Descubra como eram as roupas medievais

1
116

Você é daquelas pessoas que se encanta com os figurinos em séries como Game of Thrones e The Tudors? De fato, as roupas medievais usadas pelos ingleses na Idade Média até hoje são símbolo de uma cultura marcante, totalmente relacionada aos costumes da época. Na moda e no vestuário, afinal, até os trajes mais simples carregam significado. 😊

As roupas medievais são incríveis, principalmente pela mistura de cores, texturas, comprimentos, adereços e detalhes. Mais interessante ainda é o fato de que alguns acontecimentos marcantes da Era Medieval implicavam diretamente nas vestimentas utilizadas.

Quem sobreviveu à Peste Negra e prosperou, por exemplo, fazia questão de transparecer sua riqueza com peças extravagantes em materiais nobres, como o couro.

E aí, já ficou intrigado para conhecer mais detalhes sobre as roupas medievais? Descubra, a seguir, algumas curiosidades. 👒

Soldado medieval
Roupas medievais têm relação com importantes acontecimentos do período. Foto: iStock, Getty Images

As peculiaridades das roupas medievais

A Idade Média foi um período marcante da história da Europa. Como já falamos, os acontecimentos que se sucederam entre os séculos 5 e 15 tiveram uma influência extrema no vestuário. No total, pode-se dizer que houveram três principais fases da moda no decorrer desse período.

Veja, abaixo, as características de cada uma. 💃

1ª Fase – século 5 ao 12

Neste período, permeado pelo caos nas fronteiras do antigo Império Romano e pelas Cruzadas, a aparência das vestes não era uma preocupação essencial. As roupas deviam, acima de tudo, ser funcionais. As principais vestimentas eram as túnicas, com cores vivas e tecidos vindos do Oriente.

As mangas dos trajes masculinos eram mais longas, e eles geralmente usavam ainda um xale para proteger as costas. Já as mulheres investiam em mangas mais curtas e algumas possuíam bordados detalhados e broches em suas túnicas. Quem tinha alguma riqueza, fazia questão de mostrar.

A partir do século 11, as roupas passaram a ganhar um caráter mais valorizado esteticamente. As túnicas femininas agregaram mais contornos na cintura e um decote maior. Nessa fase, começaram a entrar em cena também os corpetes e os véus.

2ª Fase – século 12 à metade do século 14

Roupas medievais
Tecidos utilizados nas roupas indicavam a classe social das pessoas na Era Medieval. Foto: iStock, Getty Images

Em 1290, foi criada a primeira roda de fiar. Isso causou uma revolução na moda medieval. Os vestidos femininos tornaram-se mais adornados e detalhados, com mangas longas e cintura bem marcada. Para se ter uma ideia, na época era possível distinguir ricos e pobres pela qualidade da seda utilizada nas roupas.

Na moda masculina, entraram em cena os casacos mais curtos e bem ajustados ao corpo. Geralmente eles possuíam uma estampa listrada, com duas cores contrastantes bem vivas. As calças começaram a ser confeccionadas em lã – e a modelagem também ficou mais ajustada ao corpo. Foi nessa fase, ainda, que se popularizou a tradição de usar vestimentas com cores que representassem uma família ou dinastia.

3ª Fase – metade do século 14 à metade do século 15

Certamente, esse foi o período de maiores transformações de vestuário na Idade Média. Os homens passaram a trajar mangas bufantes, cintos acinturados e capas cheias de detalhes e bordados nas costas. Foi também nessa fase que os chapéus se popularizaram, nos mais variados formatos e cores. Já os sapatos ganharam pontas compridas e solas de madeira resistentes.

Os vestidos femininos se tornaram mais decotados e acinturados perto do busto, garantindo a impressão de uma cintura mais alta. Disparado, o chapéu mais popular entre as mulheres era o chamado “hénnin”, comprido e em formato de cone.

Uma curiosidade interessante é que, quando a Peste Negra assolou a Europa, o público feminino emplacou um visual inusitado: o chamado “pregnancy look”. Elas colocavam travesseiros embaixo dos vestidos para parecerem mais cheinhas, o que na época era um sinônimo de que estava sadias e eram capazes de carregar um filho no ventre.

Que loucura, não é? 😮

Roupas medievais de guerra

Medieval knight
Tecidos leves eram utilizados por baixo da armadura, para garantir o conforto dos soldados. Foto: iStock, Getty Images

Impossível pensar na Idade Média sem lembrar de guerras e conflitos. É claro que esses momentos também tinham suas vestimentas especiais. O objetivo dos trajes utilizados pelos cavaleiros medievais, acima de tudo, era fornecer proteção. As armaduras cobriam praticamente todo o corpo do soldado: peito, ombros, cabeça, pernas e braços. Todas as partes vitais deveriam estar cobertas para evitar uma flecha ou espada.

Como o metal da armadura era bastante pesado, os cavaleiros utilizavam por baixo camisas de linho e calças de lã, que ajudavam a evitar o atrito e a fricção – um desconforto que poderia ser fatal no campo de batalha. A maioria dos cavaleiros tinha, ainda, uma longa capa – um mecanismo de proteção contra condições climáticas desfavoráveis.

Por cima das armaduras, os soldados vestiam uma toga – uma espécie de sobretudo – que carregava um brasão de armas para identificá-los. Os capacetes também eram uma forma de proteger o cavaleiro e determinar seu nível de atuação.

Os cavaleiros das classes mais abastadas também se diferenciavam dos demais no campo de batalha. Isso porque trajavam gorros de veludo, bem pontudos no topo e com uma extensa faixa na ponta. ⚔

E aí, gostou de conhecer um pouco mais sobre a história das roupas medievais? O que você achou mais bizarro ou interessante sobre elas? Conte para a gente nos comentários. 😉

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here