdicou do trono britânico em favor de seu irmão mais novo e para as graças de sua noiva Wallis Simpson (você também faria essa prova de amor?).

O episódio causou grande rebuliço na opinião pública e deixou a imagem da família real arranhada. Alberto, agora nomeado oficialmente rei George VI, ascendeu ao trono com a abdicação do irmão e se tornou o terceiro monarca da Casa de Windsor.

George VI assumiu o trono em um contexto de crise institucional devido a abdicação do irmão. Além disso, no ano de 1936 a Alemanha dava os primeiros passos para que mais tarde começasse a Segunda Guerra Mundial. 1936 foi o ano em que Hitler quebrou o Pacto de Locarmo e invadiu a Renânia, um dos primeiros passos na agressiva expansão nazista sobre o continente europeu.

O recém nomeado monarca conseguiu debelar a crise institucional e foi decisivo na resistência britânica durante a Segunda Grande Guerra, o que traria de volta o prestígio da Família Real Britânica e o colocaria no lugar de um dos reis mais queridos do povo britânico.

O Discurso do Rei e George VI no cinema

O discurso do Rei
Colin Firth interpreta George VI e Geofrey Rush o seu fonoaudiólogo. Reprodução, The King’s Speech

Muitas vezes, a imagem que chega até nós de grandes lideranças não mostra toda a natureza e características pessoais por trás da figura de líder. George VI possuía uma característica que foi marcante durante toda a sua vida pessoal e que foi a principal linha guia do filme “O Discurso do Rei”. Trata-se da gagueira que perseguiu o monarca desde os tenros 4 anos de idade e que foi motivo de muitas dificuldades para o Rei.

O episódio em 1925 no qual o ainda Alberto faz um discurso no grandioso Wembley Stadium no encerramento do British Empire Exhibition foi um ponto decisivo. Diante dos milhares de presentes a patente gagueira do príncipe deixou parte da público atônito.

Quando da abdicação de seu irmão e diante da decisão de assumir o trono, George VI foi obrigado a encarar a gagueira e lidar com esse aspecto durante todo o seu reinado. Com muito treino, persistência e coragem, o monarca enfrentou essa dificuldade, trabalhou em seus discursos, manteve a moral da população em alta e se tornou um símbolo da resiliência britânica. Keep Calm and Carry On.

O Discurso do Rei foi filmado em 2009 e 2010. Foi aclamado pela crítica e vencedor de quatro Oscars:

  • Melhor ator para Colin Firth
  • Melhor Roteiro Original
  • Melhor diretor para Tom Hopper
  • Melhor filme.

Isso sem contar os sete prêmios BAFTA (British Academy of Film and Television Arts). Um filme muito premiado e festejado, inclusive pela própria Isabel II, que disse ter se emocionado com a atuação de Colin Firth no papel de seu pai.

A narrativa do filme se foca na relação do rei George VI com seu fonoaudiólogo Lionel Logue. Durante toda a trajetória de George VI, desde sua coroação até os importantes discursos durante a Segunda Guerra Mundial, Logue foi essencial para atenuar a gagueira do Rei e ajudá-lo a lidar com ela sem que prejudicasse o seu papel de monarca.

Embora tenha havido alguns momentos de ruptura entre os dois, Logue e George VI se tornaram amigos e confidentes, tendo a amizade dos dois perpassado como pano de fundo de todo o reinado.

E assim foi a história de um dos monarcas mais queridos do Reino Unido, de forma resumida e com a ajuda de um belo filme que temos certeza você vai querer assistir caso ainda não o tenha feito. “O Discurso do Rei” vale a pena e a história do rei George VI também. Esperamos que tenha gostado do texto e que goste tanto ou mais do filme.

Confira o trailer:

Nosso e-book com 7 dias de atrações em Londres:

pequeno-cta-roteiro-do-mapa-de-londres

Deixe seu comentário

Sem comentários