O que foi a Revolução Gloriosa e como o Parlamento venceu a monarquia

4
373
Compre agora!

A Revolução Gloriosa (1688-1689) foi um golpe orquestrado pelo Parlamento Inglês para tirar o Rei James II do poder. O motivo principal para a operação era o temor de que a inclinação religiosa do soberano e seu herdeiro direto pudessem trazer o catolicismo (e seus poderes políticos) de volta ao Reino Unido. Além do medo do Papado, os nobres também desaprovavam as ligações do monarca com a França.

Para evitar essas ameaças à soberania britânica, os nobres tomaram uma atitude paradoxal: apoiaram o que foi na prática uma invasão holandesa à Inglaterra, liderada pelo chefe de estado da Holanda, William III of Orange (Guilherme de Orange). Ele era casado com a filha do Rei James II, a protestante Mary II, segunda na linha de sucessão, atrás de seu irmão.

Com apoio do Parlamento, William e Mary reuniram suas tropas e partiram com uma grande frota para conquistar a Inglaterra em novembro de 1688. Essa invasão e consequente deposição do Rei James II é chamada de Revolução Gloriosa por ter derramado pouco sangue (em termos relativos), já que o monarca britânico e seus exércitos apresentaram pequena resistência.

A Revolução Gloriosa culminou com a Bill of Rights em 1689, uma carta de direitos do monarca que na prática limitou os poderes da monarquia e os subjugou ao Parlamento. Essa carta era uma imposição dos nobres e parlamentares para o aval a um Reinado conjunto de Mary (filha de James II) e William (chefe de estado da Holanda).

Revolução Gloriosa
A frota holandesa em direção à Inglaterra. George Virtue, 1852

5 fatos importantes para entender o que foi a Revolução Gloriosa

  1. A Revolução Gloriosa veio logo depois da Guerra Civil Inglesa. A monarquia e o Parlamento não estavam se entendendo havia bastante tempo. Um fato que resume bem essa questão: James II chegou ao trono após a morte de seu irmão, o Rei Charles II, filho do Rei Charles I, julgado como traidor da pátria e executado por tentar se sobrepor ao Parlamento.
  2. A religião oficial da Inglaterra era a Igreja Anglicana, criada pelo Rei Henry VIII, que rompeu laços com a Igreja Católica. Mas o catolicismo era muito influente e poderoso no século 17 e, devido às inclinações religiosas de James II e seu filho, havia o temor de que ele pudesse trazer o Papado de volta ao centro político inglês. Diversas medidas pró-Catolicismo do Rei naquele período levaram a essa convicção.
  3. James se converteu católico enquanto ainda era o segundo a linha de sucessão, em 1669, mas sua filha Mary, criada e educada distante do pai, terceira na linha de sucessão, se manteve protestante. Só que em junho de 1688 nasceu o irmão de Mary, James Francis Edward Stuart, um herdeiro homem do Rei. Na época, homens tinham precedência na linha de sucessão e, portanto, o pequeno herdeiro católico chegaria ao trono no futuro.
  4. James se exilou na França após a deposição de seu pai, Charles I. Lá manteve laços estreitos com a monarquia francesa e até lutou no exército. Essa relação com a França não ajudou seu reinado. Depois da Revolução Gloriosa, ele voltou a se mudar para lá.
  5. O marido de Mary, William, o chefe de estado da Holanda, também estava na linha de sucessão ao trono britânico, por ser filho de uma falecida irmã de James II.

Causas da Revolução Gloriosa

  • Medidas pró-catolicismo do Rei James II.
  • Indisposição com o Parlamento.
  • Indisposição com a Igreja Anglicana.
  • Ligações do Rei com a França.

2 Consequências da Revolução Gloriosa

A duas principais consequências da Revolução Gloriosa foram:

  1. A Bill of Rights (Carta de Direitos), que é um marco na delimitação dos direitos e deveres do monarca britânico.
  2. O fortalecimento da Igreja Anglicana e a repressão à Igreja Católica.

E aí, conseguiu entender o que foi a Revolução Gloriosa? Achou interessante esse capítulo da história inglesa? Compartilhe.

Compre agora!

4 COMENTÁRIOS

  1. Adorei! Muito bem explicado, nunca mais esquecerei desse assunto que às vezes parece ser tão difícil nos livros didáticos das escolas públicas brasileiras.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here