Perfil de Ringo Starr, um Beatle subestimado

Perfil de Ringo Starr, um Beatle subestimado

2

Ringo Starr, hoje aos 76 anos, foi um dos protagonistas da Invasão Britânica no rock mundial dos anos 60. Mas se engana quem pensa que sua notoriedade está ligada apenas ao fato de ter sido baterista dos Beatles. Considerado um ícone da música britânica, com o passar dos anos ele se consolidou como um exímio compositor, cantor e multi-instrumentista. 🎧🎸

Inclusive, quando integrou o The Beatles, Ringo Starr foi um dos membros mais subestimados da banda – é fato que sua fama a nível mundial não se compara com a de Paul McCartney e John Lennon até hoje, certo? Mas até mesmo alguns hits do quarteto de Liverpool foram concebidos por ele, incluindo Don’t Pass Me By e What Goes On.

Ficou curioso para conhecer um pouco mais da biografia do Ringo? Então confira, abaixo, um pequeno resumo da trajetória do músico. 😉

Ringo_CC BY-SA 2.0
Ringo Starr, em 2013. Foto: Eva Rinaldi, CC BY-SA 2.0

Quem é Ringo Starr?

Richard Starkey Jr, apelidado de Ringo Starr (por conta dos vários anéis que usa), nasceu em 7 de julho de 1940, em Liverpool. Teve uma infância simples e, aos 15 anos, trabalhou como entregador e barman. Quando ganhou uma bateria de seu padrasto, rapidamente se apaixonou pelo instrumento.

Início na música e The Beatles

Em 1957, Ringo decidiu começar sua própria banda, chamada The Eddie Clayton Skiffle Group. Dois anos depois, passou a ingressar o grupo Raving Texans que, posteriormente, mudou de nome para Rory Storm & The Hurricanes.  Foi no cenário underground britânico, tocando em clubes de Liverpool, que o músico conheceu os Beatles.

Ringo se tornou amigo de John Lennon, Paul McCartney e George Harrison. Em 1962, cansados do temperamento de seu então baterista, Pete Best, os Beatles convidaram Ringo para se juntar ao grupo. Durante o período em que integrou o quarteto, foi coautor de canções como Flying, Maggie Mae e Dig It.

Apesar do sucesso estrondoso da banda, muitos músicos o classificavam como um baterista medíocre. Certa vez, respondeu no tom exato de sarcasmo: “Dizem que não toco muito bem, mas sou baterista da melhor banda do mundo… logo, sou o maior baterista do mundo!”.

The_Beatles_in_America_publico
O quarteto de Liverpool. Ringo é o último à direita. Foto: Domínio Público

Ringo permaneceu nos Beatles até o fim do grupo, em 1970. Com sua personalidade calma e tranquila, ele foi o membro capaz de manter um melhor relacionamento com os outros três integrantes da banda. Após a morte de Lennon, em 1980, o baterista foi o único ex-beatle a procurar Yoko Ono e lhe oferecer apoio.

Carreira solo

Com a dissolução do quarteto, Ringo passou a investir na carreira solo. A banda que formou, a “All Star Band”, entrou na ativa em 1989 e permanece até hoje. Na década de 70, o músico seguiu lançando praticamente um álbum por ano: Sentimental Journey e Beaucoup of Blues (1970), Ringo (1973), Goodnight Vienna (1974), Blast From Your Past (1975), Ringo’s Rotogravure (1976), Ringo IV (1977), Scouse the Mouse e Bad Boy (1978).

Nas décadas de 80 e 90 e início dos anos 2000, Ringo continuou gravando intensamente. Neste período, o músico lançou álbuns como Stop and Smell the Roses (1981), Time Takes Time (1992), Choose Love (2005) e Liverpool 8 (2008) – para citar alguns. Junto à banda All Star, ele ainda emplacou diversos álbuns em volumes especiais e percorreu o mundo em turnê.

O álbum mais recente de Ringo Starr se chama Postcards from Paradise e foi lançado em 2015. Ao longo de sua carreira, o músico também se aventurou como ator, estrelando filmes e documentários, como A Hard Day’s Night (1964) e Caveman (1981).

Legado de Ringo para a música

O legado de Ringo para a cena musical vai muito além dos sucessos que emplacou.  Ele foi o baterista responsável por popularizar um novo jeito de tocar o instrumento, com a mesma força em ambas as mãos. O músico também foi fundamental na elaboração dos arranjos e das batidas simples, mas inconfundíveis, do quarteto de Liverpool.

Por sua originalidade e estilo simples, mas muito seguro de dominar a bateria, Ringo foi eleito em 2011 o 4º maior baterista de todos os tempos pela Rolling Stone.

Ringo Star e The Beatles pela Inglaterra

The Cavern club in Liverpool Mathew Street.
Cavern Club, onde os Beatles começaram. Foto: iStock, Getty Images

Se você é fã do Ringo, ou simplesmente dos Beatles, precisa fazer uma visita aos lugares que remontam ao do grupo na Inglaterra. Em Londres, por exemplo, você pode visitar a Abbey Road e a Marylebone Station, que foi utilizada em 1964 como locação do filme A Hard Day’s Night. Nele, Ringo Starr aparece jogando dardos no The Turks Head Pub, que fica até hoje na 28 Winchester Road, TW1.

Mais dicas de locais relacionados ao grupo na capital londrina você encontra neste artigo: “Lugares frequentados pelos Beatles em Londres”. Outra sugestão aos fãs é pegar um trem de Londres até Liverpool, onde a banda nasceu. Lá está o Cavern Club (primeiro pub onde o grupo tocou, no número 10 da Mathew Street), além da Penny Lane, rua que serviu de inspiração para a música dos Beatles, e o Strawberry Field, orfanato onde Lennon passou parte da infância brincando.

Curtiu as dicas? Gostou de conhecer um pouco da história do Ringo Starr? Deixe um comentário! 😎

Deixe seu comentário

2 comentários

  1. apenas uma correção. os beatles nunca tocaram ao vivo With a Little Help from My Friends e Yellow Submarine, pois quando elas foram compostas a banda não fazia mais shows