Quem foi john locke e qual é o seu legado

Quem foi john locke e qual é o seu legado

0

Quer entender quem foi o filósofo inglês John Locke e qual o seu legado para o mundo contemporâneo? É o que vamos descobrir neste post.

Primeiro, é importante destacar que Locke foi o maior representante do chamado Empirismo Inglês, uma corrente filosófica dominante na Inglaterra durante o os séculos 17 e 18.

Com obras importantes nas áreas de política e epistemologia, John Locke é um dos maiores pensadores ingleses da história. Vamos conhecer as suas principais ideias, um pouco de sua história e as suas principais obras, que até hoje fazem parte de cursos e pesquisas em universidades em todo o mundo.

John Locke
Retrato de John Locke, por Sir Godfrey Kneller. Foto: Domínio Público

Quem foi John Locke

John Locke nasceu em 1632, em Wrington, sudoeste da Inglaterra, e viveu até 1704, passando portanto a maior parte de sua vida inserido no contexto filosófico do século 17. Lock vivenciou de perto a Revolução Puritana e a Gloriosa, dois acontecimentos que tiveram profunda influência em seu pensamento político.

Locke é famoso por ser o pai do chamado Empirismo Inglês e por ser uma dos maiores representantes do liberalismo político. Foi também um dos grandes fundadores da teoria do contrato social, que ganharia impulso novamente no século 18 com pensadores com Jean Jacques Rousseau.

Ao contrário de outros acadêmicos da época, Locke teve uma infância humilde e sem maiores regalos. Seu pai era um pequeno proprietário de terras e graças às preocupações da família com a educação do filho, Locke recebeu intensa formação humana dentro de casa até ingressar na Academia Científica da Sociedade Real de Londres.

Desde cedo, o jovem ávido por conhecimento se interessou por diversas áreas do conhecimento. Estudou medicina, filosofia, ciências naturais e outras matérias em Oxford. Francis Bacon, outro importante pensador britânico, e René Descartes, foram influências marcantes para a formação de Locke.

Um fato dramático de sua vida foi a necessidade de fugir para os países baixos em 1683 após ter sido acusado de traição por lorde Shaftesbury, então o seu mentor político e importante voz no parlamento contra o autoritarismo do Rei Carlos II.

Com o fim da Revolução Gloriosa em 1688, Locke voltou à Inglaterra e logo após seu retorno publicou seus dois primeiros trabalhos, o famoso Ensaio sobre o entendimento humano e Cartas sobre a tolerância.  Após 74 anos de vida, Locke morreu em 1704, não tendo deixado filhos nem esposa.

Pensamento e Legado de John Locke

Os dois campos nos quais John Locke foi fundamental foi a filosofia política e a Epistemologia (ramo da filosofia e ciência que estuda o próprio conhecimento e a capacidade humana de conhecer e investigar).

As principais obras de Locke foram:

  • Cartas sobre a tolerância  – 1689. Nesta obra precursora do Iluminismo, o autor defende a igualdade de direitos sem distinção de crença ou religião e a laicidade do estado.
  • Dois Tratados sobre o governo civil – 1689. Nesta obra, as ideias liberais de Locke são postas em evidência e lançam as bases para o liberalismo político. Defende a laicidade do estado, o direito à propriedade privada e o desenvolvimento econômico, bem como governos representativos com poderes limitados.
  • Ensaio a cerca do entendimento humano – 1690. Este é o principal trabalho no campo da epistemologia de Locke. É aqui que o pensador afirma que o ser humano nasce como uma “Folha em Branco”, ou como ficou conhecido nas traduções em português, uma “Tabula Rasa”, que é preenchida à medida que se tem experiências do mundo a sua volta. Segundo Locke, todo conhecimento tem origem na experiência prática.
  • Pensamentos sobre a educação – 1693. Neste trabalho, Locke expõe suas ideias sobre a unidade familiar e o desenvolvimento educacional do ser humano. Também foi importante para o Iluminismo e há várias linhas de identificação com obras de Rousseau.

Todos os livros foram publicados já na fase avançada da vida de Locke, depois dos 50 anos de idade. Tal como Immanuel Kant, que lançou suas principais obras já na velhice, Locke foi dos pensadores cuja maturidade foi um fator essencial para a elaboração de seu pensamento e trabalho.

O liberalismo político e a epistemologia de Locke

O liberalismo político que foi inaugurado por Locke foi um dos pontos mais destacados do Iluminismo do século 18. O questionamento do direito divino dos reis e a defesa de sistemas representativos como forma de governo foram lançados por Locke no final do século 17 e extensivamente abraçados pela maioria dos pensadores iluministas que se seguiram.

John Locke era um defensor de que as regras poĺíticas estivessem alinhadas com as leis naturais do mundo. Nesse sentido, qualquer poder estatal que não garantisse a vida dos cidadãos e o direito à propriedade privada não seria legítimo. Fato inédito até então, Locke foi um dos primeiros a defender abertamente o direito da população de depor o chefe de estado caso este atente contra os direitos fundamentais.

Como fundador do liberalismo político, Locke é visto como um dos pensadores mais importantes de todos os tempos. Suas ideias foram fundamentais para o Iluminismo do século 18 e para o liberalismo baseado na tolerância e no respeito à propriedade privada e ao trabalho dos cidadãos.

No campo da Epistemologia, Locke foi, ao lado de David Hume, o grande criador e representante do Empirismo britânico. Segundo o que diziam Locke e Hume, todo conhecimento provém unicamente da experiência. Ideias inatas e o conhecimento especulativo obtido por meio da razão são duramente criticados pelos empiristas. Para locke não existe nada de inato na mente humana, tudo é apreendido por meio da capacidade sensorial para posteriormente ser processado pelo intelecto.

Considerações finais sobre John Locke

E aí, o que achou de conhecer mais sobre John Locke? Ele é um dos pensadores mais importantes da história, especialmente considerando os pensadores de origem britânica, estando ao lado de nomes como Isaac Newton e Thomas Hobbes.

Muito do que conhecemos e vivemos hoje como a indistinção religiosa dos direitos políticos, limites à atuação do poder do estado, a existência de governos representativos e a garantia da propriedade privada, tiveram sua origem com John Locke. Para fechar o texto, deixamos duas frases do próprio Locke, a primeira como convite para leitura de um de seus livros:

Ler fornece ao espírito materiais para o conhecimento, mas só o pensar faz nosso o que lemos.

A segunda como uma típica provocação filosófica:

Sempre considerei as ações dos homens como as melhores intérpretes dos seus pensamentos

As suas quatro obras principais são facilmente encontradas em livrarias e na internet. Caso você se interesse e leia alguma delas, deixe um comentário!

Nosso e-book com 7 dias de atrações em Londres:

pequeno-cta-roteiro-do-mapa-de-londres

Deixe seu comentário

Sem comentários