Era Vitoriana em Londres: um período de prosperidade e bizarrice

Era Vitoriana em Londres: um período de prosperidade e bizarrice

3

Era Vitoriana é o nome dado ao período em que a Rainha Vitória ocupou o trono britânico, de 1837 a 1901. Foi um momento de grande prosperidade para o império pós-revolução industrial. Com a economia a pleno vapor, houve um intenso incremento da população, uma redução das condições básicas de vida, uma porção de novidades tecnológicas e uma infinidade de peculiaridades que alçam a Londres Vitoriana a uma condição de admiração que perdura até o século 21.

14 curiosidades da Era Vitoriana em Londres

1. Multidão vitoriana

Do início ao fim do século 19, que posicionou a Inglaterra como principal potência mundial, a população londrina passou de 1 milhão para mais de 6 milhões de pessoas.

2. Cartões postais de Londres

Muitos ícones de Londres foram construídos na Era Vitoriana, incluindo a Trafalgar Square, o Parlamento e a Tower Bridge.

Tower Bridge foi construída em 1894. Foto: Mapa de Londres
Tower Bridge foi construída em 1894, no fim da Era Vitoriana. Foto: Mapa de Londres

3. Medo da velocidade

Uma lei de 1865 decretava a obrigatoriedade de um homem tremulando uma bandeira vermelha à frente de qualquer automóvel em movimento, a fim de alertar da máquina letal que se aproximava (a 3 km/h!).

4. Execuções públicas na Era vitoriana

Enforcamentos eram verdadeiras atrações turísticas de Londres na Era vitoriana. Agências de turismo faziam excursões de trem para os locais de execução. Para uma visão melhor, as senhoras ricas usavam seus monóculos do teatro. Até escolas mandavam os alunos para assistir de vez em quando àquele espetáculo horroroso, para que aprendessem o perigo de ir contra a lei.

5. Aroma

O cheiro das ruas da Londres Vitoriana não era nada agradável. A receita daquele fedor tinha dois ingredientes básicos, o esgoto a céu aberto no Rio Tâmisa e cadáveres putrefatos que eram empilhados em valas comuns e cemitérios superlotados.

6. Metrô de Londres

Assim era o trem do metrô de Londres no século 19. Foto: Mapa de Londres
Assim era o trem do metrô no século 19. Foto: Mapa de Londres

O primeiro metrô do mundo, o Tube, foi inaugurado em 1863. Antes da estreia, era considerado por muitos uma aberração que nunca daria certo. Hoje o Underground conta com 400 km de extensão, 270 estações, 11 linhas, 4.070 veículos e 3 milhões de passageiros diários.

7. Fog mais espesso

Uma das imagens que vêm à cabeça quando se fala em Londres Vitoriana é o “fog”. Aquela mistura de névoa e fumaça era tão forte, que levava muita gente a cair no Tâmisa, por não ver um palmo à frente do nariz.

8. Grande Fedor

Em meados de 1858, sessões do Parlamento, que fica às margens do Tâmisa, chegaram a ser interrompidas unicamente por causa do mau cheiro do rio, hoje um dos cartões postais da cidade. O episódio ficou conhecido como O Grande Fedor. Depois de ser considerado biologicamente morto em 1950, o rio voltou à vida e hoje tem água potável.

9. Luto Vitoriano

A Rainha Vitória ficou absolutamente devastada com a morte de seu marido, Albert, em dezembro de 1861. Depois disso, ela entrou em estado de luto e usou apenas preto até o fim da vida.

10. Hora do chá

Para que ninguém perdesse a hora, foi construído em 1859 o Big Ben, a torre do relógio do Palácio de Westminster.

11. Classes sociais

Na Era Vitoriana, a classe social não dependia apenas de dinheiro. Por exemplo: um homem que ganhasse uma fortuna em uma aposta não compraria uma passagem de trem de primeira classe mesmo que tivesse condições financeiras para isso. Uma pessoa de classe média que tinha falido ainda era de classe média. As conexões familiares valiam mais do que as posses.

12. Gastronomia para os fortes

A culinária também tinha suas excentricidades na Era Vitoriana. Na verdade, tudo dependia da grana. Os mais pobres mal tinham acesso a pão, vegetais vencidos e restos. Mas tinha gente com muito dinheiro que adorava comer sopa em uma tigela de miolos e coração de animais, por exemplo. Outro prato famoso era a sopa de tartaruga.

13. Jack, o Estripador

Jack, o EstripadorFoi no fim da Era Vitoriana que surgiu o primeiro assassino serial a ganhar fama. Jack, o Estripador assassinou brutalmente pelo menos quatro prostitutas no Leste de Londres e nunca teve sua identidade conhecida. Naquela época, a investigação criminal da Metropolitan Police, criada em 1829, era muito deficiente: não se tiravam impressões digitais e se acreditava em fotografar os olhos da vítima para descobrir as últimas cenas vistas por ela.

14. Memento Mori

Na Londres Vitoriana, era muito caro tirar fotos. Quando alguém morria naquela época, familiares costumavam juntar suas economias para guardar uma recordação do ente falecido. Muitas vezes, portanto, a única foto da pessoa era tirada sem vida, ao lado dos filhos e cônjuge.

Quem dá nome à Era Vitoriana

A Era Vitoriana é chamada assim por causa da Rainha Vitória (Queen Victoria, na verdade), uma das monarcas mais famosas da história da Família Real Britânica.

Vitória ascendeu ao trono aos 18 anos de idade, em 1837, após o falecimento de seu tio, William IV. Em sua homenagem, há muitos memoriais, estátuas e monumentos em Londres. Exemplos: Victoria & Albert Museum, o memorial em frente ao Palácio de Buckingham e a estátua em frente ao Palácio de Kensington, onde ela nasceu.

A força do nome de Vitória se deve a três fatores, principalmente:

  1. Rainha Vitória ficou 63 anos e 7 meses no trono, perdendo apenas para a Rainha Elizabeth II, a atual Soberana.
  2. Vitória era a Rainha durante o apogeu do Império Britânico e da Revolução Industrial, que levou a Inglaterra a ser o centro da economia global.
  3. A Rainha Vitória entrou em luto após a morte de seu marido, Albert, em 1861, e vestiu preto por quatro décadas, até o fim de sua vida.

E aí, curtiu conhecer um pouquinho da história e algumas curiosidades da Era Vitoriana em Londres? Tempos estranhos, não? Comente.

Leia também

Charles Dickens, o escritor da Londres vitoriana

Como era a Londres de Sherlock Holmes

Nosso e-book com 7 dias de atrações em Londres:

pequeno-cta-roteiro-do-mapa-de-londres