Descubra 4 curiosidades sobre a Igreja Anglicana

Descubra 4 curiosidades sobre a Igreja Anglicana

1

A Igreja Anglicana tem uma história repleta de curiosidades, especialmente em sua origem. Você sabia que ela se considera uma religião protestante e católica ao mesmo tempo? Que um Rei louco por se separar de sua esposa e deixar um herdeiro homem se encontra na história da cisão com o Catolicismo de Roma? Que o chefe da Igreja da Inglaterra (em inglês, Church of England) é o Soberano do Reino Unido, atualmente a Rainha Elizabeth II? Confira abaixo alguns fatos peculiares que ilustram a fé em Londres.

4 Curiosidades da Igreja Anglicana

1 – Origem romana

A Igreja Anglicana tem origem lá no século 1, com a ocupação romana na Grã-Bretanha. St Alban é o primeiro membro registrado da igreja, no século 3. Do século 6 ao século 16, ela tinha vínculo estreito com o catolicismo.

2 – A obsessão por um filho homem

O Rei Henrique VIII é o principal responsável por uma mudança brusca na história da Igreja Anglicana. Em 1527, obcecado pela ideia de deixar um herdeiro homem, ele queria anular seu casamento com Catarina de Aragão, que não conseguira gerar um filho do sexo masculino, para se casar com Ana Bolena. Como o Papa não permitiu, Henry VIII rompeu laços com a Igreja Católica em 1534, tomou para si a figura de chefe da Igreja da Inglaterra e teve outras quatro esposas antes de morrer. No fim, teve um filho homem, com sua terceira esposa. Mas a busca pela sucessão tranquila não deu certo: o jovem faleceu aos 15 anos, enquanto um conselho regente tomava conta do governo.

3 – A filha se vinga

O rompimento da Igreja Anglicana com a Igreja Católica, proclamada por Henrique VIII no século 16, teve fim décadas depois, em 1553, quando Mary I, filha de seu primeiro casamento, chegou ao trono. Esse é capítulo da história é tão violento, que a Rainha Maria ganhou a alcunha de Bloody Mary, por perseguir os católicos em seu reino.

4 – Uma Rainha mais ponderada

Outra reviravolta na história da Igreja Anglicana ocorreu em 1558, com a ascensão ao trono da protestante Elizabeth I, filha do casamento de Henrique VIII com Ana Bolena. Uma das primeiras medidas de Elizabeth foi o Ato de Supremacia de 1558, que restituiu ao Soberano inglês o título de chefe da Igreja, em uma nova e definitiva cisão com o catolicismo. Mais ponderada do que seus antecessores, teve um reinado bem mais longo, de 44 anos, que estabeleceu um sentido maior de nacionalidade britânica e fixou o Igreja Anglicana no Reino.

Perfil atual da Igreja Anglicana

A Igreja Anglicana hoje é totalmente independente da Igreja Católica, embora mantenha diversos traços do catolicismo. Ela descreve o seu perfil atual desta forma: “É uma religião que conscientemente reteve grande parte das tradições antigas, credos católicos  padrões de missas, igrejas e aspectos de sua liturgia, mas que também incorporou elementos protestantes em sua teologia e na forma de sua prática litúrgica”.

Igrejas Anglicanas em Londres

Para quem visita Londres, duas igrejas se destacam: a Abadia de Westminster e a St Paul’s Cathedral.

Abadia de Westminster

Abadia de Westminster
Missa cantada é uma bela programação da Abadia de Westminster. Foto: Mapa de Londres

A Abadia de Westminster é o local da coroação da monarquia britânica há mil anos, desde a invasão normanda com William, o Conquistador. Em estilo gótico, a igreja dá guarida aos túmulos e memoriais de dezenas de Soberanos, cientistas e notáveis.

St Paul’s Cathedral

St Paul's Cathedral é um símbolo da City of London. Foto: Mapa de Londres
St Paul’s Cathedral é um símbolo da City of London. Foto: Mapa de Londres

A St Paul’s Cathedral é a sede do Bispo de Londres, construída no local da primeira igreja dedicada ao santo, do ano 604. A construção atual é obra do arquiteto real Christopher Wren, responsável pela reconstrução da City of London após o Grande Incêndio de 1666.

Gostou de conhecer curiosidades, o perfil e um pouquinho da história da Igreja Anglicana? Comente.

Nosso e-book com 7 dias de atrações em Londres:

pequeno-cta-roteiro-do-mapa-de-londres

Deixe seu comentário

1 comentário

  1. […] É comum que se acredite que a reforma da Igreja na Inglaterra tenha sido causada pela obsessão de Henrique VIII em deixar o trono para um herdeiro homem. Realmente se trata de uma das razões, mas não a única. Henry também não queria que o Papa, na Itália, tivesse tanto poder sobre Londres. Por isso, após convocar o parlamento, apelar a todos os santos e não obter a anulação do casamento com Catarina de Aragão, assumiu, unilateralmente, como chefe da igreja no país e deu início à versão independente da Igreja Anglicana. […]