Minha Londres: Kayo Kerk

Minha Londres: Kayo Kerk

4

 

Fotos: Arquivo pessoal

Este é o Minha Londres de Kayo Kerk, webdesigner de 23 anos que fez passaporte especialmente para a viagem, passou quatro meses programando roteiros, enfrentou problemas de última hora, temeu a imigração e, mesmo assim, embarcou sozinho para conhecer os encantos da Terra da Rainha. Já em Manaus, depois da jornada pela Europa, a sensação boa do retorno para casa durou pouco. Era hora de desfazer as malas e voltar a sonhar…

> Mais Minha Londres

E você: Já morou em Londres ou visitou a cidade? Então você também pode colaborar enviando suas dicas e relato para mapadelondres @ gmail.com.

A viagem do planejamento

Tenho 23 anos, sou estudante de Design e fui para Londres por férias programadas no meu antigo trabalho. Acabei saindo de lá, mas resolvi tirar as primeiras férias da minha vida. Escolher Londres foi realmente “por acaso” como eu achei que seria, mas acabou realmente sendo uma decisão muito legal. Depois que resolvi ir para Londres (4 meses antes), fui atrás de informação, valores e tudo mais. Comprei as passagens, decidi as datas e uma amiga iria me hospedar (o que mudou na última hora e quase cometi homicídio, kkk). Li muito sobre imigração, não tinha passaporte, tive que correr atrás de tudo mesmo. Até de alguns documentos necessários para tirar o passaporte que eu não tinha e tive que passar horas em filas… Tudo por Londres.

Guias virtuais

Faltando um mês e meio para minhas férias, eu encontrei o blog Mapa de Londres, que foi “o” achado, hehe. Porque eu planejei somente 5 dias e estava tudo dando certinho. Imprimi o roteiro que vocês tinham e o mapa. O “problema” foi que, quando faltava um mês, deu problema na passagem e, de 5 dias, a viagem passou para 9 dias. Encontrei um amigo de trabalho que falou sobre as possibilidades de ir a outros países e acabei de novo recorrendo ao blog para o roteiro de 3 dias em Londres (fiquei 5  =P ). Enfim, depois de pesquisar, fui a Londres pela história, parques e design.

Com o Palácio de Buckingham ao fundo

 > As 10 atrações mais visitadas de Londres

A imigração

Sobre a imigração, foi engraçado, porque, quando eu comecei a pesquisar, todos estavam com relatos ótimos, passaram e tal. Mas, quando estava chegando perto, eu só encontrava relatos de pessoas que tinham sido deportadas. Uma semana antes, eu não conseguia dormir. Em São Paulo, eu pensei em desistir, mas sempre na cabeça uma coisa que li: “Se você está indo realmente com tudo certinho e não tem nada a esconder, fique tranquilo”. E assim eu fui. Um dia antes, li algo assim: “Se você está preparado, vai acontecer”. Essas coisas me encorajaram muito, afinal eu estava sozinho.

Ansiedade

Comecei a me preparar meses antes, pesquisando sobre a cidade, aeroporto, transporte, valores, perguntando de quem já havia estado na cidade. Eu tinha consciência que estaria sozinho e realmente precisava me preparar. Noites em claro vendo vídeos da galera no YouTube no London Eye, Camden Town e sonhando (risos).

Camden Town

Hospedagem

Como eu disse, estava preparado para ficar em hotel e estava cotando com um amigo que trabalha numa agência de viagens. Mas uma amiga disse: “Não, fica na casa do meu irmão, não tem problema”. Eu, “OK! Menos um gasto”. Mas quando chegou um mês antes da viagem, ela me falou que o irmão viajaria e não poderia me receber. Eu pirei. Mas depois de me acalmar, conversei com amigos que já tinham viajado e eles me indicaram os albergues, visto que os hotéis estavam mais caros que antes. Eu pesquisei tudinho e OK. O problema é que nenhum cartão internacional funcionou pra reservar. Eu pirei de novo.

> Guia para encontrar hotel em Londres

OK, tive que correr atrás do Visa Travel Money para poder reservar e acabei conseguindo 5 dias no Palmers Lodge, no Swiss Cottage, College Crescent 40 (Lembro tudinho) pelo Hostel World. Liguei, confirmei a reserva, isso duas semanas antes. Foi o melhor albergue da viagem (fiquei em Paris e Dublin em albergue). Vale a pena, água quente, bar no albergue, internet de graça, computadores novos, filmes, lounge, Wi-Fi, Café da manhã muito bom, área externa. Valeu realmente a pena ficar ali. Muito aconchegante. 😉 Foi 17 libras por noite porque eu reservei muito em cima, senão seriam 13 Libras.

Top 5 de Londres

Big Ben, Green Park e arredores. Onde “caiu a ficha” que eu estava em Londres.
Regent´s Park. Muito lindo o cheirinho das plantas no local, as florzinhas na beira do lago, as gaivotas brigando eu amei muito aquele lugar, foi um dos que eu disse “NÃO QUERO MAIS VOLTAR PRA CASA!!!”

Camden Town, carambaaaa muito show aquele lugar, encontra de tudo, falei com muita gente ali. Uns vendedores, quando eu disse que era do Brasil : “Tropa de Elite, VERY GOOD MOVIE” com o sotaque deles eu me acabei de rir e eles também.

Chinatown. Fui com um amigo que conheci no Soho. Muito lindo também, realmente você entra nas lojas e os produtos, aquela gritaria em Chinês kkkk “Eu to na China?!?!”

Hillsong Church. De nenhuma forma menos importante. Pelo contrário, um dos momentos mais íntimos em Londres. Nossa, eu chorei que nem um bebê, pois tenho vários DVD´s e Cd´s da igreja.

Recomendações para os amigos

VÁ! CORRA! (risos) A cidade é linda, perfeita para turistas. Eu posso dizer porque visitei outras duas cidades na Europa, e Londres de longe foi a mais organizada, hospitaleira e aconchegante. Se vai trabalhar ou estudar, vá tranquilo. Você tem como se locomover com facilidade por toda a cidade, inclusive com  mapas nos pontos das “bikes” que te mostram onde você está, para onde ir, estações de metrô enormes e assim vai. Londres foi nota mil pra mim e sei que será pra muita gente ainda 😉

Com Amy Winehouse no Madame Tussaud's

Sozinho pela cidade

Nenhum, como eu disse antes, a cidade está realmente pronta para receber você. Vale a pena o drama da imigração, as 12 horas atravessando o oceano porque você vai ficar num lugar muito aconchegante. Não esqueço no meu primeiro dia, eu desci na estação em Swiss Cottage e estava indo pro caminho contrário ao do albergue quando pedi informação e a sra negra estava com a filha pequena, vestida com um pijama rosado. Ela segurou a minha mão igual como estava segurando a da filha e só me largou quando eu estava a metros do albergue. Foi um dos momentos mais lindos que vivi ali. Essa foi a minha experiência porque, mais uma vez, eu fui sozinho (risos).

Londres vale a pena

Londres venceu pela informação. Você como turista precisa de informação e em Londres você é cheio delas. Mapa de metrô em todas as estações. Eu costumo prestar atenção em detalhes e o que mais me chama atenção são as placas “stand in the right” nas escadas rolantes. Que significam, “se você vai ficar parado, fique na direita e deixe a esquerda livre pra quem está atrasado e vai precisar correr (risos)”. Nossa, eu amei aquilo. Parques limpos, estações de metrô limpas, pessoas bonitas (risos) e cheirosas, bem vestidas, brechós baratos e bem legais. Ó, vale a pena!

> Guia básico para andar de metrô

Encontre o Kayo:

> Blog

Deixe seu comentário

4 comentários

  1. Kayo, amei seu blog, quero ir em Outubro e estava morrendo de medo.
    Você me deixou mais tranquila,Ah você usou o london pass??
    grata
    marlene

  2. Olá Kayo!

    Estou indo pra Londres próximo mes e só ficou faltando reservar um hostel. Hoje estava tentando reservar o Smart Russel Square com meu VTM e não consegui.
    O seu cartão era com chip? Estou imaginando que possa ser isso já que o meu não tem…

    Obrigado

    Antônio