Descubra o que foi a segunda Revolução Industrial

Descubra o que foi a segunda Revolução Industrial

0
Segunda Revolução industrial
Século 19 foi de muitas inovações em Londres e na Europa. Foto: iStock, Getty Images

A Segunda Revolução Industrial foi um marco no desenvolvimento tecnológico entre o século 19 e a primeira metade do século 20. Uma série de inovações tecnológicas e um verdadeiro salto nos processos industriais ocorreram nesse período. Os principais palcos dessas mudanças foram a Inglaterra, França, Alemanha, Estados Unidos e Japão.

Como você sabe, o mundo é moldado e lapidado por revoluções. Mas nem todas elas são revoltas populares ou conflitos armados.

Foi assim com a Segunda Revolução Industrial, sobre a qual vamos falar um pouco hoje. Como o próprio nome diz, trata-se da segunda etapa do processo de revolução industrial que trouxe ao mundo uma série de novas tecnologias e produtos inovadores.

Hoje já estamos vivendo a quarta etapa. A revolução industrial está hoje na chamada indústria 4.0, que vem tomando o lugar da terceira revolução industrial (segunda metade do século 20). Vamos voltar um pouco mais e conversar sobre a segunda revolução industrial, que foi calcada no petróleo e no início da eletricidade.

O que foi a Segunda Revolução Industrial

A Segunda Revolução Industrial aconteceu de forma contínua entre a segunda metade do século 19 e a primeira metade do século 20. O termo revolução industrial refere-se sobretudo à uma série de tecnologias e melhorias nos processos industriais que fizeram a então indústria do século 18 dar um salto em níveis de produção e sofisticação técnica.

Os países nos quais esses progressos se concentraram foram principalmente as potências europeias: Inglaterra, França e Alemanha, junto aos EUA e ao Japão. Um grande número de novas invenções e descobertas proporcionaram uma mudança de vida significativa ao longo desse período, promovendo maior conforto e expansão econômica dos países que lideraram o processo.

As novas indústrias

Como está relacionada ao incremento de novas tecnologias e processos, a Revolução Industrial é um conjunto de novas invenções e descobertas que resultaram em uma nova forma de produzir e trabalhar.

Essa etapa do avanço industrial, tal como no século 18, foi baseado nas indústrias de grande porte e de base, destacadamente as áreas de Energia, Transportes, Siderúrgica, Metalúrgica e Química. E é claro, na esteira de todos esses segmentos, a indústria bélica também entrou em franco processo de crescimento, o que culminaria nas duas guerras mais sofisticadas e, consequentemente, mais mortais da história até então.

O processo de fabricação do aço e a sua contínua melhoria foi um dos pontos principais. Andrew Carnegie, fundador de uma das primeiras siderúrgicas americanas foi um dos mais importantes empreendedores nesse sentido. Tendo sido o responsável por promover o processo Bessemer e novas tecnologias na indústria do aço.

O setor de energia viu o surgimento dos combustíveis a base de petróleo e do motor a combustão. A um só tempo, a indústria petroquímica dava um salto, com a criação de diversas novas substâncias derivadas do petróleo, e o passo fundamental para que automóvel finalmente substituísse as carruagens era dado.

Invenções e descobertas da Segunda Revolução Industrial

A lista de novos inventos e processos de fabricação que foram criados durante a segunda etapa da revolução industrial é extensa. De forma ampla, os principais avanços tecnológicos foram:

  • Desenvolvimento do motor à combustão interna
  • Refino e utilização do petróleo e seus derivados como fonte de energia
  • Desenvolvimento das primeiras máquinas elétricas
  • Instalação das primeiras usinas hidrelétricas
  • Eletrificação de indústrias e cidades
  • Surgimento da indústria siderúrgica e aperfeiçoamentos na metalurgia
  • Gramofone, Rádio, Telefone, Fonógrafo
  • Invenção do cinema
  • Invenção do Raio X
  • Invenção e melhorias na indústria aeronáutica
  • Invenção da lâmpada elétrica e da geladeira.

Algumas dessas invenções talvez não tenham chegado a fazer parte da sua vida doméstica, como o gramofone e o fonógrafo. Isso é porque muitas dessas descobertas foram aperfeiçoadas e substituídas na terceira revolução industrial.Mas veja como algumas das novidades representaram mudanças “disruptivas”, para usar um adjetivo em voga para descrever grandes inovações. Você consegue imaginar o mundo sem aviões, sem carros, sem cinema, sem telefone, sem energia elétrica? Agradeça à Segunda Revolução Industrial.

O impacto no trabalho

Algumas mudanças no modo de trabalhar e de viver também foram muito importantes nessa época. O Fordismo e o Taylorismo, termos que você deve se lembrar das aulas de história, também foram criados como reflexo do dinamismo industrial do início do século 20. O Toyotismo, que veio já na segunda metade do século 20, foi a mudança no modo de trabalho da terceira revolução industrial

Além da inauguração da linha de montagem e da especialização das funções no trabalho, as distâncias também ficaram mais curtas. A indústria ferroviária, que já estava presente desde a primeira onda de industrialização, prosperou e interligou países inteiros. O avião, o automóvel e as melhorias na indústria naval foram as outras invenções que aceleraram a vida das pessoas.

Mas se isso tudo veio com a Segunda Revolução Industrial, o que foi que a primeira Revolução trouxe de novo? Já mencionamos a indústria ferroviária, mas vamos tirar essa dúvida na próxima seção.

E a primeira Revolução Industrial?

A primeira Revolução Industrial aconteceu no século 18. Foi a primeira grande onda de industrialização pela qual o mundo passou. Ainda distante dos atuais níveis de automação e especialização do trabalho, essa primeira fase representou uma mudança radical em relação às antigas Guildas de artesãos, que realizavam os trabalhos de manufatura no final da Idade Média até os primeiros avanços da industrialização.

Ao contrário da Segunda Revolução, que aconteceu em vários países, inclusive na Ásia, a primeira teve um epicentro muito bem definido. Foi a partir da Inglaterra que os avanços tecnológicos e novas invenções começaram a mudar o processo de produção. Aliás, esse pioneirismo inglês foi o grande responsável por transformar a Inglaterra na grande potência econômica e militar que foi durante o século 19.

As invenções que marcaram o século 18 foram:

  • Máquina a vapor
  • O tear mecânico
  • Máquina de fiar
  • Primeira locomotiva a vapor usando trilhos em 1804.

Como você pode ver, essas invenções estavam relacionadas à indústria têxtil, à época, principal atividade industrial na Inglaterra. A máquina a vapor foi o primeiro passo no sentido de automatizar os processos industriais. E a locomotiva foi o primeiro passo para acelerar o desenvolvimento dos novos meios de transporte que iriam surgir a partir dali.

Nas duas primeiras revoluções industriais a Inglaterra teve um papel chave. Muitas das principais invenções industriais vieram de cabeças britânicas. Hoje já estamos na quarta fase da Revolução Industrial. Quais serão as invenções e novas descobertas da quinta? Você já pensou nisso?

Até a próxima!

Nosso e-book com 7 dias de atrações em Londres:

pequeno-cta-roteiro-do-mapa-de-londres

Deixe seu comentário

Sem comentários